Notícias

Uso da Faixa Azul previne óbitos e sinistros entre motociclistas

Relatório do sétimo mês do Projeto Piloto aponta que os sinistros envolvendo moto e veículos são maiores fora do ambiente da faixa

De Secretaria Especial de Comunicação

O Projeto Piloto da Faixa Azul para motocicletas completa sete meses de operação na Avenida 23 de Maio, sentido Santana/Aeroporto, com resultados muito positivos: a Faixa Azul é utilizada por 86% dos motociclistas e não houve óbitos ou sinistros graves *dentro do espaço* da Faixa Azul; *fora do âmbito* da Faixa, com índice de uso de 14% dos motociclistas, ocorreu, praticamente, o dobro de sinistros, ou seja, *usar a Faixa Azul previne mortes e sinistros* entre os motociclistas.

No levantamento, também, ao longo desse tempo, percebeu-se que os sinistros ocorrem em sua maioria entre 8h e 10h e 15h e 21h.

Além disso, a lentidão média reduziu 6,6% na comparação com os mesmos períodos em 2019 quando não havia a faixa azul.

Os sinistros envolvendo motos em julho/agosto foram:

- Fora do espaço da faixa azul: três sem vítima e dois com vítima leve. Tanto o motorista quanto o motociclista não sinalizaram a troca de faixa e colidiram de leve;

- No espaço da faixa azul: dois com vítima leve ocasionado pelo não uso da sinalização de seta ou pelo movimento brusco de troca de faixa.

Os sinistros envolvendo motos em junho/julho foram:

- Fora do espaço da faixa azul: um sem vítima e dois com vítima leve. Tanto o motorista quanto o motociclista não sinalizaram a troca de faixa e colidiram de leve;

- No espaço da faixa azul: um com vítima leve ocasionado pelo não uso da sinalização de seta ou pelo movimento brusco de troca de faixa.

Os sinistros envolvendo motos em maio/junho foram:

- Fora do espaço da faixa azul: um sem vítima e um com vítima leve. Tanto o motorista quanto o motociclista não sinalizaram a troca de faixa e colidiram de leve;

- No espaço da faixa azul: dois sem vítimas e três com vítimas, gerando duas vítimas leves e uma grave, também ocasionados pelo não uso da sinalização de seta ou pelo movimento brusco de troca de faixa.

Os sinistros envolvendo motos em abril/maio foram:

- Fora do espaço da faixa azul: três sem vítimas e três com vítimas leve. Os motoristas dos veículos não sinalizaram a mudança de faixa com a seta e colidiram de leve com as motocicletas;

- No espaço da faixa azul: dois sem vítimas e nove com vítimas, gerando duas vítimas graves e dez leves, também causados pelo não uso da sinalização de seta ou pelo movimento brusco de troca de faixa;

- Dois sinistros com vítima levadas ao hospital: um morador em situação de rua que foi atropelado (lembrando que a via não permite passagens de pedestres e o sinistro não tem relação à implantação da faixa azul); e um motociclista que bateu na traseira de um veículo ao mudar repentinamente de faixa.

Os sinistros envolvendo motos em março/abril foram:

- Fora do espaço da faixa azul: quatro sem vítima e quatro vítima leve. Os motoristas dos veículos não sinalizaram a mudança de faixa com a seta e colidiram de leve com as motocicletas;

- No espaço da faixa azul: um sem vítima e um com vítima leve, também causados pelo não uso da sinalização de seta ou pelo movimento brusco de troca de faixa.

Os sinistros envolvendo motos em fevereiro/março foram:

- Fora do espaço da faixa azul: um sem vítima e um com vítima grave. Os motoristas dos veículos não sinalizaram a mudança de faixa com a seta e colidiram de leve com as motocicletas;

- No espaço da faixa azul: três sem vítima e um com vítima leve, também causados pelo não uso da sinalização de seta ou pelo movimento brusco de troca de faixa.

Os sinistros envolvendo motos em janeiro/fevereiro foram:

- Fora do espaço da faixa azul: sete sinistros sem vítima e quatro com vítima. Os motoristas dos veículos não sinalizaram a mudança de faixa com a seta e colidiram de leve com as motocicletas;

- No espaço da faixa azul: quatro sem vítima e um com vítima leve, também causados pelo não uso da sinalização de seta ou pelo movimento brusco de troca de faixa;

- Um funcionário que fazia a zeladoria no canteiro central da Avenida 23 de Maio, ao lado da faixa azul, foi atingido por um veículo que trafegava de forma perigosa no local;

- O motociclista que trafegava pela faixa azul teve um mal súbito (desmaio) e caiu dentro do espaço, mas não houve interferências ou acidentes envolvendo outros veículos.

A CET permanece enviando os relatórios para a SENATRAN, por tratar-se de projeto experimental.

Histórico

A Faixa Azul, que funciona no trecho entre a Praça da Bandeira e o Complexo Viário Jorge João Saad, foi aberta oficialmente em 25 de janeiro de 2022. De lá para cá, os técnicos da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET – vêm realizando o monitoramento diário dos índices de lentidão e acidentalidade com o objetivo de averiguar a funcionalidade da nova sinalização.

Em julho a CET foi autorizada pela Secretaria Nacional de Trânsito (SENATRAN) a realizar o projeto piloto da Faixa Azul, em caráter experimental, por mais um ano, nos seguintes locais:

  • Avenida Santos Dumont, Avenida Tiradentes e Avenida Prestes Maia, no trecho compreendido entre a Ponte das Bandeiras e a Praça da Bandeira, com extensão aproximada de 4 km;
  • Avenida Rubem Berta, no trecho compreendido entre o complexo viário João Jorge Saad e a Avenida dos Bandeirantes, com extensão aproximada de 2 km;
  • Avenida dos Bandeirantes, em ambos os sentidos, no trecho compreendido entre a Via Marginal do Rio Pinheiros e o Viaduto Ministro Aliomar Baleeiro, com extensão aproximada de 8,5 km (totalizando 17km).

Atualmente, a CET trabalha na implantação da Faixa Azul na Avenida dos Bandeirantes sentido Marginal-Complexo Maria Maluf.

SECOM - Prefeitura da Cidade de São Paulo
Telefones: 3113-8835/ 3113-8831
E-mail: imprensa@prefeitura.sp.gov.br
Acervo de vídeos
Sala de imprensa: imprensa.prefeitura.sp.gov.br

Ações

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Operação comida na mesa