Notícias

Secretaria de Obras publica novos estudos sobre córregos da capital

Os documentos trazem as áreas que atualmente apresentam riscos e mostram as ações preventivas que podem ser tomadas pela administração municipal nos próximos anos

De Secretaria Especial de Comunicação

A Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), em parceria com a Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica (FCTH), publicou ontem, quarta-feira, seis novos Cadernos de Drenagem. As publicações são estudos das bacias hidrográficas dos córregos da cidade. Os documentos trazem as áreas que atualmente apresentam riscos, e mostram as ações preventivas que podem ser tomadas pela administração municipal. Os relatórios são instrumentos de planejamento da gestão, que trata com prioridade a questão da drenagem urbana. O conteúdo está disponível para download neste link.

Foram publicados os estudos das bacias dos córregos Pirajuçara, Uberaba, Água Preta/Sumaré, Aricanduva, Rio Verde e Anhangabaú. Anteriormente, em 2017, foram disponibilizados os estudos dos córregos Água Espraiada, Cabuçú de Baixo, Jacu, Jaguaré, Mandaqui e Morro do S.

“Cada caderno apresenta o diagnóstico das bacias hidrográficas da cidade, as alternativas propostas para solução dos problemas de drenagem e os custos envolvidos. São ferramentas importantes para a capital. Assim, São Paulo está plenamente preparada para atender as demandas de drenagem e ocorrências de alagamentos”, explicou o secretário de Infraestrutura Urbana e Obras, Marcos Monteiro.

Os estudos e diagnósticos presentes nos cadernos estão diretamente relacionados ao planejamento do controle de cheias do município e às demais ações coordenadas pela Prefeitura no campo da drenagem, como por exemplo a meta 32 do Programa de Metas 2021-2024 (construir 14 novos reservatórios). Segundo o engenheiro Pedro Algodoal, consultor de drenagem da SIURB, o “ciclo virtuoso” da gestão integrada do sistema de drenagem urbana da cidade está baseado em um bom planejamento das ações, desenvolvimento de bons projetos que por sua vez irão gerar boas obras, e essas serão monitoradas de perto durante toda sua vida útil.

Um importante projeto que consta nos novos Cadernos de Drenagem é a praça de infiltração da Avenida Nove de Julho, na bacia do Córrego Anhangabaú. A iniciativa prevê a implantação de uma estrutura para retardar o escoamento da água das chuvas, na altura das ruas Engenheiro Monlevade e Professor Picarolo, por meio de valetas e reservatórios sob as calçadas. A SIURB está em tratativas junto ao Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO) para obtenção dos recursos necessários para a elaboração dos projetos executivos da praça de infiltração. Neste link é possível assistir a uma animação sobre o projeto.

O lançamento dos novos estudos contou com o apoio do Instituto de Engenharia, e teve a participação de representantes do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE), da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), da SP Regula, da SPObras, do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (SINAENCO) e da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES).

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Saúde Pós Covid-19