Notícias

Prefeitura realiza ações educativas para o combate ao desperdício de alimentos

O objetivo das ações é desenvolver uma reflexão a respeito do quadro atual da alimentação mundial e incentivar o combate ao desperdício e o reaproveitamento de alimentos, a não geração e o descarte correto de resíduos sólidos

De Secretaria Especial de Comunicação

Neste sábado (16) será comemorado o Dia Mundial da Alimentação. Na Cidade de São Paulo serão desenvolvidas ações educativas relacionando o combate ao desperdício de alimentos, o descarte correto de resíduos sólidos e a importância da compostagem com o conceito de economia circular dos resíduos orgânicos.

As atividades ocorrerão em seis feiras em toda a cidade e serão promovidas pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB - Abast) e pela Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb).

O objetivo das ações é desenvolver uma reflexão a respeito do quadro atual da alimentação mundial e incentivar o combate ao desperdício e o reaproveitamento de alimentos, a não geração e o descarte correto de resíduos sólidos.

Durante as atividades, a população e os feirantes serão conscientizados sobre como o combate ao desperdício de alimentos e a atuação do Banco de Alimentos da Prefeitura de São Paulo, se relacionam com o programa de compostagem e o descarte correto dos resíduos sólidos.

A ação acontece das 8h às 14h, e conta com a parceria da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA). O cidadão que participar leva de brinde saquinhos de composto orgânico, produzido nos pátios de compostagem da cidade.

A coleta dos materiais será realizada por agentes ambientais, que também atuarão para promover a conscientização na região. Os alimentos serão doados para as ONGs que são cadastradas no Banco de Alimentos da Prefeitura, já os materiais recicláveis coletados serão destinados às cooperativas de reciclagem habilitadas na AMLURB, a fim de fomentar e contribuir com a geração de renda para as 940 famílias de cooperados.

As feiras que terão as atividades são nas seguintes vias:

Rua Mourato Coelho- Vila Madalena
Rua Curitiba- Paraiso
Rua Paulino de Brito- Jardim Brasil
Rua Antânio de Siqueira- Parque Cruzeiro do Sul
Rua Loureiro da Cruz- Aclimação
Av. Carlos Obheruber- Vila São José

Composto orgânico

A cidade de São Paulo já produziu mais de 6 mil toneladas de composto orgânico nos cinco pátios do projeto Feiras e Jardins Sustentáveis. A iniciativa da Prefeitura de São Paulo por meio da Amlurb oferece destinação ambientalmente correta para restos de resíduos orgânicos de 220 feiras livres. O adubo é doado para munícipes e pequenos agricultores da cidade e utilizado como insumo em jardins e praças públicas.

Essa ação faz parte de um sistema da Prefeitura que se baseia na economia circular. O que não é descartado é usado no banco de alimentos. A outra parte vai para o pátio de compostagem. Lá é transformado, misturado com poda de árvores e volta para agricultura. Esse adubo melhora a qualidade das frutas, verduras e legumes, que são vendidos mais facilmente. Isso favorece a renda de quem trabalha com eles.

Somente em 2020, a Prefeitura de São Paulo recolheu cerca de 10,5 mil toneladas de sobras que foram encaminhadas para os cinco pátios de compostagem localizados nas regiões da Lapa, Sé, Mooca, Ermelino Matarazzo e São Mateus, e transformadas em material orgânico de qualidade. Em apenas cinco meses de 2021 já foram recolhidas para os pátios cerca de 5 mil toneladas desse produto. Desde o início do projeto já foram retirados das feiras cerca de 25 mil toneladas de resíduos orgânicos.

O composto gera ganhos econômicos e ambientais significativos para o município, além de evitar o despejo de mais volume em aterros sanitários, diminuindo, assim, o deslocamento de caminhões e emissões de dióxido de carbono ao meio ambiente. O total de lixo produzido na capital é de 300 mil toneladas por mês, sendo que 47,3% são resíduos orgânicos produzidos nas residências.

Projeto

O projeto Feiras e Jardins Sustentáveis começa nas feiras com a participação das equipes de educação ambiental das empresas de varrição. Elas orientam os feirantes a deixarem os restos de frutas, hortaliças e legumes, que iriam para o lixo, dispostos em sacos da Prefeitura. Ao final da feira, os agentes de limpeza passam para recolher esse material e o encaminha para os pátios de compostagem da cidade.

Chegando no pátio, os resíduos são misturados com restos de poda de árvore picada e palha. Na sequência, são dispostos em leiras (canteiros) onde acontece o processo de compostagem, que demora em torno de 120 dias. Por fim, esse material é transformado em composto orgânico de qualidade e, em seguida, doado à população. Em 2020, foram cerca de 2 mil pessoas que se beneficiaram com a doação.

Pátios de Compostagem

São cinco os pátios de compostagem:

Lapa - O local conta com nove leiras (canteiros) para receber os resíduos orgânicos de 24 feiras livres da Zona Oeste da capital. O posto fica na avenida José Maria de Faria, n° 487.

- Localizado na Avenida do Estado, 3.330, recebe cerca de 60 toneladas de resíduos orgânicos por semana, vindos das 32 feiras livres nos bairros Bela Vista, Liberdade, Consolação, República, Sé, Santa Cecília, Bom Retiro e Cambuci.

Mooca - Localizado num terreno na rua Cirino de Abreu, 456, recebe, semanalmente, cerca de 60 toneladas de resíduos orgânicos (frutas, legumes e verduras), vindos das 44 feiras livres dos bairros: Água Rasa, Belém, Brás, Mooca, Pari e Tatuapé.

São Mateus – Está na rua Forte de Araxá, 409, e recebe os resíduos das feiras de Itaquera, Sapopemba, Cidade Tiradentes e São Mateus.

Ermelino Matarazzo - Localizado na rua Eduardo Kiyoshi Shimuta - próximo ao nº 111. Podem receber, semanalmente, até 60 toneladas de resíduos orgânicos.

Como solicitar

O agricultor que estiver interessado em receber a doação de composto orgânico deve entrar em contato com a Amlurb pelo telefone (11) 3397-1798 ou e-mail compostagem@prefeitura.sp.gov.br, informando a quantidade desejada. O limite é de 60 kg por munícipe/mês (aproximadamente 2 sacos de 50 litros).

Para agricultores, não há quantidade máxima, porém a AMLURB realizará uma checagem do peso solicitado, área utilizada e finalidade antes da formalização da data para retirada. O agendamento da retirada é de acordo com a disponibilidade dos pátios de compostagem. O horário de funcionamento dos pátios é de terça-feira a domingo, das 14h às 22h.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Saúde Pós Covid-19