Notícias

Capital atinge 79,7% de imunização contra pólio e prorroga vacinação até 30 de outubro

A cobertura básica contra a pólio está abaixo da meta estabelecida pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) que é de 95%

De Secretaria Especial de Comunicação

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, em consonância com o Programa Estadual de Imunizações (PEI), prorrogará até 30 de outubro a campanha de vacinação contra a poliomielite e a multivacinação para crianças e adolescentes, de 0 a 15 anos de idade. 

O objetivo da campanha é atualizar a situação vacinal e aumentar a cobertura para a pólio e outras doenças imunopreveníveis, como meningocócicas C e ACWY, HPV, BCG, hepatites A e B, rotavírus, pentavalente (DTP+Hib+HB), pneumocócica, febre amarela, sarampo, caxumba, rubéola, varicela, difteria/tétano e influenza (vírus causador da gripe). 

Desde o dia 8 de agosto, quando a campanha de multivacinação foi iniciada, até esta quinta-feira (29), a capital aplicou 1.165.679 doses de vacinas, sendo 310.771 contra a poliomielite e 854.908 de outros 15 imunizantes. As campanhas visam ampliar as coberturas, que seguem abaixo do preconizado. 

No caso da pólio, por exemplo, neste ano a cobertura básica está em 79,78%, segundo o registrado até julho, enquanto a meta estabelecida pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) é de 95%. Diante disso, a secretaria recomenda a mães, pais e responsáveis legais de menores de cinco anos que, em virtude da situação de risco iminente de reintrodução do poliovírus no território nacional, levem seus filhos aos postos de saúde para a verificação da situação vacinal a fim de que sejam feitas atualizações, se necessário. 

“A prorrogação é mais uma oportunidade para que os pais levem seus filhos para serem vacinados. As vacinas são a melhor forma de proteção, como ficou ainda mais evidente durante a pandemia de Covid-19. A poliomielite, por exemplo, é uma doença grave que foi erradicada do Brasil no início dos anos 1990 e manter uma alta taxa de cobertura vacinal é a maneira mais eficaz de evitar que o vírus volte a circular”, afirma a secretária-executiva de Atenção Básica, Especialidades e Vigilância em Saúde, Sandra Sabino. “Há também vacinas para outras doenças graves, como febre amarela, sarampo, rubéola, HPV e meningocócicas C e ACWY, estas últimas inclusive tiveram o público ampliado recentemente”, acrescenta. 

A campanha da pólio tem o objetivo de imunizar com a vacina oral contra a poliomielite (VOP), as crianças de 1 a 4 anos e 11 meses que tenham o esquema prioritário completo da vacina inativada contra a poliomielite (VIP). Na vacinação de rotina do calendário, a VIP deve ser aplicada aos dois, quatro e seis meses de idade, e a VOP aos 15 meses e aos quatro anos. 

HPV e meningococo ACWY

Desde o último dia 19, os meninos de 9 e 10 anos de idade estão aptos a receber a vacina contra o HPV (sigla em inglês para papilomavírus humano). Até então, o imunizante era restrito a meninos de 11 a 14 anos e a meninas de 9 a 14 anos. Além disso, agora adolescentes de 13 e 14 anos, de ambos os gêneros, também podem ser imunizados contra o meningococo ACWY, vacina antes voltada apenas à faixa etária de 11 a 12 anos. Essa última medida é temporária e vale até junho de 2023, conforme definição do PNI. 

A vacinação para o HPV previne os cânceres causados por esses vírus. Entre os tipos graves de câncer destacam-se o de colo de útero, vulva, vagina, ânus, pênis, boca e garganta. Outro benefício da vacina é reduzir a ocorrência de verrugas genitais, conhecidas como condiloma. Na capital paulista, em 2021, a cobertura vacinal da população masculina, entre 11 e 14 anos de idade, foi de 57,67%, e da feminina, entre 9 e 14 anos, foi de 68,41%. Os dados são atualizados anualmente, conforme preconiza o PNI, cuja meta é 80% de cobertura. 

A vacinação contra o meningococo ACWY previne quatro tipos diferentes de bactérias causadoras de meningites, que embora sejam doenças de ocorrência raras podem levar cerca de 20 a 25% das pessoas atingidas à morte, e em outros casos deixar sequelas graves como surdez, perda de membros, convulsões etc. 

Vacinação de domingo a domingo e em escolas

A gestão municipal oferta vacinação de domingo a domingo. Os imunizantes estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs)/UBSs Integradas, de segunda a sexta-feira, e nas AMAs/UBSs Integradas aos sábados. Aos domingos, há vacinação em parques e na avenida Paulista. 

Além disso, as equipes da SMS seguirão intensificando a vacinação de crianças em escolas públicas. É necessária a autorização dos pais ou responsáveis para que a vacinação seja feita no ambiente escolar. 

Mesmo que a caderneta de vacinação esteja completa, a SMS reforça a orientação de que os pais e responsáveis devem procurar os postos de vacinação para avaliar a situação vacinal de seus filhos.

Os cidadãos podem consultar a unidade de saúde mais próxima por meio da plataforma Busca Saúde, disponível no link: http://buscasaude.prefeitura.sp.gov.br/.

 

SECOM - Prefeitura da Cidade de São Paulo
Telefones: 3113-8835/ 3113-8831
E-mail: imprensa@prefeitura.sp.gov.br
Acervo de vídeos
Sala de imprensa: imprensa.prefeitura.sp.gov.br

Ações do documento