Notícias

Theatro Municipal realiza programação virtual gratuita durante a pandemia

Com 110 anos de história, equipamento cultural promove lives de espetáculos e podcasts. Conheça mais sobre um dos maiores pontos turísticos da capital

De Secretaria Especial de Comunicação

Mesmo com a pandemia da covid-19, o Theatro Municipal de São Paulo não parou suas atividades. Com programação presencial suspensa até domingo (4), devido à fase emergencial do Plano São Paulo, o equipamento municipal possui programação virtual diversa. No canal do YouTube do TMSP, é possível acompanhar espetáculos, bate-papos com funcionários em formato de lives e conteúdos didáticos. No site é possível fazer também um tour virtual e conhecer melhor a arquitetura do local.

Além disso, a programação conta ainda com o Podcast Theatro Municipal. O conteúdo em forma de áudio destaca algumas atividades da programação do TMSP, combinando o erudito e o popular e trazendo músicas e entrevistas. Se puder, fique em casa e acompanhe a programação on-line.

Viagem ao tempo

No início do século XX, o estado de São Paulo vivia o ápice da fartura do ciclo do café. E é exatamente no cenário dos barões cafeeiros, das plantações do chamado ouro verde e do alto índice de crescimento econômico do estado que o Theatro Municipal de São Paulo (TMSP) foi inaugurado. Com a grande geração de riquezas da época, nascia o desejo da elite paulistana de ter uma vida cultural semelhante à europeia em um espaço luxuoso e memorável.

Inaugurado em setembro de 1911, o Theatro Municipal de São Paulo teve como proposta satisfazer os anseios dessa elite. O projeto de construção foi assinado pelo escritório Ramos de Azevedo e contou com a colaboração dos italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi. O prédio, construído em aproximadamente oito anos, foi o primeiro da cidade a ser totalmente abastecido por energia elétrica.

Com 110 anos de existência, o Theatro Municipal já recebeu grandes companhias desde o início do século XX. Os grupos coroam o local como berço da música clássica ao aclamarem nomes em suas apresentações como Enrico Caruso, Maria Callas, Bidu Sayão, Arturo Toscanini, Camargo Guarnieri, Villa-Lobos, Francisco Mignone, Ana Pawlova, Arthur Rubinstein, Claudio Arrau, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Isadora Duncan, Nijinsky e Baryshnikov.

Acompanhando todos os momentos da história cultural da capital e do Brasil, a casa de espetáculos não se concentrou somente nos espetáculos clássicos e abrigou diferentes eventos como a Semana de Arte Moderna de 1922, um dos mais importantes marcos artísticos brasileiros, que inaugurou o modernismo no país.

Atualmente, o espaço é o berço de diversas atividades culturais e artísticas da capital, tanto clássicas quanto contemporâneas. Localizado na Praça Ramos de Azevedo, região central, o TMSP faz parte do Complexo Theatro Municipal, que abriga também a Praça das Artes e a Central Técnica.

Gestão do Theatro Municipal

A Fundação Theatro Municipal de São Paulo foi instituída pela Lei 15.380 de 27 de maio de 2011, e regulamentada pelo decreto nº 53.225, de 19 de junho de 2011.

O estatuto traz um novo formato administrativo. A partir de então, o equipamento tornou-se uma Fundação de Direito Público vinculada à Secretaria Municipal de Cultura da capital, que apresenta órgãos de Direção, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal em sua estrutura organizacional.

Com a Fundação, o Theatro possui autonomia nos campos administrativo, financeiro, patrimonial e artístico. Atualmente, o TMSP é gerido pela Santa Marcelina Cultura, organização social que administra os objetos culturais vinculados ao Complexo Theatro Municipal de São Paulo.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Saúde Pós Covid-19