Notícias

Tecnologia e inteligência a serviço da segurança na cidade de São Paulo

Aplicativo SP+Segura, gerenciado pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana, coloca cidadão em contato direto com administração municipal

De Secretaria Especial de Comunicação

O alerta de medidas protetivas da Lei Maria da Penha foi acionado no Centro Integrado de Comando e Controle da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e imediatamente, por meio de geolocalização, viaturas da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e da Polícia Militar (PM) foram enviadas ao local para atender a ocorrência. Em poucos minutos, já estavam próximas de uma faculdade na Zona Leste, onde Arlete (nome fictício) estuda.

Ela tem medidas de proteção determinadas pela Justiça contra um ex-namorado que a agrediu, mas possui o aplicativo SP+Segura em seu telefone celular e pode pedir ajuda sempre que se sentir ameaçada com um simples toque no botão de pânico. A Central de Controle conseguiu fazer contato com Arlete via telefone e dessa vez tudo não tinha passado de um mal-entendido. Ela pressionou o botão por engano, guardou o celular na bolsa e foi assistir sua aula.

Esta ocorrência foi relatada pelo inspetor Luís Flavio Rodrigues, diretor da Divisão de Análise e Planejamento responsável pelo aplicativo SP+Segura, gerenciado pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana. “Felizmente, dessa vez foi apenas um engano, mas, mesmo assim, as viaturas chegaram rapidamente ao local e, se ela estivesse realmente correndo risco, nossas equipes teriam plenas condições de proteger a vítima, assim como já aconteceu em inúmeras outras situações”, informa.

O aplicativo SP+Segura é muito fácil de usar. Está disponível gratuitamente para os sistemas IOS e Android e permite que o cidadão envie um alerta em tempo real para vários tipos de ocorrência. Os dados referentes ao endereço dessa ocorrência são enviados para o Centro de Controle. Em caso de urgência, a ferramenta facilitará sua ligação para os órgãos de segurança. O Centro de Controle vai acompanhar todo o atendimento no mapa, por meio dos sistemas de geolocalização e GPS dos dispositivos móveis.

Alguns dos alertas que o usuário do aplicativo pode enviar são relativos a ocorrências de acidente, pessoa suspeita, roubo, pichação, perturbação do sossego, Lei Maria da Penha, incêndio, enchente, drogas, moradia irregular, desaparecimento e crime sexual. Há também aqueles relacionados à zeladoria da cidade e cidadania como buracos, descarte irregular de lixo e entulho, queda de galhos e árvores, entre outros.

O cidadão ainda pode enviar fotos e conversar com um dos atendentes via mensagem de texto.

“Já temos 55 mil usuários do SP+Segura, mas nossa meta é chegar a um milhão”, destaca o secretário de Segurança Urbana, José Roberto Rodrigues de Oliveira. Segundo ele, a participação da população é fundamental e “eleva a segurança da cidade a outro patamar”.

O secretário também ressalta que a Plataforma de Tecnologia Operacional e de Gestão para Segurança Pública SP+Segura é uma das mais completas do mundo, pois agrega informações do programa Compstat Paulistano, sistema que teve origem em Nova York, nos Estados Unidos, utilizado para coibir a criminalidade por meio de dados estatísticos com informações geográficas e, dessa forma, antecipar-se à ocorrência.

Os dados, que são fornecidos pelo aplicativo SP+Segura e pelo Sistema INFOCRIM da Secretaria de Segurança Pública do Estado, são utilizados para auxiliar a Guarda Civil Metropolitana a realizar um planejamento estratégico para expandir o patrulhamento preventivo, principalmente em áreas de maior probabilidade de crimes.

O sistema foi desenvolvido pela empresa P2A2 e cedido gratuitamente à Prefeitura até 2023.

Ações do documento

Vídeos

Como solicitar o tapa-buraco

Ver agenda completa