Notícias

Sete dicas para cumprir a rotina de remédios com segurança

Uso correto de medicação, com respeito à dose e ao horário, é fundamental para o sucesso e eficácia de um tratamento

De Secretaria Especial de Comunicação

O uso de pelo menos uma dose diária de medicação é uma prática comum. Seja um remédio de uso contínuo ou pontual, ou ainda um suplemento nutricional. Seguir a indicação médica, a posologia do remédio e manter uma rotina para o uso de medicamentos é fundamental para o sucesso do tratamento. O paciente deve fazer exatamente o que o médico recomendou e, em caso de dúvidas ou reações, o profissional deve ser procurado.

O uso incorreto de medicamentos pode mascarar os sintomas de uma doença ou mesmo agravar algum quadro ainda desconhecido.

Uma prescrição médica é exclusiva para cada paciente, tem uma finalidade específica para o seu tratamento e não deve ser compartilhada com outras pessoas.

Por fim, vale o alerta: resista às indicações de amigos e parentes que tomaram um remédio para determinado problema. Essa medicação pode não ser a que você necessita.

Confira as dicas para uma rotina de remédios segura:

1. Respeite o receituário
Tome apenas remédios prescritos especificamente para você. Em uma busca paralela pela cura, o paciente pode agravar o problema.

2. Não pare
Não interrompa o tratamento sem acompanhamento ou orientação de um profissional. Mesmo em caso de melhora, o remédio precisa completar o seu ciclo de atuação. Medicamentos para diabetes, colesterol e hipertensão são de uso contínuo.

3. Doses sempre certas
Mantenha uma lista com a ordem e o uso dos medicamentos. Respeite também os horários: seja de 12h em 12h, de 8h em 8h ou a cada 6h, mantenha a regularidade.

4. Fale com o médico
Em caso de reações adversas, um médico ou serviço de saúde deve ser procurado. O uso momentâneo ou contínuo de outros medicamentos também deve ser comunicado.

5. Cuidado ao armazenar
Guarde corretamente o seu medicamento. Leia o rótulo e siga as recomendações para que o remédio tenha sua duração conservada e não perca a eficácia.

6. Remédio e bebidas
O uso de medicação concomitante com bebidas alcoólicas, refrigerantes, chá e café deve ser evitado. Essas bebidas podem interagir com a medicação provocando reações adversas.

7. Cuidado com a automedicação
A automedicação aumenta os riscos de intoxicação. Medicamentos indicados por parentes, amigos ou vizinhos não devem ser utilizados. Cada organismo é único e reage de um jeito a determinada substância. Sintomas iguais não necessariamente significam doenças e tratamentos iguais. O remédio para um pode não ser o ideal para o outro.

Em caso de sintomas como febre, dores, mal-estar, procure a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de casa ou trabalho e agende uma consulta. Os endereços estão na plataforma Busca Saúde.

--

A rotina de remédios foi tema no canal Ativa Idade no canal da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) no Youtube. Dê o play e assista ao episódio abaixo com as dicas completas:

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Família Acolhedora