Notícias

Segunda edição do Sem Barreiras promoveu acessibilidade e artistas com deficiência

Edição realizada entre os dias 7 e 13 de dezembro foi totalmente virtual e contou com apoio de várias instituições culturais da cidade

De Secretaria Especial de Comunicação

A segunda edição do “Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência”teve todos os espetáculos transmitidos virtualmente em plataforma acessível nas redes sociais da SMPED, Facebook @smpedsp e YouTube @inclusaosp. O evento, que aconteceu de 7 a 13 de dezembro, foi viabilizado por meio das Secretarias Municipais de Cultura (SMC) e da Pessoa com Deficiência (SMPED), com o apoio da Biblioteca Mário de Andrade e de várias instituições culturais da cidade. Neste ano, após cada apresentação o artista realizou uma live ao vivo, em um bate-papo descontraído, contando um pouco da história de sua trajetória.

“A segunda edição do Festival Sem Barreiras destaca o trabalho de diversos artistas das mais variadas linguagens, como o samba, o rap, o teatro e a fotografia para dividirem com o público, além de seus talentos, a força da narrativa por um mundo mais justo e empático, na construção de um campo civilizatório, que é o que todos sonhamos e queremos", destaca o secretário municipal de Cultura, Hugo Possolo.

O objetivo primordial desta ação foi promover o protagonismo da pessoa com deficiência em duas dimensões, na prática, abrindo espaço para artistas com deficiência se apresentarem e mostrarem seu talento, bem como, conceitualmente, transmitindo a todas as pessoas com deficiência mensagem de empoderamento.

“A cultura é a chave que abre portas, muda mentes, conceitos e elimina preconceitos. A criação do Festival Sem Barreiras foi e será, sem dúvida alguma, um agente de transformação na vida de muitas pessoas”, declara o secretário municipal da Pessoa com Deficiência e idealizador do projeto, Cid Torquato.

Ao todo foram 75 espetáculos, espalhados nos mais de 20 parceiros culturais, que se uniram ao Sem Barreiras, para levar programação de qualidade com acessibilidade, outro tema relevante no evento. Itaú Cultural, SESC, Instituto Moreira Salles, MASP, Casa das Rosas, Japan House, Centro Cultural Coreano no Brasil, Pinacoteca, Museu da Diversidade Sexual, Museu do Futebol, Tom Brasil e várias outras instituições. Exposição, fotografia, teatro, música, dança, literatura, programação infantil, contação de histórias e rodas de conversa fizeram parte da programação da cidade, que é a capital da cultura.

Uma ação grandiosa como esta, não poderia deixar de contar com apoiadores de peso, sensíveis ao objetivo do evento. Foram eles: AACD, Acessibiliza_sp, Arte 1, Beplay, Casa Hunter, Cognizant, Fundação Dorina Nowill, Hand Talk, Sodexo, Tela Mágica, TV Cultura, SPTrans, CPTM, Metrô e Secretaria Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD).

Com o sucesso do Programa Cultura Inclusiva, a Prefeitura de São Paulo passou a divulgar os símbolos de audiodescrição, Libras e Closed Caption (legenda) na programação cultural da cidade. A iniciativa é um estímulo para que outros equipamentos públicos e privados, além de roteiros e guias culturais, também apresentem em seus serviços os símbolos de acessibilidade comunicacional, alcançando o público de pessoas com deficiência auditiva e visual.

Para conferir tudo que rolou, acesse o site e confira vídeos e fotos desta edição:
www.festivalsembarreiras.prefeitura.sp.gov.br

Ações do documento