Notícias

Saúde: Zona Leste terá unidade inédita para cuidados continuados de pacientes

O primeiro Cuidados Continuados Integrados (CCI) da capital vai funcionar na região de Ermelino Matarazzo

De Secretaria Especial de Comunicação

Um equipamento da Prefeitura de São Paulo para desafogar os leitos de hospitais e oferecer cuidados continuados, intensivos e integrados a pacientes cirúrgicos da rede municipal. Esta é a proposta do Cuidados Continuados Integrados (CCI) Leste – Ermelino Matarazzo, que está em obras na Zona Leste e será o primeiro equipamento do tipo na capital.

Nos próximos meses, o prédio de número 27 na rua Catarina Alvares, onde funcionou o Hospital Maternidade Menino Jesus, abrirá as portas para pacientes que são submetidos a cirurgias e necessitam de tratamento prolongado ou UTI de longo e médio prazo, com cuidados de readaptação. Serão 45 leitos e serviços de fisioterapia, psicoterapia e terapia ocupacional.

O imóvel foi adquirido pela Prefeitura em 2014 e sua reativação sempre foi uma reinvindicação da população. As obras do CCI estão inseridas no Programa Avança Saúde SP, resultado de acordo entre a Prefeitura de São Paulo e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O investimento nesta unidade é de R$ 6,8 milhões

O complexo possui aproximadamente 1.300 metros quadrados divididos em dois pavimentos que terão 12 dormitórios, ampla área externa, consultórios, farmácia, duas salas de TV, cozinha, refeitório, sanitários, salas de observação, de reunião e espaço multiuso.

O CCI Leste Ermelino Matarazzo será o primeiro a ser implantado no município, e a perspectiva é de novas seis unidades que beneficiarão em sequência as regiões sudeste, sul, centro, oeste e norte, onde já existe local definido no Tucuruvi.

Programa Avança Saúde São Paulo

Assinado no primeiro semestre de 2019, o acordo entre a Prefeitura e o BID firmou a contratação do financiamento de US$ 100 milhões (cerca de R$ 575 milhões) para reestruturação e qualificação das redes assistenciais de Saúde da cidade de São Paulo.

O investimento total no programa Avança Saúde SP será de US$ 200 milhões (R$ 1,150 bilhão) nos próximos cinco anos, dos quais US$ 100 milhões serão obtidos com o financiamento junto ao BID e o restante como contrapartida da Prefeitura.

No total, estão previstas mais de 150 obras distribuídas por toda a capital e 60 mil profissionais da Saúde municipal em aperfeiçoamento para atender à população nas unidades de Saúde e também nas estações tecnológicas que devem operar com a Telemedicina.

Além de novas construções, partes dos recursos serão investidas para a aquisição de equipamentos de média e alta complexidade para a área da Saúde, como tomógrafos e aparelhos de ressonância magnética.

Com isso, a Prefeitura poderá ampliar a oferta, melhorar as condições de acesso e aprimorar a qualidade dos serviços municipais no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital.

Ações do documento