Notícias

Novo Centro de Acolhida tem capacidade para receber 260 pessoas

No imóvel, localizado na região central, os atendidos recebem quatro refeições diárias, serviços de higiene e manutenção do dormitório

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), inaugurou neste mês mais um Centro de Acolhida Especial (CAE) para famílias em situação de rua, localizado na região central, no terreno do antigo Hotel Plaza, também chamado de Art-Palácio. O imóvel tem 70 quartos, com capacidade para atender 260 pessoas  e foi adaptado para receber as famílias.

Os núcleos familiares são compostos por mulheres e homens trans, mães solo, famílias que antes estavam acolhidas em serviços diferentes, entre outras situações. O local dispõe de suítes quádruplas, triplas ou duplas e os conviventes recebem quatro refeições diárias, serviços de higiene e manutenção do dormitório.

Ricardo Alves, acolhido pela unidade, fala como o espaço transformou a sua vida e de seus filhos. “Eu acho muito importante este centro de acolhida, porque se não tivesse este local, o que eu iria fazer com os meus quatro filhos, sem emprego, sem dinheiro? Provavelmente, iria ficar na rua”, disse.

Ricardo Roberto Pinto, também acolhido pelo CAE, fala da felicidade de ter um local para morar. “Eu estava morando na rua com minha mulher e três filhas. Conseguir esse espaço foi uma vitória, porque tirei minha família do risco, agora estamos em segurança. Posso até sair para trabalhar”.  

“Neste hotel as famílias conseguem ficar unidas. As equipes do CAE irão atuar para que essas pessoas sejam inseridas na sociedade, que possam trabalhar para, futuramente, conquistar até uma casa própria”, declarou Edneide Correria da Silva, representante do Centro de Referência e Desenvolvimento Comunitário Correia (CRDC).

O atendimento social é realizado pela equipe técnica da parceria entre a SMADS e a Organização da Sociedade Civil (OSC) Centro de Referência e Desenvolvimento Comunitário Correia (CRDC). O serviço já recebeu 12 famílias no novo centro de acolhimento.

Ações do documento