Notícias

Quarentena continua em São Paulo até 10 de agosto

Cidade se manteve na etapa amarela do Plano São Paulo para a retomada consciente das atividades econômicas

De Secretaria Especial de Comunicação

A cidade de São Paulo se manteve na etapa amarela do Plano São Paulo, programa que conta com um controle rigoroso de indicadores de saúde, além da reabertura gradual e consciente de atividades não essenciais. Esta nova etapa de flexibilização inicia outra fase do período de quarentena, em vigor até 10 de agosto.

“A cidade de São Paulo vem colecionando bons resultados desde que iniciou o seu trabalho de prevenção ao coronavírus. Nós passamos pela oitava semana de queda no número de mortes por conta desta doença. Nós atingimos um ápice na semana de 18 a 24 de maio, com um total de 767 mortes na cidade. Desde então, este número vem reduzindo”, disse o prefeito Bruno Covas, que continuou: “Apesar dessa queda constante de oito semanas e da cidade estar sempre evoluindo no Plano São Paulo, nós ainda estamos enfrentando a pandemia”, completou o prefeito, durante entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado.

Atualmente, a flexibilização intermediária da etapa amarela abrange a capital, as regiões sub-regiões Leste, Oeste, Sul e Sudeste da Grande São Paulo, além das intermediações de Araraquara, Baixada Santista e Registro. Ela permite reabrir bares, restaurantes e salões de beleza com 40% da capacidade, além de academias com 30% de vagas e expediente limitado a seis horas por dia.

“Nós não podemos relaxar ou descuidar. Temos que executar o plano com atenção e cuidado. São bons sinais que mostram fortalecimento das medidas que temos adotado, com apoio de prefeitos e prefeitas do estado”, disse o governador João Doria.

Os três principais índices que medem a propagação da pandemia são os que controlam o número de casos, a expansão da pandemia (com o número de óbitos) e a quantidade de internações.

“Quero aproveitar a oportunidade para parabenizar o prefeito Bruno Covas pela excelente postura de responsabilidade, precaução e prevenção para todos os munícipes de São Paulo, que frente a situação austera, conseguiram fazer com que a cidade permanecesse 28 dias na zona amarela, dando um aceno para logo mais essa flexibilização aumente as chances das pessoas poderem circular”, disse o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn,

 

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Merenda Escolar Sustentável

Ver agenda completa