Notícias

Projetos tecnológicos da periferia recebem aporte financeiro pelo Vai Tec

Foram entregues cheques no valor de R$ 33.100,00 aos representantes de 24 empresas aceleradas pelo Programa de Valorização de Iniciativas Tecnológicas

De Secretaria Especial de Comunicação

Vinte e quatro representantes de empresas aceleradas pelo Programa de Valorização de Iniciativas Tecnológicas (Vai Tec) estiveram nesta quarta-feira (11), na sede da Prefeitura, para receber os cheques com o aporte financeiro de R$ 33.100,00. O programa, que está em sua quarta edição, é executado pela Ade Sampa - Agência São Paulo de Desenvolvimento, entidade ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho.

“’Esse é um programa que consegue atuar em várias frentes e em várias preocupações que a Prefeitura tem, como a vocação da cidade para a economia criativa, garantir que as pessoas tenham outras formas de emprego e renda e, principalmente, porque embora a Prefeitura possa construir inúmeras pontes e viadutos, a obra mais importante que um político tem a fazer é aquela que diminui as distâncias sociais, que dá oportunidade para quem não tem, atuar com mais firmeza e força na população que mais precisa do poder público”, disse o prefeito Bruno Covas.

Nesta edição, a Ade Sampa selecionou para apoiar 24 negócios das periferias da capital paulista com capacitações, mentorias e acesso a rede de contatos. O objetivo do Vai Tec é fortalecer o ecossistema do empreendedorismo nos extremos de São Paulo auxiliando jovens a criar, desenvolver, validar e impulsionar negócios inovadores, promovendo o desenvolvimento local e a geração de emprego e renda.

“A periferia está cheia de ideias e de bons negócios que só precisam de um apoio para se destacar. Queremos cada vez mais empreendimentos inovadores que contribuam com o desenvolvimento econômico e social da cidade, por isso realizamos esta quarta edição do Vai Tec”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso. “Já qualificamos 160 empreendedores pelo Vai Tec e essa é a primeira vez que o número de mulheres participando do programa é maior do que o de homens. Isso mostra como boas ideias podem surgir de qualquer lugar e qualquer gênero”, complementa.

A Prefeitura investirá mais de R$ 1 milhão na 4ª edição do Vai Tec, sendo R$ 800 mil diretamente aos empreendedores e cerca de R$ 250 mil na realização das atividades, que irão até dezembro de 2019.

As inscrições da quarta edição ocorreram durante os meses de março e abril. Ao todo, 225 jovens tiveram interesse em participar do programa e ter seus negócios acelerados. Foram selecionados 48 empreendedores, que tiveram quatro minutos para convencer uma banca formada por especialistas em empreendedorismo, a ser escolhidos como um dos 24 negócios para participar do Vai Tec.

Dos 225 interessados, 51% são mulheres, 35% têm entre 20 e 29 anos, 48% têm ensino superior completo e 33% médio. Do total, 58% possui fonte de renda própria e 34% dos candidatos possuem renda de R$ 998 a R$ 1.996.

O maior número de candidatos está na região de M’Boi Mirim, região sul da capital. 12% dos candidatos residem no distrito, seguido por 11% no Campo Limpo, e 7% em Capela do Socorro, Guaianases e Itaquera, respectivamente.

“Políticas públicas como o Vai Tec são fundamentais para que possamos continuar incentivando o empreendedorismo na quebrada e criar pontes que geram a transformação social da capital. Toda ideia pode ser um grande negócio, para isso ela só precisa ser lapidada e é isso o que fazemos com o Vai Tec”, declara o presidente da Ade Sampa, Frederico Celentano.

 

Sobre a fase de aceleração
Uma das metodologias utilizadas pelo Vai Tec é a Aceleração, que acompanha a evolução de cada projeto, ajudando-os em seu desenvolvimento e crescimento. Antes disso, foram realizados eventos de Inspiração em diversas regiões da capital para troca de experiências entre os vencedores desta e de edições anteriores do programa.

A etapa tem duração de seis meses e os responsáveis pelos projetos escolhidos serão capacitados em gestão, incluindo aspectos técnicos, jurídicos, mercadológicos e habilidades como testes de solução, pesquisas de mercado, gerenciamento de equipes, de canais de clientes, marketing e tecnologias.

Os jovens contarão com assessorias personalizadas de acordo com a necessidade do empreendimento, além de rede de contatos e acesso a eventos, conteúdos e recursos de parceiros do programa.

 

Empresas certificadas

  1. Parça da Esperança: O projeto é um negócio social, que utiliza tecnologia e programação para resolver problemas na área da segurança pública.
  2. GP - Convex: Plataforma que conecta o pequeno negócio ao mundo digital, utilizando machine learning e robôs web para facilitar a criação e monitoramento de campanhas no marketing digital.
  3. Ó REVU: Desenvolve uma linha de movelaria sustentável para venda no e-commerce, com projetos especiais, sob medida, conforme a demanda dos clientes.
  4. 2PCOM: Plataforma de conexão entre profissionais freelancer (na área da comunicação, publicidade e marketing) com empreendedores iniciantes.
  5. Dentro da Caixa: Plataforma Web e Mobile como um serviço de facilitação de acesso a jogos modernos de tabuleiro (Boardgames) e suas variações (Jogos de carta, livros de RPG e jogos analógicos em geral).
  6. Arrenda Horta: Implementa hortas em espaços ociosos de residências de famílias de baixa renda com comercialização de alimentos por meio do uso de tecnologias sociais e de tecnologias de informação e comunicação.
  7. Megê: Pacote de reforma e construção com tecnologia sustentável.
  8. ERX: Atendimento consultivo empresarial de finanças, contabilidade, recursos humanos, marketing e/ou jurídico otimizando custo e tempo já que disponibiliza todos estes serviços em um único lugar.
  9. Click Esmalteria e Barbearia: Empreendimento atua como se fosse um “uber” da estética, com cadastro de profissionais residentes nos bairros periféricos.
  10. Pro Hound: Desenvolve tecnologia para monitoramento de temperatura e gastos excessivos de energia. Gera indicadores automáticos do desempenho das máquinas, identifica falha de desempenho online, automatizando o diagnóstico de falhas, baixo custo para qualquer tamanho de empreendimento.
  11. Movon: Um serviço que estuda as principais particularidades e interesses pessoais dos usuários, traçando o perfil de cada um deles e, assim, indicando experiências gastronômicas, culturais, esportivas dentre outros na cidade de São Paulo.
  12. Studio Liliam: Um ateliê que produz e restaura móveis com foco na sustentabilidade e tecnologias de reaproveitamento de materiais que foram descartados de  forma irregular no meio ambiente.
  13. Cestas para Consumo Responsável: Trata-se de cestas de produtos orgânicos, com produtos híbridos entre o oferecimento de cestas fechadas de produtos e uma ampla lista para produtos avulsos aliado a políticas de incentivo à assinaturas mensais.
  14. Sue The Real: Estúdio brasileiro de jogos focados em narrativas afro-brasileiras.
  15. A Visionária: A Visionária é uma produtora de conteúdo que produz a partir de um laboratório de conhecimento com metodologias próprias.
  16. Sonego Bistrô: Gerar uma experiência gastronômica e incentivar, que outros empreendedores no ramo de gastronomia tenham acesso em seus empreendimentos, reproduzindo algumas coisas que dão certo no Bistrô.  O projeto gera uma experiência gastronômica com a utilização de PANCs - Plantas Alimentícias Não Convencionais, pratos e louças de artesãs do território, cervejas artesanais produzidas por empreendedores da região.
  17. Curibocas: Marca de roupas e acessórios idealizada para trazer referências afro-indígenas para a periferia do Grajaú, pensando em processos sustentáveis socialmente, economicamente e ambientalmente corretos.
  18. Sacola Marginal: Loja colaborativa online que reúne o trabalho de artistas, artesãos e pequenos produtores culturais negros, lgbts e periféricos.
  19. LERATO: Um grupo de mulheres costureiras e aprendizes que trabalham na desconstrução de calças jeans usadas para a construção de saias exclusivas.
  20. Barber run: Aplicativo que interliga clientes e barbeiros para cortes de cabelo, em qualquer lugar e a qualquer hora.
  21. InQuimica: Startup de Pesquisa e Desenvolvimento de produtos e soluções. No momento produzem e comercializam o Puro&Bom, que retira até 85% dos Metais Pesados e Agroquímicos das frutas, verduras e legumes.
  22. Orgânicos Periferia: Ponto de encontro entre consumidores, produtores de alimentos orgânicos da cidade de São Paulo – Grajaú e Parelheiros.
  23. Desfrute: Plataforma que oferta serviços saúde cultura, lazer, cursos e experiências tecnológicas para pessoas acima de 50 anos de idade.
  24. Eco Labo: Desenvolve tecnologias sustentáveis (energia solar, eólica, desidratadores, bomba solar, irrigação de jardim e horta, captação água da chuva, biodigestor, bombas manuais, etc).

 

Perfil dos empreendedores certificados pelo Vai Tec

  • 9 são da Zona Sul, 8 da Zona Norte e 7 da Zona Leste
  • 51% feminino, 49% masculino
  • 72% se identificam como negros e 28% como brancos,
  • Idade média de 31 anos
  • 85% possuem renda familiar de até três salários mínimos
  • 42% possuem o empreendimento como única fonte de renda familiar

Ações do documento

Vídeos

SPlica - Regularização de débitos com a Prefeitura