Notícias

Prefeitura promove Festival Sem Barreiras com programação virtual para crianças

Diversidade, preconceito e capacitismo serão abordados em números de dança, circo, teatro e contação de histórias de 7 a 13 de dezembro

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Cultura (SMC) e da Pessoa com Deficiência (SMPED), apoio da Biblioteca Mário de Andrade e parceria de várias instituições culturais da cidade, realizará a segunda edição do “Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência”, de 7 a 13 de dezembro.

O objetivo primordial desta ação é promover o protagonismo da pessoa com deficiência, abrindo espaço para artistas com o mesmo perfil se apresentarem e mostrarem seu talento, bem como, conceitualmente, transmitindo a todas as pessoas com deficiência mensagens de empoderamento.

O festival deste ano traz programação infantil para a criançada curtir do sofá de casa! Serão abordados temas importantes sobre o universo da pessoa com deficiência e que falam de diversidade, preconceitos e capacitismo como contação de história, teatro, dança e circo.

Todos os espetáculos da Prefeitura serão transmitidos virtualmente, em plataforma acessível pela SMPED no Facebook @smpedsp e no YouTube @inclusaosp. A novidade é que, após cada apresentação, o artista estará em uma live ao vivo, num bate-papo descontraído, contando sobre sua trajetória.

Não deixe de conferir a programação das instituições culturais parceiras,

Agenda para a criançada 


7 de dezembro, segunda-feira, 11h – Intervenção Bricante Vem Brincar Também! é uma ação performática de brincadeiras tradicionais, apresentada de forma interativa pelo Ponto de Cultura Ritmos do Coração, voltado para a promoção de inclusão e acesso no âmbito da cultura da infância. A atividade, na versão virtual, consiste em propor de maneira criativa brincadeiras diversas, em formatos acessíveis, visando estimular a participação das crianças com e sem deficiência e incentivar, de forma lúdica e sensível, através narrativas simbólicas, histórias cantadas e cantigas de roda, o gosto pela nossa cultura e tradições populares, além do respeito e valorização da diversidade. As atividades serão conduzidas por cinco artistas e terão início com um cortejo brincante, convidando a todos para participarem da diversão, cada um na sua casa.


8 de dezembro, segunda-feira, 11h – Menina Pássara na Gaiola  - Inspirada no livro “O Grito da Gaivota”, da escritora surda francesa Emmanuelle Laborit, o grupo êBA criou esta aventura, onde som e silêncio dialogam para a construção de um momento lúdico, cheio de brincadeiras, sons e recursos visuais para quem ouve com os ouvidos e com os olhos também. O espetáculo, narrado em português e Língua Brasileira de  Sinais (Libras), e protagonizado por uma artista surda e já foi apresentado em eventos como Virada Cultural Paulista, Sesc Paraty/RJ, Parque Vicentina Aranha – São José dos Campos-SP, Sesc Consolação-SP, Semana Sinais da Arte – MAM/SP, Museu Felícia Leirner – Campos do Jordão, entre outros espaços culturais, para públicos diversos.

09 de dezembro, quarta-feira, 11h – Juca na Garagem  - Um projeto itinerante que usa como base de transporte e fonte de histórias um tradicional fusca branco de 1978. Entre as diversas coisas que traz das viagens há livros e brinquedos que contagiam crianças e adultos de todas as idades, surdos, ouvintes e curiosos. O espetáculo bilíngue (português e Libras), realizado pelo grupo êBA! (formado por ouvintes e a atriz surda Catharine Moreira), traz no repertório histórias autorais, que buscam mostrar um pouco da realidade da cultura surda, contribuindo para sensibilizar o público em relação à Língua de Sinais.

10 de dezembro, quinta-feira, 11h – Vida de Circo é um espetáculo que une três grandes artes: o circo, a dança e o teatro. Conta com a participação de dez artistas em cena com e sem deficiência, que atuam juntos há dez anos. Com uma linguagem poética e contemporânea, o elenco conta a história da cigana Laura e sua trupe, que vivem em uma lona de circo. Laura fala do cotidiano do circo como lavar roupa, as viagens e os imprevistos, por meio de números de acrobacias de solo e aéreos, sketes de clown, coreografias de dança contemporânea e dança de salão. 

11 de dezembro, sexta-feira, 10h – Contação de história em Libras inspirada em “Como pegar uma estrela” Era uma vez um menino que amava as estrelas. Ele queria muito ter uma estrela só para ele. Será que isso é possível?

11 de dezembro, Quinta-feira, 17h – Alices no País Adaptado, do Coletivo de Rodas para o Ar, conta a atuação de nove artistas com deficiência . O público irá se surpreender com a história clássica de Alice, porém com muitas danças. 

Confirma programação completa no sitewww.festivalsembarreiras.prefeitura.sp.gov.br

Ações do documento