Notícias

Prefeitura oferece aulas gratuitas de português para imigrantes

Interessados em participar do Programa “Portas Abertas” podem se cadastrar até 20 de agosto

De Secretaria Especial de Comunicação

Os interessados em participar do programa “Portas Abertas: Português para Imigrantes” podem se inscrever até dia 20 de agosto. As inscrições são feitas nas próprias unidades de ensino que oferecem o curso. A data de início das aulas deve ser confirmada e divulgada em breve.

É importante lembrar que
alunos podem ingressar no curso a qualquer momento até o final do semestre letivo, procurando diretamente nas unidades escolares. Para obter o certificado de cada módulo, porém, é necessário que os estudantes tenham comparecido a pelo menos 75% das aulas durante o semestre.

Qualquer imigrante pode participar do curso. Não serão impeditivos para inscrição no curso: 
- A falta de documentos 
- A situação migratória (imigrante, apátrida, refugiado, etc.) 
- A nacionalidade

O programa
O Projeto “Portas Abertas: Português para Imigrantes” é uma iniciativa conjunta entre a Secretaria Municipal de Educação (SME), a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), com o objetivo de oferecer curso de português gratuito, regular contínuo e permanente para imigrantes na Rede de Municipal de Ensino
. A ideia é garantir e preservar direitos para a população imigrante da cidade de São Paulo.

O curso também propicia a inserção no mercado formal de trabalho e ainda a promoção da regularização migratória. Este projeto conta também com a cooperação do Centro de Línguas da Universidade de São Paulo (USP), para a capacitação dos professores das Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) e a elaboração do material didático.
As aulas serão ministradas por professores efetivos da Rede Municipal de Ensino, devidamente capacitados.

Como se inscrever:
As inscrições devem ser feitas, sempre, diretamente na escola escolhida para assistir as aulas.

Para efetuar a matrícula basta apresentar quaisquer tipos de documentos de identificação (serão aceitos aqueles emitidos no Brasil ou mesmo no país de origem), como:
- Protocolos de Solicitação de Refúgio; 
- Protocolo de RNE (Registro Nacional de Estrangeiro); 
- RNE (Registro Nacional de Estrangeiro); 
- CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social); 
- CPF (Cadastro de Pessoa Física); 
- Documentos emitidos no país de origem como passaporte, carteira de identidade ou de qualquer outra espécie.

É necessário ainda apresentar, na secretaria da escola onde pretende frequentar as aulas, a ficha de inscrição preenchida (download aqui) e um comprovante de residência. Caso não possua este último, pode ser preenchida a declaração de residência (download aqui) também para entrega na secretaria da escola.

Somente professores efetivos da Rede Municipal de Ensino podem dar aulas no curso. Para tanto, é necessário participar de uma formação específica, oferecida conjuntamente entre a Secretaria Municipal de Educação (SME), a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e o Centro de Línguas da Universidade de São Paulo.

Para sanar eventuais dúvidas e outros questionamentos a respeito do programa, acesse a nossa lista de perguntas e respostas mais comuns a respeito do Portas Abertas.


São Paulo na TV

Serviços para Idosos