Notícias

Prefeitura obtém recursos e realiza importantes obras contra alagamentos

Ações de zeladoria também ocorrem para amenizar transtornos causados pelos temporais

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura realiza obras que a curto e médio prazo vão minimizar os alagamentos nos pontos mais recorrentes na cidade. Entre elas, a do piscinão RCO- 1, na Zona Sul, que quando concluído permitirá reduzir substancialmente os impactos das enchentes na Bacia do Córrego do Cordeiro, e a do piscinão do Ipiranga, na região da Avenida Abraão de Moraes.

“Nós temos várias ações em toda a cidade. São obras de canalização e piscinões, que atendem ao clamor da população”, disse o secretário municipal de Serviços e Obras, Marcos Penido. A prioridade da gestão é concluir as obras já iniciadas, por entender que nelas já foi investido dinheiro público sem que, até o momento, tenha revertido em benefícios à população.

Havia uma série de projetos com documentação incompleta para os repasses federais. A atual gestão regularizou a situação dos empreendimentos de 10 dos 13 termos de compromisso firmados com a Caixa Econômica Federal, além de buscar soluções alternativas para realizar obras.

As seis principais obras de infraestrutura são:

1.  Nova Galeria da Rua Pindamonhangaba

A Galeria do Córrego da Mooca – Rua Pindamonhangaba, na Zona Leste, terá o investimento de R$ 23 milhões e está em fase de captação de recursos.

2.  Piscinão Mooca 2

Este reservatório terá a capacidade para armazenar 135 mil m³ de água, com o investimento de R$ 96 milhões, e está em fase de captação de recursos.

3. Piscinão do Córrego Ipiranga

No último domingo (26), o prefeito João Doria visitou as obras do piscinão do Ipiranga, o reservatório Riacho Ipiranga (RI 02), na região da Avenida Abraão de Moraes, na Zona Sul de São Paulo. Elas foram iniciadas em agosto e têm previsão de término no 2º semestre de 2019. Conduzida pelo Consórcio FBS/Coveg, ela faz parte de um conjunto de obras que será executado para minimizar os problemas recorrentes de enchentes naquela região e está orçado em cerca de R$ 160 milhões, sendo R$ 122 milhões de repasses do Ministério das Cidades.

O reservatório é constituído por dois compartimentos com aproximadamente13 metrosde profundidade e capacidade conjunta para armazenar 200 mil metros cúbicos. Ele receberá as águas excedentes do Riacho do Ipiranga, do córrego Água Vermelha e do córrego Cacareco. O novo piscinão será aberto e o esvaziamento acontecerá parte por gravidade e o restante por meio de um sistema de bombas.

O conjunto de obras a ser executado abrange 3 prefeituras regionais: Vila Mariana, Jabaquara e Ipiranga. Estão previstas ainda a execução de280 metrosde galerias do córrego Cacareco e a canalização do Riacho do Ipiranga, em um total de2.455 metrosde canalização e galerias.

4. Mini piscinão da Vila Itaim

Este é um pedido aguardado por mais de dez anos dos moradores das regiões afetadas pelas enchentes na região. A construção é uma iniciativa conjunta do Governo do Estado e da Prefeitura, por meio de um convênio que conta com a participação do DAEE, DERSA, Secretaria Municipal de Serviços e Obras (SMSO), Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB) e Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA). Quando concluído, o mini piscinão, com capacidade para armazenar 19 mil m³ de água, poderá beneficiar mais de dez mil moradores.

O Governo Estadual irá investir R$ 96,4 milhões na obra, sendo R$ 58,4 milhões na construção do mini piscinão e R$ 38 milhões em desapropriações. O DAEE já realizou a licitação e contratação da obra, que tem a previsão de ser concluída após 16 meses do seu início.

5. Mini Piscinão Aricanduva

Dentro do contrato que prevê obras avaliadas em R$ 169 milhões, está em sendo concluído a construção do mini piscinão Aricanduva (R6), com capacidade para armazenar 3,2 mil m³. A estimativa é que ele já entre em operação neste verão, para minimizar os transtornos causados por alagamentos na Avenida Aricanduva, região das ruas Manilha, Astarte e João Bueno. Na região, também estão previstos outros três mini piscinões, que devem ter as obras iniciadas ainda em 2018.

6. Obras do Córrego Cordeiro

O piscinão RCO- 1, em obras na Zona Sul, quando concluído permitirá reduzir substancialmente os impactos das enchentes na Bacia do Córrego do Cordeiro, na região de Americanópolis. O investimento é de R$ 54,1 milhões e prevê também a canalização do Córrego dos Alcatrazes. As duas obras têm previsão de entrega para abril e fevereiro, respectivamente.

Programa de Redução de Alagamentos - PRA

O Programa de Redução de Alagamentos (PRA) da Prefeitura possui contratos no valor de R$ 36,9 milhões, sendo 34,4% dos recursos vindos do Governo Federal (PAC Drenagem) e 65,6% do município (FMSAI e Fundurb).

Em 2017, estão em andamento as obras nas regiões do Jardim São Luiz (ZS), Lapa (ZO), Jardim Peri (ZN), Vila Curuçá (ZL) e na Cidade dos Bandeirantes (ZO), Penha (ZL), Jardim Aricanduva (ZL), Jardim Bonfiglioli (ZO) e na Vila Formosa (ZL).  Em 2018, estão previstas ainda intervenções no Brooklin (ZO), Lapa (ZO), Vila Mariana (ZS), Jardim Paulista (ZO) e Pinheiros (ZO).

Manutenção

A Secretaria das Prefeituras Regionais administra 20 piscinões na cidade de São Paulo. Durante este ano, os córregos da capital já receberam mais de 1.425.243 metros lineares de limpeza manual e 78.315 metros lineares de limpeza mecanizada, com orçamento de R$ 150 milhões, que também contempla conservação de galerias, piscinão e microdrenagem.

“Todas as 32 Prefeituras Regionais estão mobilizadas com prioridade para a limpeza de bueiros, de galerias e também dos piscinões. As equipes estão na periferia, nos principais entornos das regiões de alagamentos, em um trabalho diário que não para poder minimizar ao máximo os impactos da chuva que vem por aí”, diz o secretário municipal das Prefeituras Regionais, Claudio Carvalho.

O sistema de limpeza pode ser realizado de duas formas: mecanizada ou manual. Enquanto a mecanizada é feita com maior frequência no período de estiagens, a manual ocorre, normalmente, de segunda a sábado, e consiste em retirada de detritos pequenos (garrafas PET, papéis, vegetação). Nesse período, o volume de detritos retirado dos córregos foi de 634.589 metros cúbicos.

A regularidade desse serviço é estipulada pelas 32 Prefeituras Regionais e intensificada no período de chuvas. A função primordial dos piscinões é armazenar o excesso de águas das chuvas evitando, assim, o transbordamento de córregos e, consequentemente, os alagamentos em seu entorno. Gradativamente, a água reservada escoa para os córregos. São Paulo possui 281 córregos com extensão de 1.216 km.

A poda e retirada de árvores também é fundamental para evitar quedas e interferência na rede elétrica, sobretudo no período de chuvas. Neste ano, a Prefeitura já realizou a poda em mais de 82.850 árvores e removeu mais de 9.780 que apresentavam risco de queda.

Faça o download da apresentação do secretário Marcos Penido (Serviços e Obras): https://we.tl/o5RcC9C4LZ

Leia também:
Chuvas de Verão: Prefeitura lança aplicativo e compartilha dados com Defesa Civil do Estado

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Educomunicação

Ver agenda completa