Notícias

Prefeitura lança sistema digital para cidadão monitorar e fiscalizar implementação de instrumentos do novo Plano Diretor

Dados estão divididos por anos, subprefeituras e distrito com indicadores, apresentados em gráficos para facilitar compreensão. Plano Diretor foi sancionado em julho de 2014 e ordenará desenvolvimento por 16 anos

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo lançou na tarde desta segunda-feira (5) o Sistema de Monitoramento do Plano Diretor Estratégico (PDE). Com a ferramenta, o cidadão poderá fiscalizar e acompanhar por meio da internet a implementação das estratégias e instrumentos da lei, sancionada em julho de 2014 e que ordenará o desenvolvimento urbano da cidade de São Paulo por 16 anos.

Os dados podem ser acompanhados por meio de gráficos apresentados conforme escolha do usuário do sistema –por região, subprefeitura ou distrito–, ano a ano, divididos em mais de 60 indicadores já disponíveis online. Também é possível acessar o texto ilustrado da lei, 12 vídeos com legendas em inglês, espanhol e português que explicam de forma didática pontos do PDE, além de infográficos. Durante o lançamento, o prefeito Fernando Haddad assinou o decreto que regulamenta o sistema.

“Tenho certeza que esse monitoramento vai dar a todos nós indicadores que vão confirmar que essas diretrizes precisam ser respeitadas no longo prazo. Vamos poder acompanhar produção de moradia, mobilidade urbana, e vão perceber que o norte e o rumo da cidade está bem traçado”, disse o prefeito.

A disponibilização do material tem por objetivo fomentar pesquisas, promover a difusão do conhecimento e a apropriação dos conteúdos da lei pela sociedade, criando um processo coletivo de construção, revisão e aperfeiçoamento de políticas públicas municipais. A atualização da plataforma será feita por cada uma das secretarias responsáveis pelos dados, com supervisão do Comitê Intersecretarial de Monitoramento e Avaliação do Plano Diretor Estratégico (CIMAPDE), regulamentado em Decreto.

“Essa plataforma vai permitir, de um lado, o controle social, ou seja, permitir que a população faça a mensuração dos efeitos concretos das políticas públicas e a partir do acesso aos dados possa retroalimentar todo o processo de formulação e de monitoramento. Do outro lado, é fundamental também para retroalimentar as reflexões e as tomadas de decisão dos gestores públicos”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano, Fernando de Mello Franco.

A criação de um sistema para monitorar o andamento do PDE está prevista no próprio Plano Diretor e faz parte da estratégia de fortalecer a participação popular nas decisões dos rumos da cidade. Durante o processo de construção de texto do PDE, foram realizadas 114 audiências públicas presenciais com mais de 25 mil participantes, além de 4.464 contribuições que vieram pela internet.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Saúde Pós Covid-19

Ver agenda completa