Notícias

Prefeitura investe R$ 200 milhões em nova etapa do programa Asfalto Novo

Início desta fase será em 1º de março e contemplará 147 km de vias da capital. Avenida do Estado, que não recebe recape desde 2012, terá novo asfalto

De Secretaria Especial de Comunicação

Atualizado em 15/03/2018, às 11h38

O prefeito João Doria anunciou nesta quinta-feira (8) uma nova etapa do programa Asfalto Novo, com investimento de R$ 200 milhões, sendo R$ 45 milhões do Tesouro Municipal, R$ 100 milhões do fundo de multas, R$ 25 milhões da SPTrans e R$ 30 milhões financiados pelo Santander.

"Algumas áreas recapeadas não viam asfalto novo há 35 anos. Esse é um compromisso da cidade de São Paulo e felizmente nós estamos cumprindo graças ao bom trabalho que vem sendo realizado”, disse o prefeito João Doria.

Nesta nova fase, que começa em março e tem previsão de término em 30 de junho, serão recapeadas mais de 60 vias, num total de 147 km, contemplando todas as Prefeituras Regionais. Entre as vias está a Marginal Tietê, que terá 23 km recapeados, e a Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello.

A Avenida do Estado, que não recebe recape desde 2012, é outra via escolhida e terá as obras realizadas com os recursos provenientes do financiamento junto ao Santander. Serão asfaltados 9,7 km no trecho entre a Pres. Castelo Branco-Marginal do Tietê e o Viaduto Grande São Paulo. A mesma avenida terá ainda mais 3 km recapeados em uma próxima etapa, totalizando 12,7 km.

“Começamos pela Zona Leste muito forte e também pela Zona Sul na primeira fase, principalmente nas regiões periféricas que tinham uma necessidade, e agora nós já estamos atendendo as 32 Prefeituras Regionais no maior programa de asfalto dos últimos anos”, ressalta o secretário das Prefeituras Regionais, Cláudio Carvalho.

Todo o investimento da SPTrans será para obras de recuperação, manutenção e recapeamento de faixas e corredores exclusivos de ônibus na cidade. Os recursos vêm do Fundo Municipal de Desenvolvimento do Trânsito (FMDT). 

Corredores de ônibus

A Prefeitura também está negociando um financiamento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no valor de R$ 450 milhões. O processo de financiamento está em estágio avançado.  As secretarias de Serviços e Obras e de Mobilidade e Transportes estão à frente dos entendimentos com o BNDES para liberação dos recursos.

O financiamento vai viabilizar a revitalização completa de sete eixos de corredores de ônibus, vias, faixas e passeios importantes da cidade, incluindo as obras do novo Rapidão, na Zona Sul. Em alguns corredores, o piso asfáltico será substituído pelo piso rígido (concreto).

O Rapidão previsto no projeto é o corredor de ônibus que será implantado na Estrada de Itapecerica, entre o Terminal João Dias e o Terminal Capelinha, na Zona Sul, numa extensão de3,4 km. Ele vai utilizar tecnologia de última geração, com equipamentos e mobiliário para cobrança desembarcada em estações de pré-embarque, onde será realizado o pagamento das passagens. Este modelo mais rápido de embarque e desembarque pode economizar até 20 minutos no tempo de percurso.

Os outros seis eixos viários incluídos no pacote do financiamento são os seguintes:

- Av. Imirim: da Av. Deputado Emídio Carlos até a Alameda Afonso Schmidt (4,6 km);

- Corredor João Dias: recomposição total e piso rígido desde o Terminal João Dias até a Av. Santo Amaro; e desde a Av. Santo Amaro até o cruzamento com a Av. dos Bandeirantes (7 km);

- Av. Interlagos: desde a Av. Washington Luiz até a Av. Atlântica (9 km)

- Estrada do M’Boi Mirim: Rua Ribeiralta e Rua Humberto Marçal, no Jd. Ângela (5 km)

- Av. Amador Bueno da Veiga (5 km)

- Av. Radial Leste: do Centro até o entroncamento com a Av. Aricanduva (7,9 km)

Obras em andamento

A etapa anterior do programa Asfalto Novo, que teve início em novembro de 2017, foi dividida em dois lotes e beneficia 76 vias. O primeiro lote tem investimento de R$ 200 milhões em 147 km de ruas e avenidas. Já o segundo, com investimento de R$ 150 milhões, contempla 110 km de vias. O fim dos trabalhos desta etapa está previsto para 30 de março.

Do total de R$ 350 milhões desta etapa, R$ 210 milhões são do Fundo de Multas, R$ 100 milhões do Tesouro Municipal e os outros R$ 40 milhões investidos pela SPTrans no recape de corredores de ônibus. Foi a primeira vez que se utilizou recursos de multas para obras de asfaltamento.

O programa Asfalto Novo traz como grande novidade a qualidade superior do asfalto e cuidados durante sua aplicação, o que garante maior durabilidade ao recapeamento. Ao contrário das ações anteriores, em que a recuperação do pavimento era padronizada e uniforme, uma avaliação do pavimento existente através de levantamentos e inspeções permite a aplicação do asfalto adequadamente à cada via.

O controle da qualidade já começa na visita às usinas que fornecerão a matéria-prima. Além dos ensaios tecnológicos e laudos fornecidos pelas próprias empresas, a Prefeitura também fará a verificação por meio de uma empresa independente. Mas a durabilidade do asfalto também depende da adequação das guias e sarjetas, que devem estar em boas condições. Para isso, as empresas responsáveis pelo recapeamento terão de fazer sua requalificação e conservação sempre que necessária.

* O conteúdo foi atualizado na data porque havia um erro de informação que precisou ser corrigido

 

Vídeos

Plano de combate ao mosquito Aedes Aegypti