Notícias

Prefeitura inicia operação Carlos Caldeira Segura para reduzir acidentes na via da Zona Sul

Programa já foi aplicado na Estrada do M´Boi Mirim e na Avenida Celso Garcia

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, iniciou nesta sexta-feira (09) a operação Carlos Caldeira Segura com medidas estruturais e operacionais para aumentar a segurança da via e reduzir acidentes. A avenida da Zona Sul da capital recebeu melhorias na sinalização horizontal e vertical, aumento do efetivo de agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e alterações viárias em pontos críticos.

A via também teve a reprogramação dos semáforos para garantir a segurança dos pedestres. Assim como implantado nos programas M´Boi Segura e Celso Garcia Segura, a CET reforçou as ações com faixas, banners e quatro Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs), para a orientação dos usuários

O secretário de Mobilidade e Transportes, João Octaviano Machado Neto, destaca que a administração tem adotado medidas dentro do conceito de via segura para reduzir os riscos de acidentes. Para ele, além de melhorar a sinalização, o monitoramento e a fiscalização na avenida, também é fundamental que os usuários se comportem de maneira adequada. “É muito importante que os motoristas respeitem as leis de trânsito e que os pedestres utilizem a faixa para realizar a travessia”, conclui.

De acordo com os dados da CET, a Carlos Caldeira Filho apresentava riscos elevados de acidentes por automóveis, principalmente por desrespeito às leis de trânsito. A via teve ocorrência de duas mortes em 2017, no entanto, os números deste ano apontaram para a necessidade de intervenção de segurança. No 1º semestre de 2018, foram registradas sete mortes, em cinco acidentes.

Após análise das ocorrências, a CET identificou pontos críticos, por exemplo, na altura no número 33. Foram registrados choques de veículos contra o muro de proteção da coluna. “Os dados consolidados apontaram para a necessidade imediata de ações de engenharia de tráfego. Implantamos elementos estruturais e nova sinalização para proteger pontos passíveis de choque”, explica o presidente da CET, Milton Persoli.

Resumo das medidas implantadas:

- Implantação de tachões e de zebrado amarelo divisor de fluxos opostos, criando um canteiro central, entre a Rua Joaquim Teixeira e a Estrada do Campo Limpo;

- Implantação de faixas de segurança mais largas em travessias com elevados volumes de pedestres – aumento de 4 metros de largura para 6 metros;

- Implantação de defensa tipo New Jersey para proteção do pilar na altura no número 33, próximo à Rua Baldomero Carqueja;

- Implantação de defensa metálica próximo à Avenida das Belezas;

- Aumento do efetivo da CET passando de 4 agentes para 19 nos dias úteis;

- 341 novas placas de trânsito, 630 tachões e 950 tachas; 

- 4.500 m2 de sinalização horizontal revitalizada;

- 10 técnicos da SPTrans e 16 funcionários das empresas operadoras orientando os motoristas de ônibus. 

Agentes da CET e da São Paulo Transporte (SPTrans) também irão reforçar os trabalhos na implantação da faixa reversível exclusiva de ônibus, ativada no pico da manhã, de segunda a sexta-feira, das 6 às 9 horas, entre a Avenida das Belezas e a Avenida Giovanni Gronchi. O trecho de 1,3 km teve a sinalização ampliada, com a colocação de duas placas luminosas alertando usuários para a operação de reversão.

A SPTrans irá trabalhar em conjunto com as empresas que operam as linhas de ônibus da Carlos Caldeira Filho, para que orientem os funcionários quanto aos princípios de direção defensiva e segurança viária, atenção aos pedestres – em especial nas faixas de travessia – e o respeito à velocidade máxima da via.

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes tem adotado medidas voltadas à redução de acidentes e proteção à vida. Como resultado, houve queda de 7% nas mortes na capital em 2017, na comparação com 2016. Em 31 de julho de 2017, a SMT implantou a M´Boi Segura, responsável pela redução de 47% do número de mortes anuais em acidentes de trânsito naquela via. Os dados consolidados da CET, de 31 de julho de 2017 a 31 de julho de 2018, mostram oito mortos na via, em acidentes de trânsito, contra 15 mortes no mesmo período do ano anterior.

A Avenida Carlos Caldeira Filho tem 4,9 km de extensão e contra com três estações de metrô da Linha 5 (Vila das Belezas, Campo Limpo e Capão Redondo), além de quatro terminais de ônibus próximos (João Dias, Capelinha, Capão Redondo e Metrô Campo Limpo).


Vida Segura

A Carlos Caldeira Segura faz parte das ações que englobam o Programa Vida Segura, anunciado em maio deste ano, que adota o conceito de Visão Zero, que parte da premissa de que nenhuma morte é aceitável no trânsito. Criado na Suécia em 1997, o Visão Zero já é usado como referência para a implementação de um plano de segurança viária de longo prazo em cidades como Nova York, Cidade do México, Bogotá e, mais recentemente, São Paulo.

O Programa Vida Segura inclui ações já em desenvolvimento pela Secretaria como Marginal Segura, M’Boi Segura, Celso Garcia Segura, controle da velocidade dos ônibus em 50 km por hora, Sexta sem Carro e Áreas Calmas.

Vídeos

Plano de combate ao mosquito Aedes Aegypti