Notícias

Prefeitura incentiva agricultura familiar que fornece orgânicos para merenda escolar

Pátio de compostagem de resíduos na região de Parelheiros vai fornecer adubo aos produtores rurais que fornecem para a Secretaria da Educação

De Secretaria Especial de Comunicação

O prefeito Bruno Covas visitou Parelheiros nesta quarta-feira (23), e acompanhou a assinatura de Termo de Cooperação entre a Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), por meio do Projeto Ligue os Pontos, e a AMLURB (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana), para instalação de um pátio de compostagem de resíduos, que produzirá adubo para os agricultores familiares da região que fornecem alimentos orgânicos para a merenda escolar.

"Estive em Nova York em uma reunião com o Michael Bloomberg, ex-prefeito da cidade, e ele parou a reunião para saber como estava o projeto Ligue os Pontos aqui em São Paulo. É o mundo olhando para um projeto como esse que, ao mesmo tempo, tem a ver com atividade econômica, porque gera emprego e renda, tem relação com o meio ambiente desde a proteção das nascentes até a utilização de insumo que não agridem o meio ambiente, e também tem o lado social já que estamos falando de uma das regiões mais carentes da cidade”, destaca o prefeito.

A implantação de pátios de compostagem descentralizados cumpre a meta prevista no Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de reduzir a quantidade de lixo enviada para os aterros sanitários, além de representar, para os agricultores de Parelheiros, a redução de custos de produção, incentivando-os a continuar na atividade agrícola, e uma alternativa para o uso de fertilizantes químicos, sobretudo por se tratar de uma área de proteção aos mananciais. 

Merenda orgânica

Com a parceria com os agricultores de Parelheiros, a Secretaria Municipal de Educação consolida o Programa de Alimentação Escolar da cidade que começa no campo e vai até as salas de aula da rede municipal de São Paulo. Até 1.490 escolas de 18 prefeituras regionais devem receber verduras orgânicas produzidas por agricultores familiares da Cooperativa Agroecológica dos Produtores Rurais e de Água Limpa da Região Sul de São Paulo (Cooperapas). Esta é a primeira vez que alimentos orgânicos produzidos na capital são servidos na merenda escolar da rede pública municipal.

O contrato assinado em fevereiro e com duração de um ano prevê a aquisição de 56 toneladas de hortaliças orgânicas e em fase de transição agroecológica, como repolho, cebolinha, alface crespa e escarola. O investimento é de R$ 239 mil.

Hortas escolares

Além dos produtos servidos na alimentação escolar, o programa inclui a implantação de hortas escolares. Em 2017, o programa cresceu 70%, chegando a 592 unidades educacionais. Com um programa de apoio técnico e investimento de parceiros, esse número deve chegar a mais de 900 unidades em 2018.

Para isso, os educadores passam por formação especifica para a implantação destes espaços e para proporcionar aos alunos conhecimento desde a produção dos alimentos orgânicos, estímulo de hábitos alimentares saudáveis e até o processo de compostagem. 

Currículo e ODS

Todos estes conceitos são articulados com o novo Currículo da Cidade que traz os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU articulados aos conteúdos trabalhados em sala de aula, como Boa Saúde e Bem Estar (ODS 3), Consumo e Produção Responsável (ODS 12), Cidades  e Comunidades Sustentáveis (ODS 11) e Emprego Digno e Crescimento Econômico (ODS 8), entre outros.

Ligue os Pontos

O principal objetivo do projeto Ligue os Pontos é fortalecer os produtores de alimentos e a cadeia da agricultura familiar na Zona Sul de São Paulo, evitando que as áreas cultiváveis sejam tomadas pela urbanização e coloquem em risco a segurança hídrica da cidade.

O projeto foi o vencedor do concurso “Mayors Challenge2016”(Desafio dos Prefeitos), promovido pela Bloomberg Philantropies para a América Latina e Caribe, e vai receber, ao longo de três anos, um prêmio de US$ 5 milhões para sua implementação. O Acordo de Cooperação com a fundação filantrópica criada por Michael R. Bloomberg foi assinado pela Prefeitura em 21 de novembro de 2017.

O Ligue os Pontos atuará com iniciativas relacionadas à produção, comercialização e processamento de alimentos pela agricultura familiar da Zona Sul da cidade, procurando incidir sobre o uso do solo na região e sobre a condição de vulnerabilidade social dos habitantes dessa área, que conta atualmente com cerca de 300 unidades produtivas. Algumas delas já estão convertidas ou em processo de conversão para a produção orgânica e, com orientação adequada, poderão incrementar as áreas de plantio associadas à recuperação e à preservação de nascentes de água e de mata atlântica. 

Além disso, o Ligue os Pontos pretende incentivar o acesso dos moradores de São Paulo a alimentos de qualidade, como prevê o programa Alimento Saudável. Lançado em novembro de 2017, ele conta com ações de várias pastas, entre elas, as secretarias municipais de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE), Verde e Meio Ambiente (SVMA) e Educação (SME). A SME está ampliando a compra de produtos da agricultura familiar e de orgânicos para a merenda escolar da rede municipal de ensino e por meio do Alimento Saudável, a Prefeitura implementa sua política de segurança alimentar e combate ao desperdício de alimentos.

São Paulo na TV

Serviços para Idosos