Notícias

Prefeitura entrega primeira etapa das obras do Hospital Municipal de Campanha do Anhembi

Nesta fase serão 887 leitos de baixa complexidade, sendo 64 deles de UTI. O segundo período terá início a partir da segunda quinzena de abril

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), conclui na próxima segunda-feira (6) a primeira etapa das obras de implantação do Hospital Municipal de Campanha do Anhembi, em Santana, Zona Norte da capital. Nesta primeira fase serão entregues 887 leitos de baixa complexidade - sendo 64 de UTI (estabilização) -, dos 1.800 previstos. O restante dos leitos entrará em operação a partir da segunda quinzena de abril.

Esses primeiros leitos ficam localizados no Palácio de Convenções do Anhembi e no Pavilhão Oeste e serão administrados por duas organizações sociais: Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas) e Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) -, que já atuam em parceria com a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde em outras unidades da capital.

"A partir da entrega da obra, as organizações começarão a montar e testar os equipamentos, trazer insumos e medicamentos, além de realizar treinamentos com a equipe multiprofissional (médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais e técnicos de radiologia) e orientar como deverá ser o fluxo de funcionários", declarou o doutor Luiz Carlos Zamarco, coordenador do Núcleo de Assistência Hospitalar do Comitê de Coronavírus da SMS.

De acordo com o especialista, até o momento atual, os hospitais municipais estão acomodando os pacientes de baixa, média e alta complexidade. Portanto, as internações no HMCamp do Anhembi estão previstas para começarem no fim da próxima semana.

"A Prefeitura se preparou com antecedência na montagem dos hospitais de campanha, prevendo o pico da pandemia. No entanto, o início do uso dessas unidades poderá ocorrer um pouco mais tarde, pois a curva de crescimento dos casos de covid-19 está achatando", afirmou o Dr. Zamarco.

Enquanto a primeira fase estiver sendo concluída, a montagem dos outros 913 leitos no Pavilhão Norte/Sul continuará em andamento. O hospital de retaguarda contará com mais de 2.100 profissionais.

Portas fechadas

O equipamento de saúde funcionará de portas fechadas: as pessoas não devem procurar atendimento direto no local. Os pacientes com covid-19 chegarão, exclusivamente, trazidos por ambulâncias vindas dos equipamentos de saúde do município (hospitais, pronto-socorros, Unidades de Pronto Atendimento e Assistências Médicas Ambulatoriais).

Ações do documento

Vídeos

SPlica - Atendimento no Cate

Ver agenda completa