Notícias

Prefeitura entrega obras de reestruturação no Hospital Municipal Vereador José Storopolli

Unidade é referência no atendimento da população da Zona Norte da capital

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), entregou nesta terça-feira (07/07) às obras de readequação realizadas na estrutura do Pronto-Socorro - Emergência, Pronto Atendimento, na sala de Tomografia e o novo Tomógrafo com 16 canais, do Hospital Municipal Vereador José Storopolli (HMVJS), conhecido como “Vermelhinho”, na Zona Norte da capital. 

Segundo o prefeito Bruno Covas, a última reforma que haviam feito nesse hospital foi entre os anos de 1988 e 1992. “Essa obra de R$ 540 mil entrou como contrapartida da Uninove, a custo zero. Também estamos entregando o novo tomógrafo. Já são 14 novos tomógrafos entregues na cidade. O equipamento e toda reforma necessária para usá-lo é fruto de uma emenda parlamentar com recursos de R$ 1,12 milhão”, explicou Covas.

Os avanços contribuirão no fluxo de emergência com a inclusão de ambientes de apoio técnico, sala de apoio para o atendimento aos familiares e a triagem adequada dos pacientes ao hospital. 

A reestruturação do Pronto-Socorro - Emergência incluiu a readequação dos leitos de estabilização e observação adulto e pediátrica, ampliação do salão principal, instalação de ambientes de apoio técnico, e o Pronto Atendimento agora conta com ambientes de classificação adulto e infantil, novo ambiente para recepção e registro, e três novos consultórios de clínica médica.

A substituição do tomógrafo, que agora conta com 16 canais, e a readequação da estrutura física para receber o novo equipamento, é um importante ganho tecnológico, uma vez que atual terá capacidade de aquisição de imagens 8 vezes maior, pois dispõe de bomba de contraste que possibilita a inserção de protocolos assistenciais e ofertas de exames mais modernos.

Com 27 anos de inauguração, o HMVJS conta com uma estrutura de 14.733 m2 construídos e 204 leitos divididos em clínica médica, pediátrica, cirurgia geral, ginecológica e obstétrica, ortopédica, além de ambulatório de especialidades médicas e pós-operatórias e atualmente conta com 40 leitos de UTI, incluindo leitos de covid-19.

“Nós tínhamos, inclusive, pacientes que eram deslocados de ambulância até o tomógrafo mais próximo e tinham que voltar depois ao hospital. Com isso nós vamos atender melhor a população. Esse é um hospital referência para Zona Norte. Hospital, inclusive, que a Prefeitura colocou para atendimento nesse momento de pandemia do coronavírus. Temos aqui uma taxa de ocupação de UTI que hoje está na faixa dos 65%, mas a rede pública municipal opera com uma faixa de 55%”, completou o prefeito Bruno Covas.

A unidade é gerenciada por meio de contrato de gestão pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina – SPDM.

Internações em decorrência da covid-19

As solicitações de internações na rede pública de saúde em decorrência do novo coronavírus estão caindo na capital paulista.

“No momento mais difícil da pandemia na cidade, nós chegamos a ter num dia a solicitação de 350 internações, entre 85 e 90 delas de UTI. No último fim de semana nós tivemos 22 solicitações de internação de enfermaria e 11 solicitações de UTI. É uma queda bastante importante”, destacou o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

Flexibilização

Mesmo com reabertura gradual e segura de alguns setores do comércio na capital, a população deve continuar mantendo os cuidados sanitários.

“A população entendeu que o processo de flexibilização não significa o fim da pandemia. É preciso reforçar a necessidade das pessoas continuarem a se isolar, só sair sair de case em necessidade e utilizar máscara”, disse o prefeito Bruno Covas. As pessoas mudaram a sua cultura, mudaram o seu dia a dia e a rotina”, finalizou o prefeito.

Ações do documento