Notícias

Prefeitura entrega 562 unidades habitacionais na Zona Sul

O Conjunto Habitacional Chácara do Conde levará o nome de ‘Prefeito Bruno Covas’ em homenagem ao prefeito que retomou as obras do local e realizou melhorias na região

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, em parceria com o Governo de Estado e com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), entregou nesta sexta-feira (8) as primeiras 562 unidades habitacionais do “Conjunto Habitacional Chácara do Conde – Prefeito Bruno Covas”, localizado no Grajaú, Zona Sul da capital. Viabilizado pelo Programa Mananciais da Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB), o empreendimento conta com 10 quadras e duas fases de produção para beneficiar 1.290 famílias que sonham com a casa própria.

“O Programa Habitacional do nosso Plano de Metas é bastante ousado, com a estimativa de produção de 49 mil unidades. Só nesse ano foram entregues duas mil, mostrando o comprometimento de São Paulo com a questão”, disse o prefeito Ricardo Nunes, que anunciou a construção de mais 3.112 apartamentos na região.
Nessa primeira fase, os 562 apartamentos referentes as cinco quadras (B, C, D, E e H). “Não tenho nem palavras. Foram muitos anos de espera, lutando por esse sonho, mas agora vai ser só alegria. É ajoelhar e agradecer a Deus pela conquista”, disse a futura moradora, Roseli Barbosa.

A segunda fase do empreendimento está em obras para construção de mais 728 unidades em outras cinco quadras, que serão concluídas por meio de Convênio entre a Secretaria Municipal de Habitação e Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), com previsão de entrega para o segundo semestre de 2022.

“O maior sonho da família brasileira é ter uma casa própria que dá a segurança de criarmos os nossos filhos e netos com dignidade. Não só esses apartamentos, mas os avanços que virão a partir de agora, ajudarão todos vocês a realizar esses sonhos”, disse o vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia.

Investimentos

O contrato efetuado em outubro de 2012, teve o valor de R$ 280 milhões, com investimento de R$ 56 milhões por parte da CDHU. Até o momento, para a primeira fase foram investidos cerca de R$ 126 milhões, sendo cerca de R$ 93 milhões da Prefeitura de São Paulo e R$ 33 milhões por parte do Governo do Estado.
Para a segunda fase foram investidos até o momento cerca de R$ 26 milhões, sendo R$ 23 milhões por parte da Prefeitura de São Paulo e R$ 3 milhões, do Governo estadual. Para o término das obras serão utilizados os R$ 110 milhões do convênio entre SEHAB e CDHU.

No valor total para a construção das 1.290 unidades habitacionais estão inclusas também obras de urbanização realizadas para a construção do empreendimento, como canalização, infraestrutura, terraplanagem, drenagem, esgotamento sanitário, abastecimento de água e pavimentação.

Conjunto Habitacional

O empreendimento conta com 1.290 unidades habitacionais, divididos em 10 quadras, com apartamentos de 02 e 03 dormitórios. O condomínio conta com 10 zeladorias, 10 brinquedotecas, 7 salas de estudos, 7 bicicletários, 10 centros comunitários e estacionamento. Também possui sistema de acessibilidade com rampas que permitem acesso às quadras e às áreas de uso coletivo.

O projeto de urbanização no entorno do condomínio prevê cinco áreas verdes no loteamento, que somadas representam 120.434m², nas quais haverá o plantio de mais de 7.500 mudas.

Famílias beneficiadas

As famílias beneficiadas foram removidas das áreas Alto da Alegria, Cantinho do Céu, Corrégo Reimberg, Erundina, Francisco Inácio Solano, Guaicuri, Pilão, Nossa Senhora de Fátima, Pabreu, Chácara do Conde, Jardim São Bernardo III e Tanquinho, todas localizadas na região do extremo sul de São Paulo.

Serão contempladas no empreendimento 268 famílias que estavam recebendo o benefício de auxílio aluguel e 294 removidas por obras de urbanização de favelas, que fazem parte do Programa Mananciais.

Homenagem

Como costumava dizer: “A pior obra é a obra parada”, o prefeito Bruno Covas retomou em agosto de 2018 as obras que estavam paradas desde 2015. A entrega das unidades habitacionais na região era uma das prioridades da sua gestão que entendia a urgência e necessidade de melhorias na comunidade. Também foram retomadas as obras de urbanização na região.

Asfalto

Para atender uma demanda antiga dos moradores da região, durante a entrega das chaves nesta sexta-feira, o prefeito Ricardo Nunes assinou a contratação de um quilômetro de asfalto para fazer a ligação entre os bairros do Jardim Mirna e Jardim São Bernardo, hoje de terra.

“Não adianta ter discurso, tem que ter entrega. A população precisa ser atendida com boas escolas, bom atendimento médico, uma boa locomoção e esse é o nosso desafio”, disse Ricardo Nunes.

Programa Mananciais

O Programa Mananciais tem como objetivo a despoluição das represas Billings e Guarapiranga. Essas duas sub-bacias hidrográficas se estendem por vários municípios da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), a mais populosa do país, com cerca de 21,5 milhões de habitantes (fonte: IBGE de 2018). Somada a população que vive no território das duas sub-bacias, temos cerca de 1,8 milhão de habitantes (850 mil na Guarapiranga e 950 mil na Billings), sendo que a maior parte está concentrada nas bordas das duas represas, na cidade de São Paulo, onde vivem 600 mil habitantes, um terço da população total que vive na região.

As duas represas têm um papel importante no abastecimento da população da região metropolitana, pois respondem, em tempos de normalidade hídrica, pelo abastecimento de 4 milhões de pessoas (20% da população da RMSP), constituindo-se no segundo maior produtor de água da RMSP.

A terceira fase do Programa Mananciais visa a urbanização de 64 áreas precárias, bem como a construção de 6,7 mil novas unidades habitacionais para o reassentamento das famílias que se encontra em situação de risco e em frentes de obras. Para proteger a ocupação de novas áreas, está prevista a implantação de um conjunto de parques e espaços públicos ao longo dos córregos que chegam às represas, bem como nas suas bordas.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Saúde Pós Covid-19