Notícias

Prefeitura de São Paulo lança site do programa City Câmeras

Ferramenta vai permitir que qualquer cidadão ou empresa possa disponibilizar sua câmera para integrar sistema de monitoramento de segurança

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura lançou, nesta terça-feira (11), o site do City Câmeras, com orientações à população e a empresas sobre como participar do programa. O site (www.citycameras.prefeitura.sp.gov.br) será uma plataforma de monitoramento de segurança da cidade, reunindo imagens de todas as câmeras conectadas ao sistema e que poderão ser acessadas diretamente pelos distritos policiais, batalhões da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana (GCM), garantindo mais agilidade nas ações de prevenção e combate ao crime e contribuindo nas investigações. O sistema também é integrado ao Detecta, da Secretaria Estadual da Segurança Pública.

O prefeito João Doria destacou a parceria com o Governo do Estado na área de segurança. "Desde a segunda semana da gestão, nos reunimos com o comando da Polícia Militar, Secretaria de Segurança Pública, Delegacia Geral e temos feito uma ação absolutamente integrada em vários projetos, inclusive neste, o Cidade Segura, onde se insere o City Câmeras", informou o prefeito.

O City Câmeras surgiu da necessidade de se aliar segurança, tecnologia e participação da sociedade e será uma importante ferramenta do poder público para detectar, prevenir e reagir a situações de emergência na cidade de São Paulo. O principal diferencial é a participação da população. Para formar essa rede de monitoramento, além das câmeras dos órgãos públicos, serão utilizadas câmeras de segurança residenciais e as que estão instaladas em pontos comerciais.

Para participar do sistema, a pessoa deve contratar uma empresa de armazenamento de imagens em nuvem, o que possui custo inferior ao cobrado pelo armazenamento em gravadores. Além disso, as imagens ficam mais seguras na nuvem e não podem ser apagadas. O interessado também deve ter equipamento que atenda aos requisitos técnicos mínimos (veja mais detalhes no fim do texto) e um link de acesso à internet. Quem participar do programa receberá um login e uma senha para acessar o sistema e visualizar a câmera que disponibilizou.

No total, o programa já conta com 333 câmeras conectadas à plataforma na cidade de São Paulo, mas este número cresce a todo momento com novas adesões por parte da população e a integração das câmeras públicas ao sistema. Os dados de todas as câmeras ficam registrados por até sete dias na nuvem, o que ajudará também na investigação de crimes.

“O que nós estamos fazendo é integrar o que já existe na cidade de São Paulo. Hoje, quando acontece um crime, a Polícia Civil recebe a informação e faz uma ação no local para achar onde estão as câmeras. Agora, damos endereço a essas câmeras. A polícia já consegue acessar. A finalidade é criar a dificuldade para a prática do crime na cidade”, diz o secretário de Segurança Urbana, José Roberto Oliveira.

Após o lançamento, o City Câmeras instalou, conforme previsto nesta primeira etapa, 250 câmeras na região do Brás, sendo 232 fixas e 18 móveis. O Brás foi o primeiro a participar da iniciativa, que contemplará toda a cidade, por ser o maior centro comercial de São Paulo, registrando um grande número de pessoas que circulam diariamente na região. Outros bairros também estão aderindo ao programa, como Belém, Tatuapé e Sumaré. O objetivo é expandir e, até o fim da gestão, instalar um total de 10 mil câmeras pela cidade.

O sistema também vai permitir uma economia para a Prefeitura de R$ 3,6 milhões por ano com a rescisão do contrato de aluguel de links e câmeras. Com a plataforma do City Câmeras, o aluguel destes equipamentos não será mais necessário. O site e a plataforma foram doados pela iniciativa privada, sem custos para a Prefeitura. "Era um contrato caro para a Prefeitura e agora, com custo zero, temos um número infinitamente maior de câmeras, com mais tecnologia e eficiência por conta dessa parceria com o Governo do Estado e a Polícia Militar", ressaltou João Doria.

Como funciona o City Câmeras

O modelo operacional do sistema permite a integração das imagens, que ficam armazenadas e são transmitidas para o Comando da GCM e Controle da Prefeitura por meio de um canal de comunicação de dados da internet, sendo possível a realização de uma triagem de ações que acontecem nas ruas e avenidas da cidade.

Com o sistema, será possível monitorar o patrimônio público, escolas, hospitais, além de grandes vias de circulação de pessoas e automóveis, como pontes, passarelas e avenidas, por meio de câmeras externas de condomínios, fábricas e empresas. Este monitoramento vai permitir mapear as maiores ocorrências, até mesmo de zeladoria, como o descarte irregular de resíduos, e aumentar o efetivo de segurança. O principal objetivo de atual gestão é trabalhar de forma integrada e em parceria com o Estado, participando efetivamente na prevenção de delitos e na segurança pública, sobretudo dificultando a prática do crime na cidade.

A ação conta com o apoio da Febraban, Telefônica, Tecvoz, Camerite, Fevabras e Alobrás. A Prefeitura ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade.

Requisitos técnicos para uma câmera participar do City Câmeras

Para aderir ao projeto é preciso estar atento se as câmeras atendem a certos requisitos técnicos que garantam qualidade das imagens, capacidade de envio e compartilhamento na rede de monitoramento da Guarda Civil Metropolitana. Também é necessário um link de acesso à internet:

Câmera com resolução 720p - 1 Mega Pixel - 12 fps

É necessário o uso de câmeras com tecnologia HD e transmissão mínima de 12 fps (frames/fotos por segundo).

Protocolo RTSP

RTSP é o protocolo de comunicação utilizado nas câmeras e gravadores.

Cadastro da câmera na plataforma 

É necessária a contratação de uma plataforma de gravação em nuvem do mercado (com gravação mínima de 7 dias).

 

Leia também:

Prefeitura de SP lança projeto City Câmeras

São Paulo na TV

Programa Alimento Saudável - SME

Ver agenda completa