Notícias

Prefeitura criou 1.222 novas vagas para acolhimento de pessoas em situação de rua

Os Centros de Acolhida têm suas estruturas higienizadas constantemente e são mantidos com as janelas abertas. Nos quartos as camas foram colocadas em distância segura.

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), criou 1.222 novas vagas para acolhimento de pessoas em situação de rua, sendo 672 em oito equipamentos emergenciais em centros esportivos, outras 400 em quatro Centros Educacionais Unificados (CEUs) e 150 vagas para hospedagem de idosos em situação de rua já acolhidos na rede socioassistencial, em três hotéis na região central da cidade. Os equipamentos funcionam 24 horas e são voltados a diversos públicos, sendo que o da região da Lapa foi destinado para receber pessoas com suspeita de covid-19.

"Estamos em negociação com mais dois outros hotéis, para que a gente consiga anunciar outras vagas”, afirmou a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Giannella.

Os Centros de Acolhida têm suas estruturas higienizadas constantemente e são mantidos com as janelas abertas. Nos quartos as camas foram colocadas em distância segura. Todos os eventos agendados nos serviços foram cancelados e as visitas suspensas. Todas essas medidas contribuem para diminuir o risco de contágio.

Durante o período de pandemia, a SMADS ampliou a oferta de serviços nos quais as pessoas em situação de rua têm acesso a refeições, banheiros, kits de higiene e orientações. No dia 03 de abril começou a funcionar, na região do Cambuci, um Núcleo de Convivência Emergencial, com capacidade de oferecer café da manhã, almoço e café da tarde para 200 pessoas. A rede municipal conta com 10 Núcleos de Convivência, com 3.172 vagas. Para os Núcleos de Convivência da Sé, Prates, Porto Seguro, Complexo Boracea, Luz e Bela Vista foram aditados, em caráter emergencial, mais 1.860 vagas.

A pasta, por meio do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), disponibiliza funcionários para orientar sobre a higienização das mãos e distribuir sabonetes nos pontos das pias comunitárias instaladas na cidade. Foram distribuídos 3,6 mil kits de higiene por meio de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania junto à empresa Colgate, por meio da Cruz Vermelha e também a doação de 80 mil máscaras.

A Ação Vidas no Centro, iniciativa da Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Turismo e de Assistência e Desenvolvimento Social, teve início em 4 de abril com a oferta de sanitários e banhos para pessoas em situação de vulnerabilidade social na região do Triângulo SP e Centro Histórico. No dia 21 de abril foram adicionadas lavanderias, que podem ser utilizadas em cinco estações. Até o dia 12 de agosto, foram realizados 562.571 atendimentos em sete estações, considerando todos os serviços oferecidos.

Na região central da cidade, a Secretaria Municipal das Subprefeituras instalou 11 pias com água potável, fornecida pela Sabesp, para auxiliar as pessoas em situação de rua a efetuarem a higienização das mãos, nesse período de pandemia da covid-19. Os locais escolhidos foram: Praça da Sé, Praça Ouvidor Pacheco e Silva, Largo São Francisco, Largo Paissandu, Pateo do Collegio, Praça da República, Largo do Arouche, Parque Dom Pedro, Largo General Osório e Praça da Liberdade e Praça Princesa Isabel.

Ações do documento