Notícias

Prefeitura cria novos equipamentos emergenciais para acolhimento de pessoas em situação de rua

Cinco deles são centros esportivos municipais que foram adaptados e preparados para funcionar, 24 horas, como Centros de Acolhimento Emergenciais

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), criou seis novos equipamentos emergenciais para acolhimento de pessoas em situação de rua, com a finalidade de desafogar os Centros de Acolhidas já existentes.

Cinco deles são centros esportivos municipais que foram adaptados e preparados para funcionar, 24 horas, como Centros de Acolhimento Emergenciais nas regiões da Sé, Santo Amaro, Lapa, Santana e Mooca, totalizando 356 novas vagas.

Um Centro de Acolhida Especial montado para pessoas em situação de rua diagnosticadas com o covid-19 foi entregue no último dia 21, na Vila Clementino, Zona Sul da cidade, com capacidade de acolher 38 pessoas.

Na região da Cracolândia, foi instalado um Núcleo de Convivência de caráter emergencial, para servir refeições à população local. Desde 26/3, estão sendo servidas 200 refeições por dia (almoço e café da tarde). E hoje (03), outro núcleo começou a funcionar, na região do Cambuci, com capacidade de oferecer café da manhã, almoço e café da tarde para 200 pessoas.

A rede municipal conta com 10 Núcleos de Convivência, com 3.172 vagas. Além das refeições, os usuários têm acesso a banheiros e kits de higiene, onde podem tomar banho e receber as orientações. Para os Núcleos de Convivência da Sé, Chá dos Padres, Prates e Porto Seguro, foram aditados em caráter emergencial mais 760 vagas.

A necessidade de ampliação dos espaços de atendimento social ocorreu devido ao aumento da demanda por alimentação e higienização para as pessoas em situação de rua, por conta do estado de quarentena.

Na região central da cidade, a Secretaria Municipal das Subprefeituras, instalou 11 pias com água potável fornecida pela Sabesp para auxiliar as pessoas em situação de rua a efetuarem a higienização das mãos, nesse período de pandemia da covid-19, nos seguintes locais: Praça da Sé, Praça Ouvidor Pacheco e Silva, Largo São Francisco, Largo Paissandu, Pateo do Colégio, Praça da República, Largo do Arouche, Parque Dom Pedro, Largo General Osório e Praça da Liberdade e Praça Princesa Isabel.

A SMADS, por meio do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), começou a disponibilizar funcionários para fornecer orientações sobre a higienização das mãos e distribuir sabonetes nos pontos das pias comunitárias instaladas na cidade. Foram distribuídos 3,6 mil kits de higiene por meio de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania junto à empresa Colgate, por meio da Cruz Vermelha.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Saúde Pós Covid-19