Notícias

Prefeitura cria comitê de crise para amenizar os transtornos causados por chuvas intensas

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), volume acumulado de chuvas desde 1º a 11 de março corresponde a 90,6% do esperado para todo o mês

De Secretaria Especial de Comunicação

Atualizada às 16h10

A forte chuva que atingiu a cidade desde às 19h deste domingo (10) até 7h desta segunda-feira (11) teve, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) 57,8 mm de água, o que corresponde a 32,6% do volume esperado para todo o mês de março, que é de 177,4 mm. Desde 1º de março deste ano, o volume acumulado de chuva é de 160,8mm, o que corresponde a 90,6% do esperado para o mês. O março mais chuvoso, segundo dados históricos do CGE da Prefeitura de São Paulo, foi o de 2006, com 338,8 mm.

Segundo o prefeito em exercício Eduardo Tuma, mais de 5 mil funcionários da Prefeitura estão nas ruas para conter essa crise. “A situação que ocorreu na última noite foi absolutamente imprevisível”, disse.

Para avaliar os transtornos e tomar as medidas necessárias, a Prefeitura de São Paulo instaurou um comitê de crise. “Criamos um comitê de gestão da crise com as secretarias de Governo, Segurança Urbana, Subprefeituras, o Gabinete do Prefeito e a Secretaria Especial de Comunicação. A criação do comitê e as ações tomadas pela Prefeitura foram definidas pelo prefeito Bruno Covas”, destacou Tuma. Os integrantes do comitê visitam na tarde desta segunda-feira (11) as regiões mais afetadas.

Os equipamentos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) estão em pleno funcionamento. 

 

Trânsito
O pico de trânsito registrado às 10h30 foi de 180 quilômetros de congestionamento. O maior do ano registrado foi de 202 quilômetros às 9h30 no dia 4 de fevereiro. 

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informa que o recorde histórico de congestionamento na cidade aconteceu no dia 23 de maio de 2014, quando o índice atingiu 344 km, devido às chuvas registradas em toda a Região Metropolitana e a greve dos ônibus nas cidades de Osasco, Diadema e São Bernardo do Campo.

Já o maior índice registrado no período da manhã foi às 10h, no dia 23 de maio de 2012, devido à greve dos metroviários e da CPTM. Na ocasião o rodízio municipal de veículos foi suspenso para veículos e caminhões.

Nesta segunda-feira, trabalham na operação pós-chuva 568 agentes da CET, com 172 viaturas, 79 motos e 8 guinchos.


Semáforos
Foram registrados 25 semáforos apagados por falha no equipamento, 11 ficaram em amarelo intermitente e 4 apagaram por falta de energia elétrica.


Ônibus
A SPTrans informa que a operação dos ônibus é normalizada gradativamente em alguns pontos após ser prejudicada na manhã desta segunda-feira (11), devido às fortes chuvas que atingiram a cidade.

A operação do Expresso Tiradentes foi parcialmente retomada a partir das 7h10, após ter a circulação interrompida devido a alagamento na Avenida do Estado. A SPTrans também atendeu à Operação Paese das 3h40 às 5h45 a pedido da CPTM, entre as estações Santo Amaro e Granja Julieta.

O atendimento ao Terminal Vila Prudente retorna gradativamente após ser prejudicado por alagamento nas proximidades. Já o tráfego dos ônibus pelas avenidas do Estado e Luiz Ignácio de Anhaia Mello também começou a ser reestabelecido.

As avenidas Paulo Guilguer Reimberg, em Varginha, e Sumaré, em Perdizes, foram liberadas para a circulação dos ônibus após ficarem interditadas por queda de árvores.

Um desmoronamento de terra na Avenida Professor Francisco Morato, altura do nº 5.885, na Vila Sônia, causa morosidade na circulação dos ônibus, pois todos os veículos trafegam pelo corredor exclusivo. Esta lentidão prejudica o atendimento ao Terminal Campo Limpo.

Os coletivos das linhas 3160/10 Term. Vl. Prudente - Pça. Clóvis, 3414/10 Vl. Dalila - Term. Pq. D. Pedro ll e 4310/10 E.T. Itaquera - Term. Pq. D. Pedro ll fazem desvios ao deixar o Terminal Pq. Dom Pedro II, evitando a Avenida do Estado e seguindo pelas avenidas Rangel Pestana e Piratininga, acessando a Radial Leste.

Alguns ônibus chegaram a ficar ilhados na Avenida do Estado e na região de Vila Prudente.

Em razão de alagamentos, os ônibus de oito linhas estão impedidos de circular pela Marginal Tietê, abaixo da Ponte das Bandeiras, e efetuam desvios pela Rua Voluntários da Pátria, Rua Santa Eulália e Av. Santos Dummont.

A saída de frota das empresas Imperial e Movebuss localizadas nos bairros Cambuci e Vila Alpina, respectivamente, está prejudicada.

A SPTrans está monitorando a operação dos ônibus na capital e mantém contato com os órgãos competentes até normalizar a situação.

 

Rodízio
A Secretaria Municipal de Transporte informa que o Rodízio Municipal de Veículos está suspenso, nesta segunda-feira (11), o dia todo, devido às fortes chuvas que atingiram a Capital e Região Metropolitana.

Todo efetivo da CET está em campo para auxiliar motoristas e organizar o trânsito. A Zona Azul também está liberada hoje.

Estarão liberadas as demais restrições existentes na cidade: Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição aos Fretados (ZMRF).

O motorista deve prestar atenção, pois as faixas exclusivas de ônibus e os corredores de ônibus não foram liberados.

Alagamentos
O transbordamento dos córregos Ipiranga, dos Meninos, Tamanduateí, Aricanduva, Rio Verde, Oratório, do piscinão Guaramiranga e do Rio Tietê, fez com que as regiões entrassem em estado de alerta. Acompanhe os pontos de alagamentos em tempo real no endereço eletrônico da CGE.

Foram registrados 56 pontos de alagamentos, sendo 26 deles transitáveis e 30 intransitáveis em decorrência do forte temporal que atingiu a região desde as 18h de domingo (10). Até as 11h, 33 destes pontos foram normalizados.

Entre as 19h de domingo (10) e as 7h desta segunda-feira (11), as estações meteorológicas automáticas do CGE registraram 109,5mm de volume de chuva no Jabaquara, seguido por 103,3mm na Vila Prudente, 94,6mm na Vila Mariana, 88,5mm em Sapopemba, 85,8mm no Ipiranga e 54,7mm na Mooca.

Para amenizar os transtornos causados pela chuva, equipes de zeladoria de toda a cidade atuam nas regiões das subprefeituras mais afetadas pelos alagamentos nas regiões do Ipiranga e Vila Prudente com o auxílio de caminhões hidrojatos, limpeza de galerias e das bocas de lobo, para a recuperação do sistema de drenagem.


Queda de árvores
Quanto ao balanço de queda de árvores de 2019, em janeiro a defesa civil registrou 1.185 ocorrências, fevereiro - 1.176 e, do dia 1º de março até às 07h de hoje (11), foram registradas 596 quedas de árvores.


Assistência Social

Agentes da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) estão ajudando na remoção das famílias, iniciando o cadastramento dos desabrigados e verificando quais serão os próximos trabalhos realizados. Equipes de outras regiões da cidade estão sendo deslocadas para o Ipiranga. A SMADS conta com pontos de apoio no CEU Meninos, na Rua Barbinos, 111, na Paróquia Nossa Senhora das Dores, situada na Rua Tabor, 283, na Rua Barão de Rezende, 251, além do atendimento no CRAS Ipiranga, na Rua Taquarichim, 290. Durante o atendimento social as famílias estão recebendo kits de higiene pessoal, kits de limpeza, lanches, colchões, cobertores e cestas básicas.


Drenagem
A Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB) informa que em dezembro de 2018 entregou o terceiro piscinão do Córrego Cordeiro (ZS), com capacidade para armazenar 50 mil metros cúbicos de água.

No córrego Ipiranga (ZS), as obras do reservatório R2-Aliomar Baleeiro tiveram início em agosto de 2017 e serão finalizadas em 2019. No Córrego Mirassol (ZS), os trabalhos de canalização foram retomados em agosto de 2017. Elas estavam paralisadas desde 2012 por falta de recursos. Já foram executados 1.932m de novas galerias e as obras devem ser concluídas em 2019.

Sobre as obras do Córrego Zavuvus, a SIURB esclarece que o Tribunal de Contas da União apontou, em 2017, falhas nos contratos das obras, elaborados pela gestão concluída em 2016, motivo pelo qual o trabalho teve que ser suspenso. A atual gestão propôs um plano de saneamento dos contratos e o TCU liberou a elaboração dos projetos executivos dos lotes 1 e 2, que foram aprovados e estão em fase de revisão dos custos da obra e atendimento às exigências do licenciamento ambiental. Os projetos executivos referentes ao Lote 3 já foram aprovados pela SIURB. A revisão dos custos da obra deste lote foi encaminhada para a Caixa Econômica Federal para análise e posterior liberação dos recursos.

Já as obras do Córrego Paciência (ZN) tiveram início em agosto de 2018. Está em execução um trecho de canalização de 260 metros entre seu desemboque, no Rio Cabuçu, e a Rodovia Fernão Dias. No último dia 31 de dezembro a Prefeitura de São Paulo firmou compromisso com o Ministério das Cidades para o financiamento das intervenções no córrego. 

Em junho de 2018 tiveram início também as obras do reservatório R3, no Córrego Tremembé (ZN), com previsão de conclusão para 2019. Ainda no Córrego Tremembé, em outubro de 2017 foram concluídos os trabalhos de canalização entre as ruas Imbiras e Casuarinas; em julho de 2018 foram finalizadas as obras de canalização entre a Av. Sezefredo Fagundes e Rua Rodolfo Cavinato; foram iniciadas as obras do reservatório R1 localizado no Horto Florestal, com previsão de conclusão em maio de 2019.Também estão em andamento serviços de microdrenagem na Rua Bernardino Antunes Silva.

As obras do Sistema de Controle de Enchentes na Bacia do Ribeirão Perus (ZN) estão em fase de licitação do projeto executivo. No dia 26 de dezembro de 2018, a SIURB assinou contrato com a Caixa Econômica Federal para liberação de R$ 200 milhões para execução das intervenções. O projeto prevê a construção de cinco reservatórios no Ribeirão Perus.

No Córrego Aricanduva (ZL) a obra no reservatório R7 foi suspensa para readequação contratual e de projeto, devido a interferências (redes de gás). Anteriormente, ela já havia ficado nove meses paralisada porque a gestão terminada em 2016 iniciou os trabalhos apenas com projeto básico. Em 2017, a atual administração fez o projeto executivo para retomar a construção em fevereiro de 2018. A previsão é que o reservatório seja concluído seis meses após a retomada dos trabalhos – 50% da obra já foi executado. O reservatório R3 aguarda aprovação dos projetos executivos para ter suas obras iniciadas, e o reservatório R8 está em fase de finalização do projeto – ambos estão localizados no Córrego Aricanduva. O reservatório R6 do Córrego Aricanduva foi entregue pela atual gestão em dezembro de 2017.

No Programa de Redução de Alagamentos (PRA) foram concluídas, em dezembro de 2017, as obras nas ruas Joaquim Odorico Teixeira (ZS) e Pinheiro Machado (ZO); em maio de 2018, foram finalizados os trabalhos na Rua Lourenço Prado (ZO) e, em agosto de 2018, terminadas as intervenções nas ruas Formoselha (ZL) e Garapeba (ZS).

Estão em execução os trabalhos nas ruas Poetisa Colombina (ZO), Chacuru (ZL) e Armando Cardoso Alves (ZL), todas com previsão de término para fevereiro deste ano; a Avenida Cipriano Rodrigues (ZL), com término previsto para maio de 2019; o piscinão da Avenida Diógenes Ribeiro de Lima (ZO) e o Córrego Afluente J (ZL), com previsão de finalização para abril e junho deste ano respectivamente.

A SIURB está finalizando os Cadernos de Drenagem (plano de controle de cheias) para as bacias dos córregos Uberaba e Anhangabaú. Os estudos serão concluídos neste ano.

 

Piscinões em obras:
•Córrego Ipiranga - R2-Aliomar Baleeiro: as obras tiveram início em agosto de 2017 e serão finalizadas em 2019.
•Córrego Tremembé – R3: as obras tiveram início em agosto de 2017 e devem ser concluídas em 2019.
•Córrego Tremembé – R1: as obras foram iniciadas em janeiro deste ano e serão concluídas em maio.
•Av. Diógenes Ribeiro de Lima: as obras do piscinão tiveram início em agosto de 2018 e serão concluídas ainda em fevereiro.

Piscinões entregues:
•Guamiranga – Entregue em fevereiro de 2017, Vila Prudente-Zona Leste
•R6 Aricanduva – Entregue em dezembro de 2017, Córrego Aricanduva –Zona Leste
•RCO1 Cordeiro – Entregue em dezembro de 2018, Americanópolis-Zona Sul


Educação:
As Delegacias Regionais de Ensino (DRE) do Butantã, Campo Limpo, Capela de Socorro, Freguesia/Brasilândia, Guaianases, Pirituba, e Itaquera não foram notificadas a respeito de nenhuma ocorrência até o momento. Na região da DRE São Miguel, o Centro Educacional Infantil (CEI) Carmelina Pereira Brito (conveniado) está sem aulas, pois a rua alagou. A água não chegou a entrar na unidade. Na DRE 

São Mateus, os alunos do CEI CEU São Rafael (direto) foram dispensados. Já na área da DRE Ipiranga, O muro dos fundos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Joaquim Nabuco desabou, sem atingir partes importantes da unidade, por isso as aulas não foram prejudicadas. Na região do Sacomã, as aulas foram suspensas no CEU Meninos devido ao alagamento parcial da unidade, assim como aconteceu na EMEF Oliva Irene, região da DRE Jaçanã/Tremembé.

 

Previsão para próximos dias
As chuvas iniciaram pela Zona Sul e se espalharam por toda a cidade. Desde o fim da madrugada as precipitações diminuíram e proporcionaram uma trégua até o momento. 

Hoje a temperatura mínima registrada foi de 18°C e a máxima não deve superar os 25°C. Ao longo do dia o céu se mantém com muitas nuvens e são esperadas chuvas intermitentes, porém com menor intensidade. O solo encharcado mantém o potencial para de terra em áreas de risco e formação de alagamentos.

Os próximos dias devem ser marcados por chuvas na forma de pancadas principalmente nos finais de tarde e elevação das temperaturas a partir da terça-feira (12).

A terça-feira (12) terá sol entre nuvens pela manhã e sensação de tempo abafado. No período da manhã são esperadas pancadas isoladas de chuva e que voltam a se intensificar entre a tarde e o início da noite com forte intensidade em alguns momentos. Portanto, o risco de transbordamento de rios e córregos permanece, bem como a formação de alagamentos intransitáveis e deslizamentos de terra em áreas de risco. Temperatura mínima de 18°C e máxima de 27°C, com taxas de umidade do ar acima dos 65%.

Na quarta-feira (13), o cenário não muda muito. Madrugada com termômetros na casa dos 19°C e amanhecer com céu nublado. As chuvas previstas devem ocorrer entre o meio da tarde e o início da noite, com pancadas de forte intensidade. A umidade do ar permanece alta com os menores índices acima dos 60%.

 

Medidas simples podem amenizar os efeitos dos alagamentos:
- Evite transitar em ruas alagadas;
- Se a chuva causou inundações, não se aventure a enfrentar correntezas.
- Fique em lugar seguro. Se precisar, peça ajuda;
- Mantenha-se longe da rede elétrica e não pare debaixo de árvores. Abrigue-se em casas e prédios;
- Planeje suas viagens, para que haja menor possibilidade de enfrentar engarrafamentos causados por ruas bloqueadas;
- Em caso de dúvida sobre vias bloqueadas, ligue para a central de atendimento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) através do número 1188 ou entre no site da CET para saber como está o trânsito nas principais vias.


Leia também:
São Paulo teve segundo fevereiro mais chuvoso dos últimos 24 anos
Plano Chuvas de Verão compreende ações preventivas e emergenciais
Saúde alerta para risco de leptospirose no período de chuvas

Ações do documento