Notícias

Prefeitura contrata 4,6 mil mulheres para trabalhar na volta às aulas das escolas municipais

Selecionadas atuarão na monitoria dos protocolos sanitários de combate à covid-19. A oportunidade é destinada a mães de alunos e mulheres da comunidade escolar

De Secretaria Especial de Comunicação

Atualizado em 17/02/2021 às 20h35

A Prefeitura abriu, nesta terça-feira (16), inscrições para o Programa Operação Trabalho - POT Volta às Aulas, destinado à inserção de mulheres no mercado de trabalho e ao reforço da aplicação dos protocolos sanitários e de distanciamento social nas escolas municipais, para prevenir o contágio pelo coronavírus. A iniciativa é uma parceria entre as secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (SMDET), Saúde e da Educação. As inscrições foram encerradas nesta quarta-feira (17/02).

O POT Volta às Aulas oferece, ao todo, 4.590 vagas distribuídas nas unidades das 13 DREs da capital paulista. Prioritariamente, o programa admitirá mães de alunos de escolas públicas ou mulheres que morem nas comunidades onde elas estão situadas, com idades entre 18 e 50 anos.

“Ações como essa são importantes para contribuir com as famílias que contam, muitas vezes, apenas com as mulheres para garantirem o sustento da casa. Nessa atividade, as mães atuarão como ‘guardiãs dos protocolos sanitários’ dos alunos”, afirma a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Aline Cardoso.

As selecionadas receberão o valor de R$ 1.155,00 mensais para uma carga hora de trabalho de 30 horas semanais, divididas em seis horas por dia. O contrato de trabalho terá duração de seis meses, de fevereiro a julho de 2021.

No total, serão aplicados R$ 31,8 milhões no projeto, desenvolvido por meio do POT (Programa Operação Trabalho). Cada uma das unidades da rede municipal de ensino deverá manter três mulheres selecionadas para o projeto. “Além de promover a inclusão social e econômica das beneficiárias, o projeto visa a capacitação profissional dessas mulheres, algo que as ajude na reinserção definitiva ao mundo do trabalho”, explica o secretário municipal de Educação, Fernando Padula.

As selecionadas serão responsáveis pelo monitoramento do cumprimento das normas de distanciamento social, uso correto da máscara e do álcool gel,  apoio às  boas práticas de higienização e segurança como aferição de temperatura, higienização de equipamentos escolares e ambientes de uso coletivo.

“As mulheres foram diretamente impactadas na pandemia,sobretudo, na saúde mental, Muitas ficaram sem trabalho ou mesmo no home-office. A sobrecarga mental delas, que já e grande, só aumentou. Portanto, essa iniciativa foi tomada pensando na saúde das mães e, claro, nos filhos que retornam ao convívio escolar com a segurança necessária e o acolhimento delas”, salienta o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido dos Santos.

Para se candidatar é necessário cumprir os critérios do Programa Operação Trabalho como estar desempregada há mais de quatro meses e ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa da família.  A triagem das candidatas será feita pelos técnicos do Cate - Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo.

As candidatas serão convocadas em horário marcado nos postos do Cate para entregar documentos de comprovação dos critérios de contratação como RG, CPF, carteira de trabalho e comprovante de residência.  

Capacitação

As mulheres selecionadas serão capacitadas por meio de um curso on-line para  atuar na função. A capacitação será feita pela Escola Municipal de Educação Profissional e Saúde Pública Professor Makiguti, vinculada à SMDET.

Durante o período de permanência no POT Volta às Aulas as participantes deverão cumprir também 24 horas mensais de qualificação profissional no Portal do Cate (cate.prefeitura.sp.gov.br).

Serviço:

A convocação para a entrega da documentação será feita por e-mail e telefone.

Pré-requisitos para ter participado da seleção 

•          Ter entre 18 e 50 anos;

•          Morar na capital paulista;

•          Estar desempregada há mais de quatro meses e não estar recebendo seguro-desemprego;

•          Ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa da família;

•          Estar com a situação cadastral do CPF regular junto à receita federal;

•          Entregar autodeclaração de inexistência de doenças preexistentes e não pertencer aos grupos de risco da covid-19.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Amor que Acolhe

Ver agenda completa