Notícias

Prefeitura assina contrato com consórcio responsável pela modernização da iluminação pública

São Paulo dá o primeiro passo para se tornar uma cidade inteligente

De Secretaria Especial de Comunicação

Atualizado em 08/03/2018 às 18h20

A Prefeitura assinou nesta quinta-feira (8) o contrato com o Consórcio FM Rodrigues/CLD, vencedor da Parceria Público-Privada (PPP) da Iluminação Pública, que agora é o responsável pela modernização, otimização, expansão, operação e manutenção de todo parque de iluminação da capital paulista por um período de 20 anos. O valor total do contrato é de R$ 6,9 bilhões. Com as novas tecnologias que serão implantadas, São Paulo dará seus primeiros passos para se tornar uma Cidade Inteligente.

Segundo o secretário de Serviços e Obras, Marcos Penido, essa PPP é um marco histórico para cidade. “No futuro ainda vamos falar de São Paulo pré-PPP e pós-PPP. Vamos ter tudo que há de mais moderno implementado nos mais de 600 mil pontos de luz da cidade e, com isso, teremos uma cidade mais clara e segura”, disse.

Os trabalhos terão início imediato em cinco importantes avenidas: Guarapiranga (Zona Sul), Morumbi (Zona Oeste), Luiz Dumont Villares (Zona Norte), Rio Branco (Centro) e Valdemar Tietz (Zona Leste). Ao todo, serão substituídos 535.713 pontos de iluminação por LED, tecnologia mais moderna e econômica. A cidade tem, no total, 618.355 deles, mas foram descontados os 82.642 pontos de LED instalados pela gestão anterior.

Os trabalhos já foram iniciados na tarde desta quinta-feira (08/03) na Avenida Morumbi

A atual gestão conseguiu finalizar a licitação sete meses após o Tribunal de Contas do Município (TCM) liberar o prosseguimento do certame. Após o consórcio ser anunciado como vencedor, o secretário Municipal de Serviços e Obras, Marcos Penido, constituiu uma comissão para renegociar a proposta apresentada. A medida teve o objetivo de zelar pela gestão dos recursos públicos, além de atender à recomendação do TCM.

As negociações resultaram num novo plano de negócios que prevê um deságio de 4,1% no valor do contrato, o que representa um desconto de mais de R$ 301 milhões. Com isso, a contraprestação mensal da Prefeitura será de R$ 28.903.534,40 (antes era de R$ 30.158.492). A substituição das lâmpadas comuns por LED representará uma redução de 40% no consumo de energia, resultando em significativos ganhos ambientais.

O prazo inicial para a modernização de todo parque de iluminação da cidade era de cinco anos, após negociações com o consórcio vencedor foi estabelecido que, agora, será executado em três anos.  A redução de dois anos permite à Prefeitura recuperar o tempo que a licitação ficou paralisada em função de ações e discussões judiciais.

Pelo novo plano de negócios, o consórcio ficará responsável pela troca das luminárias por LED; substituição da atual fiação de cobre por alumínio, metal que tem menor valor de mercado, o que desestimula os furtos constantes de cabos; entrega em 150 dias de um cadastro georrefereciado do parque de iluminação da cidade e instalação de dispositivos de telegestão em cada luminária, usando materiais de primeira linha e de última geração. Passa a ser também responsabilidade do consórcio o pagamento da conta de luz.

Telegestão

Com o sistema de telegestão, uma central de operação receberá, em tempo real, informações sobre cada uma das luminárias como funcionamento, consumo e intensidade da luz. A telegestão irá abrir as portas para que São Paulo se torne uma cidade Inteligente (Smart City), pelo fato de permitir que os postes e redes de iluminação se transformem numa infraestrutura por meio da qual é possível integrar e controlar outros serviços como semáforos, Wi-Fi, câmeras de segurança e mobilidade.

Vídeos

Plano de combate ao mosquito Aedes Aegypti