Notícias

Prefeitura anuncia novas ações de combate ao coronavírus

Ações incluem iniciativas para a geração de renda, assistência e saúde na capital

De Secretaria Especial de Comunicação

O prefeito Bruno Covas anunciou novas medidas adotadas pela Prefeitura para enfrentamento da covid-19 (doença provocada pelo coronavírus), durante coletiva de imprensa realizada ao lado do governador João Doria, nesta quinta-feira (09), no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado.

“Nós precisamos ajudar a população que mais precisa e que mais é afetada neste momento de pandemia, crise econômica e social”, disse Covas.

Ações ligadas a geração de renda, saúde e a respeito da continuação da quarentena na cidade buscam amenizar os efeitos da pandemia na capital. São elas:

 

Costurando pela Vida
Costureiras e artesãos serão contratados para a produção de máscaras e outros dispositivos médicos identificados como prioritários durante a quarentena do coronavírus. A ação Costurando pela Vida, iniciativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, investirá R$ 2 milhões para selecionar entidades sociais para a produção dos equipamentos de proteção da área da saúde.

A expectativa é que sejam produzidas mais de 1 milhão de máscaras para profissionais da saúde e da assistência social, além de 500 mil protetores faciais e 500 mil aventais

“Nós temos feito um esforço muito grande, especialmente junto a Prefeitura da capital, para buscar alternativas que melhorem a proteção de saúde e a proteção social das pessoas, e esta é uma iniciativa que atende os dois campos”, disse o governador Doria.


Cozinhando pela Vida
Em mais uma iniciativa de combate ao coronavírus, o prefeito Bruno Covas anunciou o projeto Cozinhando pela Vida. A ação, liderada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, possibilita que organizações da sociedade civil apresentem planos de trabalho para a produção de 180 mil refeições, sendo almoço e janta, para a população em situação de vulnerabilidade no período de dois meses.

“Essas cozinheiras poderão utilizar as cozinhas das organizações sociais ou da Prefeitura, nos CEUs, mercados municipais e nos equipamentos de segurança alimentar para produzir três mil refeições por dia”, disse o prefeito Bruno Covas. A estimativa é que 10 entidades de todas as regiões da capital sejam selecionadas.

O projeto terá um aporte de R$ 1,7 milhão da Prefeitura, tendo como prioridade a contratação de até 300 mulheres cozinheiras, que são chefes de família e necessitam gerar renda neste período de quarentena. A estimativa é que as primeiras refeições comecem a ser servidas dia 30 de abril. 

 

Cidade Solidária
Oito pontos espalhados pela capital paulista estão recebendo doações de cestas básicas (alimentos, limpeza e higiene) que serão entregues a famílias que vivem em situação de extrema vulnerabilidade na cidade. A iniciativa faz parte do programa Ação Cidade Solidária, lançado na última terça-feira (07/04) pela Prefeitura de São Paulo, em parceria com entidades da sociedade civil, e que prevê a criação de uma rede desolidariedade para auxiliar as famílias carentes. Clique aqui e saiba mais

 

Reunião com comerciantes
Está prevista para a próxima segunda-feira (13) uma reunião com representantes dos setores de comércio e serviço para a discussão sobre a possibilidade de um horário de funcionamento escalonado para serviços essenciais. A medida visa evitar aglomerações, sobretudo no transporte público nos horários de pico do início da manhã e do final da tarde.

“A gente espera contar com a colaboração do setor provado. Isso não vai ser feito pela Prefeitura por um decreto ou normativa de cima para baixo, vamos construir com o setor privado a melhor forma de adaptação dos horários de funcionamento para que possamos ter lojas abertas das 7h às 16h, das 11h às 19h, para evitar os dois picos que temos na cidade", disse o prefeito.

 

Uso da Cloroquina
O prefeito também anunciou que a Secretaria Municipal de Saúde incluiu o protocolo de atendimento utilizando a cloroquina nos casos de pacientes diagnosticados com covid-19.  O uso da medicação só poderá ocorrer desde que haja prescrição médica e o consentimento do paciente ou da família.

“Ainda não é possível ser uma política pública, pois não temos ainda pesquisas concluídas, mas havendo prescrição do médico e a concordância do paciente, a Secretaria Municipal de Saúde passou a integrar esse medicamento no protocolo de tratamento da covid-19”, afirmou Covas.

 

Paraisópolis
Questionado sobre as ações realizadas na região de Paraisópolis, na Zona Sul, o prefeito afirmou que enviou a Câmara Municipal um projeto de lei que prevê a transferência de recursos excedentes da Operação Urbana Faria Lima para ações habitacionais e de saneamento na região.

“Em todo momento de crise, econômico e social, sabemos que as comunidades são as primeiras afetadas. É onde aumenta rapidamente o número de desemprego, portanto toda a ação que temos feito para a distribuição de cestas básicas, kits de higiene e inclusão de alimentação são nestes locais, mas é claro que nessas comunidades é impossível falar de uma ação sem lembrar da necessidade de programas habitacionais e de saneamento”, destacou o prefeito.

 

Leia também:
Coronavírus: Confira as principais notícias publicadas no site da Prefeitura

Ações do documento

Vídeos

SPlica - Atendimento no Cate

Ver agenda completa