Notícias

Prefeitura anuncia acordo para promover competências socioemocionais na educação

Secretaria de Educação e Instituto Ayrton Senna farão ações conjuntas focadas no desenvolvimento das competências para o século 21

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, e o Instituto Ayrton Senna anunciaram nesta terça-feira (14) a assinatura de um memorando de entendimentos com a Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) visando formar futuros professores para o desenvolvimento das competências para o século 21, como colaboração, criatividade e resolução de problemas. O objetivo é que os professores ainda em formação inicial possam ter oportunidades de desenvolver novas competências profissionais e conhecer as ferramentas necessárias para a prática na sala de aula.

Diversos estudos mostram que essas habilidades têm papel fundamental no desempenho escolar e também nas realizações ao longo da vida. Devido à sua relevância, o tema também está previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), hoje em análise no Conselho Nacional da Educação (CNE), e que tem como objetivo estabelecer os conhecimentos e habilidades essenciais que todos os estudantes deverão aprender ao longo da Educação Básica.

O projeto será oferecido a partir de 2018, em caráter piloto, e envolverá um curso de extensão que terá a duração de 100 horas e será ofertado na modalidade de educação à distância para alunos do curso de licenciatura em Pedagogia, ofertado pela Unesp, e de outras licenciaturas que também utilizam os polos do UniCEU (Universidade nos Centros Educacionais Unificados), sendo, portanto, extensivo a qualquer outra instituição de ensino e não limitante a alunos da Unesp. Hoje, os UniCEUs disponibilizam cursos em parceria com 12 instituições públicas de Ensino Superior, sendo que a Unesp oferta, por meio de convênio com o Sistema Universidade Aberta do Brasil  (UAB/Capes), com aulas presenciais ministradas nos polos do UniCEU, um curso de licenciatura em Pedagogia.

Alinhado a essa iniciativa pioneira no Brasil, foi firmado ainda um protocolo de intenções entre o Ministério da Educação (MEC), a Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a Unesp e o Instituto Ayrton Senna para constituição de uma comissão que deverá apresentar, em até 60 dias, uma proposta de Residência Pedagógica, com focoem Educação Integral, no âmbito do Programa de Residência Pedagógica, anunciado recentemente pelo MEC. A intenção dessa parceria é reunir esforços e proporcionar a troca de experiências entre a universidade, o terceiro setor e o setor público para que todos contribuam com a missão de apoiar e aperfeiçoar a formação de educadores no País.

“O trabalho coletivo funciona melhor que os trabalhos individualizados. A educação não se faz de forma segregada, se faz de forma integrada. A gestão de São Paulo prega a ação articulada em todas as áreas e isso tem produzido um enorme resultado, além de uma economia de recursos”, disse o prefeito João Doria.

Competências socioemocionais no currículo municipal

A Prefeitura e o Instituto Ayrton Senna firmam ainda um acordo de cooperação com o objetivo de desenvolver projeto-piloto visando a incorporação das competências socioemocionais à política de educação da cidade, já previstas no novo currículo municipal (leia mais informações no outro texto). As ações serão desenvolvidas tanto para a etapa da alfabetização, quanto para os anos finais do Ensino Fundamental. No caso dos anos finais, o projeto será construído junto com educadores e estudantes de cerca de 50 escolas que manifestem interesse em aderir ao projeto.

“As habilidades socioemocionais são fundamentais para definir o aluno que queremos formar, ético, responsável e solidário. E a parceria é um apoio importante nesta jornada”, diz o secretário de Educação, Alexandre Schneider.

Para a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, a educação brasileira precisa dar um salto quântico que a tire do século 19 e a leve para o século 21. “Para isso, as escolas deverão ir além do desenvolvimento cognitivo, que é ensinar a ler, escrever, fazer contas e conhecer os conteúdos disciplinares. Elas deverão preparar os estudantes de forma realmente plena, o que também envolve o desenvolvimento socioemocional. Hoje, já existem diversas evidências que nos permitem compreender o impacto que as competências socioemocionais têm não apenas na formação dos estudantes, mas também no sucesso futuro deles. Com base nessas informações, os gestores e educadores poderão fazer escolhas e tomar decisões melhor embasadas para lidar com esse grande desafio qualitativo de nossa educação e que passa pela construção de currículo, formação de professores e implementação de política pública", afirma.

Dentre as ações previstas, destaca-se a elaboração conjunta de instrumentos de acompanhamento e análise de indicadores de sucesso. A parceria também buscará implementar na prática a integração do conteúdo das áreas de conhecimento (Matemática, Linguagens, Ciências Humanas e Ciências da Natureza) com o desenvolvimento de competências para o século 21. 

Leia também:

São Paulo terá habilidades socioemocionais integradas ao novo Currículo da Cidade

São Paulo na TV

Programa Alimento Saudável - SME

Ver agenda completa