Notícias

Prefeitura anuncia abertura do Hospital da Brasilândia para tratar coronavírus

Unidade terá 150 leitos de UTI e 30 leitos de transição exclusivos para o tratamento de pessoas com a doença causada pelo coronavírus

De Secretaria Especial de Comunicação

O prefeito Bruno Covas anunciou neste sábado (28) mais 150 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Municipal da Brasilândia, na Zona Norte, para tratamento de pacientes atingidos pelo coronavírus na capital. No mesmo local, que deve ser aberto em cerca de 40 dias, também serão instalados 30 leitos de enfermaria exclusivamente para o tratamento de pacientes de covid-19.

 “Teremos mais 150 leitos de UTI, no Hospital da Brasilândia, para atender a cidade de São Paulo nessa luta contra o coronavírus”, afirmou o prefeito, que esteve no local acompanhado do secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido. Segundo o prefeito, dessa maneira serão 725 leitos a mais de UTI para atender a capital paulista durante a pandemia de coronavírus. “Essa é uma luta contra um inimigo invisível”, afirmou o prefeito, ressaltando a necessidade do isolamento social para evitar a propagação da doença. “Quero insistir na importância do isolamento. Não há dicotomia entre saúde e economia”, afirmou Covas.

O secretário Edson Aparecido destacou a importância dos novos leitos. “É fundamental associarmos as medidas de isolamento social à preparação da rede pública para o momento mais agudo de propagação da doença, que deve ocorrer em abril ou maio”, disse Edson Aparecido.

As obras do Hospital da Brasilândia estão sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras. Tiveram início em junho de 2015 mas foram paralisadas pela gestão anterior, por falta de recursos, em dezembro de 2016.  A atual gestão retomou os trabalhos em agosto de 2017. Quando concluído, o novo hospital contará com 11 pavimentos, 40.728 m² de área construída em um terreno de 17.497 m².

Hospital Brasilândia

Assim que estiver totalmente concluída, a unidade da Brasilândia, antiga reivindicação da população da Zona Norte da cidade de São Paulo, será um hospital geral e maternidade, com 305 leitos e beneficiará 2,2 milhões de pessoas da região. As obras de construção do Hospital da Brasilândia têm investimentos de R$ 275 milhões pela Prefeitura.

Ações do documento