Notícias

Prefeitura amplia vagas para a Operação Baixas Temperaturas nos CEUs

Foram abertas 400 novas vagas emergenciais para acolhimento de pessoas em situação de rua

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) e Educação (SME), abriu hoje (9), em quatro novos Centros Educacionais Unificados (CEUs), 400 vagas emergenciais destinadas a pessoas em situação de rua. A rede de acolhimento da Assistência Social foi ampliada em espaços cedidos pela Educação para atender o Plano de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas 2020, em vigor desde 6 de maio, e se estenderá até 20 de setembro.

Os novos Centros de Acolhimentos Emergenciais foram criados nos CEUs Alvarenga (Cidade Ademar), Aricanduva (Itaquera), Tiquatira (Penha) e Meninos (Ipiranga). Cada unidade tem capacidade para atendimento de 100 vagas diariamente. Para apoiar a logística de transporte, foram disponibilizados dois ônibus saindo do Páteo do Colégio, no Centro,para Itaquera.

Os CEUs receberão perfis de públicos distintos. O Alvarenga, localizado na Zona Sul, é destinado para acolher 60 homens, 30 mulheres e 10 mulheres transexuais. Na Zona Leste serão acolhidos 100 homens no Aricanduva e 100 mulheres com ou sem crianças no Tiquatira. No CEU Meninos serão acolhidas 100 famílias.

Nos serviços de acolhimento, os conviventes recebem kits de higiene, acesso a banhos e a refeições (café da manhã, almoço e jantar) e contam com espaços de convivência com TVs e jogos, atendimentos psicossociais e orientações preventivas de combate à covid-19.

A Portaria prevê, também, a ampliação do número de vagas em novos centros de acolhida ou em abrigos emergenciais. Este ano já foram abertas 536 vagas em novos centros instalados em cinco Centros Esportivos e em um Centro Educacional Unificado (CEU), em Guaianases.

Desde o início das Operações Baixas Temperaturas foram realizados 317.342 mil acolhimentos nos 89 serviços da rede socioassistencial do município destinados a pessoas em situação de rua. É importante destacar que uma pessoa pode ser acolhida mais de uma vez.

Durante o dia, os orientadores socioeducativos que atuam nos Serviços Especializados de Abordagem Social (SEAS) fazem as abordagens em pontos estratégicos da cidade, ofertando encaminhamentos à rede de acolhimento e outros serviços da rede pública. Na madrugada, a atividade é realizada pela Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS). O aceite para a rede socioassistencial é voluntário.

A ação é intensificada quando a temperatura atingir o patamar igual ou inferior a 13º C, ou sensação térmica equivalente. A população também pode ajudar pedindo abordagem social ao ligar para a Central 156. A ligação é gratuita e funciona 24 horas por dia.

A solicitação pode ser anônima, mas é importante ter as seguintes informações para facilitar a identificação:

- O endereço em que a pessoa em situação de rua está (o número pode ser aproximado);

- Pontos de referência;

- Características físicas e detalhes de como a pessoa a ser abordada está vestida.

 

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Família Acolhedora

Ver agenda completa