Notícias

Prefeitura adota novas medidas para reduzir risco de contágio em velórios e enterros na capital

Após limitar tempo e pessoas nos velórios, gestão autoriza contratação de mão de obra temporária e amplia frota para atender somente casos suspeitos e confirmados

De Secretaria Especial de Comunicação

Depois de limitar o tempo e a quantidade de pessoas nos velórios, a Prefeitura de São Paulo, por meio do Serviço Funerário Municipal (SFMSP), vai adotar novas medidas para proteger servidores e os usuários dos serviços durante a pandemia do coronavírus.
As ações envolvem a contratação temporária de novos coveiros, locação de veículos, equipamentos de proteção e diminuição do tempo dos velórios. Todas essas ações foram ou serão implementadas com base nas recomendações do Ministério da Saúde.
Embora o Serviço Funerário Municipal tenha 257 sepultadores em seus quadros, cerca de 60% foi afastado por pertencer ao grupo de risco – 60 anos ou mais. Para garantir a prestação dos serviços, a Prefeitura contratou uma empresa privada para fornecer 220 profissionais temporários, que começaram a trabalhar nesta segunda-feira (30). A empresa contratada é a Carrara Serviços Limitada e o valor do contrato é de R$ 8.960.903,40, pelo período de seis meses.
Em média, o Serviço Funerário Municipal realiza cerca de 250 sepultamentos diariamente. No inverno, por exemplo, o número sobe para cerca de 340 ao dia em função do crescimento de doenças e complicações respiratórias.

Aumento da frota

A frota de veículos para traslado de corpos também foi elevada. Na última sexta-feira (27), a gestão incorporou mais 20 carros para atender o Serviço Funerário. No total, o número passou de 36 para 56 automóveis, dos quais 10 estão reservados para o translado de corpos de vítimas ou suspeitas da Covid-19. A higienização é realizada com água, detergente, água sanitária e cloro, ao final de cada serviço.
Todos os sepultadores e coveiros estão aptos a fazer os sepultamentos nos casos suspeitos ou confirmados de coronavírus e utilizam equipamentos de proteção individual como máscara, luvas e uma roupa apropriada para manejo dos corpos. Além disso, o SFMSP disponibiliza álcool em gel para desinfecção de todos os funcionários.
Uma nova tecnologia de segurança para sepultadores e coveiros, motoristas e demais servidores que possam ter acesso aos corpos passará a ser utilizada a partir de segunda-feira (30). As vítimas do covid-19 ou suspeitas serão envolvidas em um saco plástico impermeável (Invol) que será colocado ainda no hospital. A Prefeitura adquiriu cinco mil unidades do produto.
Mil novas gavetas serão instaladas nos cemitérios, conforme previsto em projeto de ampliação de vagas que já estava em andamento. Essa medida leva em consideração exigências ambientais para evitar a contaminação do solo. As gavetas devem ser instaladas nos cemitérios da Vila Mariana e Vila Alpina, mas ainda não tem data definida.
A cada seis meses, o SFMSP realiza uma nova compra de aproximadamente seis mil unidades de urnas funerárias. Em março, foram solicitadas oito mil unidades para manutenção do estoque.


Tempo de velório

Com base nos decretos municipais nº 59.283 e 59.291, publicados respectivamente em 16 e 20 de março, que estabeleceram situação de emergência e situação de calamidade na capital, o acesso às salas de velório está limitado ao número máximo de 10 pessoas e a duração de 1h. As cerimônias noturnas foram canceladas. Os funerais em casos suspeitos de coronavírus não são recomendados, mas, se for o desejo da família, o caixão deverá permanecer fechado durante toda a cerimônia. O limite de tempo e pessoas no velório vale para todas as causas mortis. O objetivo é evitar aglomerações, uma das formas cientificamente comprovada para evitar a transmissão e, consequentemente, a disseminação do coronavírus.

Ações do documento