Notícias

Mulheres debatem igualdade de gênero e raça no mercado de trabalho

Live realizada esta semana celebra o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, que ocorre no dia 25 de julho

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, realizou na última quarta-feira (22/07), uma live com o tema Igualdade de Gênero e Raça no Mercado de Trabalho, em celebração ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha. A data de reflexão e luta pelo fim da violência doméstica e do feminicídios, também busca garantias de acesso à saúde pelas mulheres negras, liberdade religiosa, cultural, entre outras.

O encontro contou com a participação de Jandaraci Araujo, subsecretária de Empreendedorismo Pequenas e Médias Empresas do Estado de São Paulo e diretora executiva do Banco do Povo SP; Verônica Machado, empreendedora e ativista social, fundadora e diretora de Relações Institucionais da ONG Mensageiros da Esperança e do Instituto Inovação Sustentável e Vanessa Ribeiro, diretora de Mercado de Trabalho na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho.

“Abrir espaço para mulheres negras que lideram é importante para dar referência para as demais mulheres. Em nossa secretaria buscamos fazer políticas publicas que orientem e ajudem no empoderamento da mulher, seja no empreendedorismo ou no mercado de trabalho. Esse encontro trouxe três mulheres fortes e atuantes que mostram que é possível superar os desafios para alcançar seus objetivos”, ressalta a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso, que também mediou o encontro.

A subsecretária de Empreendedorismo Pequenas e Médias Empresas, Jandaraci Araújo, destacou os obstáculos enfrentados pelas mulheres negras que impedem o avanço deste grupo no mercado de trabalho ou em outras iniciativas. “As mulheres negras ainda estão no topo de várias estatísticas, seja por ganhar menos que a mulher e o homem brancos; estar na maioria dos casos de violência doméstica e ainda liderar a maioria dos lares no país. Todo esse conjunto de situações são barreiras, muitas vezes intransponíveis, para muitas delas. Ainda precisamos avançar para atuar junto na qualificação das mulheres, levando educação e conhecimento sobre as políticas públicas que elas desconhecem”, afirma Jandaraci.

Já a diretora de Mercado de Trabalho, Vanessa Ribeiro, trouxe para o debate a atuação do Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo da Prefeitura de São Paulo. “São diversas estratégias na gestão pública para ampliar as ações afirmativas na empregabilidade. Nos Cates, entre o ano passado e o primeiro semestre deste ano, 47,5% dos inscritos se autodenominaram pretos ou pardos, totalizando 74 mil inscritos negros, Além das ações nos Cates, também buscamos atuar em conjunto com outras iniciativas da Prefeitura, como o Programa Tem Saída que insere mulheres vitimas de violência doméstica no mercado e tem uma maioria de mulheres negras e pardas atendidas”, ressalta Vanessa.

Verônica Machado, empreendedora e ativista social, que também atuou na SMDET como coordenadora do Programa Mãos e Mentes Paulistanas trouxe o aspecto da superação de desafios. “Ser mulher negra, periférica e com deficiência me trouxe inúmeras barreiras, mas também me levou a ocupar lugares que não imaginaria, em empresas e no meu trabalho como ativista. Isso tudo foi possível com oportunidades que surgem, mas que também mostram que é necessário políticas públicas e maior abertura do mercado para acolher ainda mais a diversidade”, salienta Verônica.

Processo seletivo

O Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo realiza nesta semana processo seletivo especial para mulheres, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha. As inscrições on-line foram finalizadas no dia 21 de julho e nos dias 23 e 24 ocorre o processo seletivo no Cate Central.

Foram disponibilizadas 400 vagas para este público. São oportunidades de emprego nos setores do comércio e serviços, sendo a maioria para atuar em supermercados e com telemarketing. Os salários variam entre R$ 998 e R$ 1.442, sendo necessário para todos os cargos escolaridade entre fundamental e médio completo.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - A esperança em forma de vacina