Notícias

Isolamento social: Capital registrou 39% na última quinta-feira (10)

Cidade continua em quarentena. Novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente

De Secretaria Especial de Comunicação

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o índice de 39% de isolamento social na última quinta-feira (10). No início de dezembro, todo o estado de São Paulo retornou para a fase amarela do Plano São Paulo, endurecendo as restrições para evitar aglomerações e o contágio do vírus.

“A melhor forma de protegermos a economia é a retomada econômica e sustentável à longo prazo, protegendo às pessoas”, disse a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, que continuou: “eu reforço os pedidos para quem não está cumprindo os protocolos, pois o descumprimento de poucos coloca em risco o trabalho e o esforço que muitos estão fazendo nesse momento. Todos nós queremos fazer as nossas compras de fim de ano, todos sabemos que o comércio precisa deste fim de ano, mas isso só será possível com muita responsabilidade, colaboração e compromisso de todos nós”.

O novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente. Não é hora de baixar a guarda, mas sim retomar os cuidados com os protocolos de higiene e segurança. Se puder, fique em casa, mas se sair, use máscara cobrindo o nariz e a boca (mesmo nos dias mais quentes), limpe as mãos com frequência, mantenha o distanciamento social e evite aglomerações. Essas são as medidas essenciais para o controle da doença.

Especialistas do Centro de Contingência do coronavírus ressaltam que a exigência do isolamento social continua, sobretudo para as pessoas de grupos de risco (como maiores de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou crônicas e pacientes imunodeprimidos ou em tratamento oncológico).

De fato, o grupo etário com maior preocupação da área médica é o dos idosos, que representam 77% dos casos onde a doença evolui de forma grave, com maiores chances de mortalidade pela covid-19, no entanto, existe um alerta também aos mais jovens, que continuam em situação de aglomeração, muitas vezes desnecessária.

“Nós temos que entender que o jovem não é imune e também pode adoecer e morrer em decorrência deste vírus. Outro aspecto que é fundamental é lembrar do quanto ele [o jovem] é capaz de transmitir, tanto para a sociedade, quanto para quem está na sua própria casa, levando aos seus pais e avós, que muitas vezes estão em casa respeitando a quarentena, e incorrem um maior risco de evoluir de forma grave e fatal”, disse o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn.

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 443.695 casos confirmados e 15.553 óbitos pela doença na capital. Outros 635.430 casos e 6.161 óbitos estão em investigação.

 

SIMI-SP
A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento também servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.


Leia também:
Coronavírus: Confira as principais notícias publicadas no site da Prefeitura

 

Ações do documento