Notícias

Escolas Municipais têm 41% da merenda formada por produtos orgânicos e provenientes da agricultura familiar

Número ultrapassa mínimo previsto em lei no fornecimento de produtos dos gêneros

De Secretaria Especial de Comunicação

Comprometida em oferecer uma alimentação saudável, com qualidade e variedade aos alunos da rede municipal de ensino, a Secretaria Municipal de Educação investe fortemente na compra de alimentos orgânicos nos cardápios de suas escolas. Por meio da Coordenadoria de Alimentação Escolar (CODAE), todos os meses são compradas 287 toneladas de arroz e legumes, 34.104 unidades de banana e 7,5 litros de suco de uva orgânico. Esse número representa 41% do total de alimentos consumidos na rede de ensino municipal. Os números são superiores a 2018, quando 33,19% do consumido pela rede era composto de produtos orgânicos e provenientes da agricultura familiar.

O cardápio das escolas da rede municipal de ensino conta com itens orgânicos, como banana (nanica e prata) fornecida desde 2017, arroz orgânico longo fino (a partir de 2013), suco de uva integral (desde 2018) e hortaliças como alface, escarola, couve, repolho, salsa e cebolinha, desde o ano passado. Todos os alimentos são adquiridos de produtores na cidade de São Paulo. 

Para este ano, estão em andamento as compras de doce de banana orgânico, suco de laranja, iogurte com polpa de frutas, farinha de mandioca e molho de tomate.



Agricultura familiar e orgânica
A Secretaria Municipal de Educação segue a lei federal 11.947/09 que determina a utilização de 30% dos alimentos consumidos nos estabelecimentos de ensino provenientes de agricultura familiar e orgânica. Conforme previsto na legislação, parte dos recursos para a compra dos alimentos são repassados por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e devem ser utilizados na aquisição desses gêneros naturais.

Em 2018, foram repassados R$ 95 milhões pelo Governo Federal e a Secretaria Municipal de Educação utilizou 41% desses recursos (R$ 39,5 milhões) na compra de alimentos orgânicos e provenientes da agricultura familiar.

Até abril deste ano, a Secretaria da Educação investiu R$ 6, 11 milhões na compra de alimentos dessa natureza.


Programa de alimentação
O Programa de Alimentação Escolar da cidade de São Paulo é um dos maiores do mundo. Oferece, em cerca de 3.500 unidades educacionais, em torno de 2,3 milhões de refeições diárias para mais de um milhão de alunos da rede municipal. Para realizar este trabalho, a Prefeitura conta com equipes de nutricionistas, logística, qualidade e gestão, entre outros.

A Coordenadoria de Alimentação Escolar (CODAE) da Secretaria Municipal de Educação é responsável pelo gerenciamento técnico, administrativo e financeiro do Programa de Alimentação Escolar da Cidade de São Paulo.

Prato Aberto
Os pais podem contar com um dispositivo para acompanhar a alimentação de seus filhos na escola. Trata-se do Prato Aberto, criado pela Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Representação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco no Brasil) .

A plataforma pode ser acessada pelo link pratoaberto.sme.prefeitura.sp.gov.br/ em computadores e dispositivos móveis como tablets e celulares. O cardápio pode ser checado por dia e por escola, com visualização no mapa.

Ações do documento