Notícias

Equipamentos culturais e eventos poderão reabrir parcialmente na fase amarela

Ação será permitida após 28 dias consecutivos da capital na fase amarela

De Secretaria Especial de Comunicação

Os setores de eventos, espetáculos culturais, museus, galerias, acervos, centros culturais, bibliotecas, cinemas, teatros e casas de espetáculo poderão reabrir parcialmente na fase amarela, assim como eventos culturais com público sentado e lugar marcado. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (03) durante coletiva de imprensa concedida pelo prefeito Bruno Covas e pelo governador João Doria, realizada no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado. 

O início de atividades culturais, eventos e convenções apenas com o público sentado será autorizado após 28 dias consecutivos da região na fase amarela. O município de São Paulo, por exemplo, que está na fase amarela desde o dia 29 de junho, se permanecer na mesma etapa, poderá retomar essas atividades no dia 27 de julho.

“A partir de hoje a gente começa uma discussão interna com a Vigilância Sanitária do Município, diante dessa nova decisão do Governo de São Paulo de autorizar, já na fase amarela, reabrir as academias e retomar as atividades culturais. Assim que a Prefeitura definir como será feito no município, nós comunicaremos a todos vocês”, destacou o prefeito Bruno Covas.

Para estes setores, será necessário ter ocupação máxima de 40% da capacidade do local, funcionamento máximo de 6 horas por dia, público sentado e assentos com distanciamento mínimo de 1,5 metro e uso obrigatório de máscara. A venda de ingressos deve ser exclusivamente online, para assentos marcados e horários pré-agendados e será necessário controlar o acesso e o número de pessoas, observando a lotação máxima. O consumo de alimentos e bebidas deverá ser suspenso, garantindo que todos mantenham o uso das máscaras.

Grandes eventos e demais atividades culturais que geram aglomeração serão autorizados após 28 dias consecutivos do estado de São Paulo na fase verde. As medidas incluem ocupação máxima de 60% da ocupação, uso de máscara e marcações para delimitar a distância entre as pessoas (que poderão ficar em pé). As vendas de ingresso devem ser exclusivamente online, com horários pré-agendados e será necessário haver controle do acesso e o número de pessoas, observando a lotação máxima.

"Todos os protocolos estão registrados no plano SP e podem ser acessados por todos, para que se inicie o processo de preparação", disse a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Patrícia Ellen. 

“São Paulo já salvou mais de 70 mil vidas ao longo de cinco quarentenas. Prosseguiremos com uma quarentena não mais homogênea, mas fundamentada no Plano São Paulo e que orienta as pessoas sobre o melhor procedimento para salvarem suas vidas”, disse o governador João Doria.

Leia também:
Coronavírus: Confira as principais notícias publicadas no site da Prefeitura


Ações do documento