Notícias

Empresas parceiras viabilizam a construção de 100 novos leitos para pacientes com suspeita de infecção pelo coronavírus

Primeiros 40 leitos serão entregues em 20 dias; nova unidade funcionará anexa ao Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. Moysés Deutsch

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, em parceria com as empresas Ambev, Gerdau e o Hospital Israelita Albert Einstein, está construindo 100 novos leitos para pacientes com suspeita de infecção pelo novo coronavírus numa unidade anexa ao Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. Moysés Deutsch, na Zona Sul da capital. A obra começou ontem (24/03) e tem um custo estimado em R$ 10 milhões.

Segundo o prefeito Bruno Covas, os 100 leitos de observação serão construídos ao lado do Hospital Municipal M’Boi Mirim. “Esses leitos serão somados aos dois mil leitos dos dois hospitais de campanha (Anhembi e Pacaembu). Portanto, teremos 2.100 leitos de observação”, disse.

O novo hospital terá seus primeiros 40 leitos, com camas, ar condicionado, televisão e um banheiro para cada três leitos, entregues em apenas 20 dias. E a unidade será entregue com 100% dos novos leitos até o fim do mês de abril, sendo incorporada à operação do Hospital Municipal M’Boi Mirim após o fim da pandemia do covid-19.

A colaboração das empresas de segmentos diferentes dará a velocidade necessária para a entrega. A Ambev vai contribuir na gestão do projeto com sua experiência de processos ágeis e de construção de seus armazéns, que são erguidos no prazo de 20 dias, além do custo da construção. A Gerdau oferecerá o aço, que servirá como principal matéria prima para o método construtivo, e o conhecimento que possui na montagem de estruturas metálicas. E o Hospital Israelita Albert Einstein vai colaborar com a sua expertise na gestão do atendimento, com foco na segurança do paciente com humanização.

“Esse momento pede colaboração e união de esforços. Cada um deve fazer o que está ao seu alcance para juntos superarmos essa situação o quanto antes. Decidimos aproveitar nossa expertise em construções rápidas, como as que fazemos em nossos armazéns próprios, e nos unirmos à Gerdau e ao Einstein para entregarmos esse hospital com a agilidade e qualidade necessárias para o momento. Aproveito para convidar, neste momento, outras empresas que queiram aderir a este movimento do bem para aumentar a capacidade de leitos do país”, comentou o CEO da Ambev, Jean Jereissati.

O hospital será construído a partir de técnica de construção modular, com uso previsto para 20 anos, criada pela Brasil ao Cubo, uma Construtech Brasileira. Essa técnica permite entregar obras em caráter definitivo e com velocidade que já que é quatro vezes mais rápida do que uma construção comum. Essa técnica parte da junção de módulos individuais, produzidos em uma fábrica e, então, montados como “peças de jogo” no local.

“O momento que vivemos é desafiador para todos. É importante que cada um faça a sua parte e nós da Gerdau seguimos firmes cumprindo nosso compromisso com o Brasil. Decidimos participar dessa brilhante iniciativa, pois o momento pede colaboração. Estamos disponibilizando o nosso aço, que será a matéria-prima da estrutura do hospital. As estruturas em aço se destacam pela leveza, resistência e praticidade, o que ajudará a dar velocidade a essa importante obra que ajudará a salvar muitas vidas.”, explica o CEO da Gerdau, Gustavo Werneck.

O equipamento possui uma capacidade de expansão para até 200 leitos. Aproximadamente 500 profissionais multidisciplinares de saúde, que integram a equipe do Hospital Israelita Albert Einstein, serão deslocados para a nova unidade, que contará com atendimento 24h.

“Está em nossa missão entregar vidas mais saudáveis e levar uma gota de Einstein a cada cidadão. Neste momento da pandemia do novo coronavírus, reforçamos o nosso compromisso em colaborar com o sistema de saúde do nosso país sempre com foco na segurança do paciente e excelência do atendimento, sem deixar a humanização de lado, afinal, é um momento em que é necessário atuar coletivamente. E estamos certos que a colaboração entre diferentes agentes da sociedade, como acontece nesta parceria que une as forças das três organizações, é o caminho para suplantarmos esta situação crítica, que requer consciência e engajamento coletivos, mesmo com o isolamento social”, afirma o presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, Sidney Klajner.

O prefeito Bruno Covas ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e se coloca à disposição de outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade de São Paulo.

Novos leitos de UTI

A Prefeitura de São Paulo também irá antecipar a implementação de 150 novos leitos de cuidados intensivos exclusivos para pacientes infectados pelo novo coronavírus, no Hospital da Vila Brasilândia.

“A cidade que já vinha se preparando para ampliar a rede com 490 novos leitos de UTI, agora terá 640 leitos a disposição da população, para que a gente possa passar pela fase mais crítica da doença do coronavírus na cidade de São Paulo. Seguimos trabalhando 24 horas por dia, sete dias por semana”, finaliza o prefeito Bruno Covas.

+ Coronavírus: Confira as principais notícias publicadas no site da Prefeitura

Ações do documento

Vídeos

SPlica - Cursos Grátis no Portal do Cate