Notícias

Planetários de São Paulo: canal no YouTube e podcast para potencializar a divulgação científica

Publicações têm foco em conteúdos curtos e com muita informação. Vídeos incluem temas como veículos espaciais, o programa Voyager e foguetes

De Secretaria Especial de Comunicação

Devido à pandemia do novo coronavírus, os planetários dos parques do Ibirapuera e do Carmo estão fechados por tempo indeterminado. Entretanto, a divulgação científica não deixou de ser feita nas redes sociais dos Planetários de São Paulo. A novidade fica por conta do novo canal de YouTube e de um podcast, que busca compartilhar conhecimentos sobre astronomia.

O canal foi criado no final de março e o primeiro vídeo, sobre veículos espaciais que estudam a superfície de Marte, foi publicado em 3 de abril. Desde então, foram postados mais quatro vídeos sobre diversos assuntos, como o programa Voyager, o eclipse solar total que ocorreu em 2019, e sobre o que, de fato, é um foguete.

Já o “Astronosfera” é um podcast que busca ampliar a conversa e detalhar assuntos científicos, publicado no mesmo canal. No primeiro episódio, a história dos planetários foi o tema. De acordo com João Eduardo Fonseca, diretor dos Planetários de São Paulo, são realizadas duas reuniões semanais voltadas para a produção do conteúdo.

“Abrimos o canal com a proposta de produzir vídeos curtos, como drops de conhecimento. Temos muitos vídeos e episódios do podcast em produção. Em breve vamos publicar uma série específica sobre telescópios e vídeos com indicações de livros feitas por nossos professores”, afirma Fonseca.

A equipe dos Planetários de São Paulo faz parte da UMAPAZ (Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz), o Departamento de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) da Cidade de São Paulo.

Ficou com vontade de acompanhar esse trabalho? O canal do YouTube é o Planetários de São Paulo. O perfil no Facebook também é utilizado para divulgações científicas e novidades dos planetários.

“Hoje tem se tornado cada vez mais evidente a necessidade de ouvir o que a ciência diz. Por outro lado, os cientistas têm esquecido um pouco de falar. E é justamente nessa interface que se encaixa o papel da divulgação científica. Assim se exalta a importância desses locais como os Planetários de São Paulo”, completa o diretor.

Ações do documento

Vídeos

SPlica - Retomada consciente na fase amarela