Notícias

Covid-19: autoridades pedem que pessoas permaneçam em casa

Prefeito Bruno Covas ressalta a importância de ficar em casa durante pandemia. Isolamento social é fundamental para que vidas sejam preservadas na cidade.

De Secretaria Especial de Comunicação

A cidade de São Paulo concentra o maior número de casos confirmados de coronavírus no Brasil. De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados, até as 15h de quarta-feira (22), 11.383 casos confirmados e 919 óbitos. Outros 44.144 casos e 1.442 óbitos estão em investigação. 

Durante coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (23), no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado, o prefeito Bruno Covas, o governador João Doria e autoridades de saúde pediram para que a população contribua com o isolamento social, permanecendo em suas casas. Dados do Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo apontaram que o percentual de isolamento social na cidade de São Paulo, na última quarta-feira (22), foi de apenas 48%. A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.

“Eu gostaria de reforçar pedido que tenho feito: por favor, fiquem em casa. Eu sei que, a cada dia, fica ainda mais difícil atender essa solicitação, pois não é fácil abandonar a nossa rotina, não é fácil ter a nossa liberdade de ir e vir restringida. Mas agora é um momento decisivo. É hora de demonstrar o nosso espírito de união e a nossa solidariedade. Ficar em casa é um ato humanitário”, disse o prefeito Bruno Covas.

De acordo com o governador João Doria, a baixa adesão da capital pode impactar ainda mais a economia, fazendo com que a quarentena se estenda enquanto os índices de transmissão não diminuírem na cidade.

“A orientação é sempre da ciência e da medicina. Se nós não tivermos uma taxa superior a 50% poderemos rever a decisão da etapa que sucede a atual da quarentena, que vai até o dia 10 de maio. Portanto, é importante que as pessoas sigam a recomendação médica e fiquem em casa para proteger as suas vidas, as dos seus familiares, além de ajudar a passarmos mais rapidamente por esta crise no âmbito da saúde, no âmbito social e no âmbito econômico. Nós não poderemos fazer flexibilização se não tivermos o índice mínimo de 50% de pessoas em casa”, disse o governador João Doria.

Por este motivo, e sobretudo para conter avanço da doença e preservar toda a rede de saúde (seja ela pública, filantrópica ou particular), é fundamental que o isolamento social seja respeitado pelos moradores da capital. 

A implantação da quarentena segue orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), Ministério da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus de São Paulo, formado por epidemiologistas, cientistas, pesquisadores, infectologistas e virologistas, sob a coordenação do médico David Uip.

Conforme projeção do Instituto Butantan, centro de pesquisas biomédicas vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, a prorrogação da quarentena pode evitar 166 mil óbitos em todo o Estado de São Paulo, além de 630 mil hospitalizações e 168 mil internações em UTIs. Clique aqui e saiba mais

Durante a coletiva de hoje, o prefeito também anunciou a nova campanha para orientar a população da capital sobre a importância da quarentena e também o Plano de Contingência do Serviço Funerário, duas ações importantes para ajudar a combater e amenizar os efeitos do coronavírus na cidade.

Leia também:
Coronavírus: Confira as principais notícias publicadas no site da Prefeitura

 

 

Ações do documento

Vídeos

SPlica - Atendimento no Cate

Ver agenda completa