Notícias

Compostagem em São Paulo transforma resíduos de feiras livres em composto orgânico

Material é distribuído de forma gratuita aos moradores da cidade. Saiba como retirar e utilizar o composto orgânico

De Secretaria Especial de Comunicação

Atualizada em 12/07/2019 às 16h20

Com o objetivo de oferecer tratamento ambientalmente adequado para restos de podas de árvores e resíduos orgânicos de feiras livres, a Prefeitura de São Paulo conta com o programa Feiras e Jardins Sustentáveis. A iniciativa permite a transformação de resíduos de frutas, legumes e verduras (FLV) em composto orgânico, que é utilizado como insumo em jardins e praças públicas, gerando ganhos econômicos e ambientais significativos.

Outra finalidade do material é a sua distribuição de forma gratuita aos feirantes, munícipes, visitantes dos pátios de compostagem, escolas, equipamentos de saúde, eventos da Prefeitura, cursos, palestras, congressos, seminários sobre o tema (como o Plantio Global e o Projeto Estufa Escola) e utilizado na revitalização de pontos viciados.

Graças ao processo de compostagem de todo o material que é coletado, é possível diminuir o custo de operação de jardinagem de praças e jardins, por gerar adubo, e evitar o despejo de mais volume em aterros sanitários, diminuindo o deslocamento de caminhões e emissões de dióxido de carbono.

Trata-se de uma iniciativa da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) em parceria com as subprefeituras e as empresas de varrição Corpus (Pátios Ermelino Matarazzo e São Matheus), Sustentare (Pátios da Sé e Mooca) e Ecoss Ambiental (Pátio da Lapa)

 

O composto orgânico
O composto orgânico é formado por resíduos de frutas, legumes e verduras (FLV), que são acondicionados em sacos específico e recolhidos por um caminhão compactador, exclusivo. Ao chegar aos pátios, a operação se dá pela combinação dos resíduos orgânicos (FLV), dos resíduos de palha e poda picada.

Após essa etapa, o material é depositado em leiras estáticas (tipo de canteiros), estruturadas para aeração natural a 90 graus, recebendo tratamento ambientalmente adequado por meio de um processo de decomposição biológica (quando a decomposição do lixo é feita com a ajuda de oxigênio e temperatura acima de 65°C) é acelerada. O procedimento não polui, além de não gerar gases malcheirosos e outros inconvenientes ambientais, sociais e sanitários.

A alimentação das leiras ocorre nos dias de feiras livres - terça-feira a domingo. Existe uma leira para cada dia da semana, que recebe semanalmente o resíduo por um período de aproximadamente 90 dias (denominado fase ativa). Após este período, a leira entra na fase de maturação por aproximadamente 30 dias. Após as etapas ativa e de maturação (processo que dura aproximadamente 120 dias), temos a produção do composto orgânico.

Atualmente, cinco centrais de compostagem produzem o material nos bairros da Lapa, Sé, Mooca, São Mateus e Ermelino Matarazzo.

 

Como retirar o composto orgânico?
Os saquinhos de composto orgânico são fornecidos gratuitamente pela Prefeitura. As solicitações de retirada podem ser feitas pelo email compostagem@prefeitura.sp.gov.br.

 

Como utilizar o composto?
Em caso de pequenos vasos, as chamadas plantas ornamentais, recomenda-se a utilização de 25% de composto orgânico.

Já em escalas maiores, o composto deve ser misturado a terra na proporção de 3 kg por metro quadrado (Fonte: Embrapa).


Pátios de Compostagem
A utilização de pátios de compostagem além de diminuir a quantidade de resíduos destinados aos aterros sanitários, propicia a diminuição das emissões de dióxido de carbono no meio ambiente. A atuação dos pátios permite hoje a cobertura de 833 feiras espalhadas pela capital, além do Mercado Kinjoo (R. Barão de Duprat, 400) e seus arredores. 

Juntas, as estruturas têm a capacidade da retirada anual de aproximadamente 2,8 mil toneladas de resíduos orgânicos dos aterros sanitários, transformando-os em cerca de 420 toneladas/ano de composto de qualidade.

O primeiro pátio de compostagem foi inaugurado em dezembro de 2015, na Lapa, com a finalidade de cumprir o Programa Nacional de Resíduos Sólidos. Em setembro de 2018 foi a vez de a ganhar o segundo pátio, seguido pelas unidades entregues na Mooca, São Mateus e Ermelino Matarazzo.

Alguns dos pátios dispõem de uma horta interna para abastecimento dos próprios funcionários. Possuindo também, um viveiro criado para demonstrar a aplicabilidade do composto com a produção de mudas herbáceas. A sua finalidade é abastecer a Revitalização de pontos viciados, ações das Prefeituras Regionais, em Praças, Rotatórias e Canteiros.

A participação dos feirantes, que segregam os resíduos no momento da montagem das bancas, é fundamental para o sucesso do projeto. Por isso, as empresas operadoras dos Pátios (Inova e Soma), possuem equipes de conscientização ambiental, treinadas e capacitadas, que regularmente visitam as feiras e reforçam os procedimentos da separação e finalidade dos resíduos com os feirantes.

Endereços:
Lapa: Avenida José Maria de Faria, n° 487
Sé: Avenida do Estado, n° 3.330
Mooca: Rua Cirino de Abreu, n° 456
São Mateus: Rua Forte de Araxá, n° 409
Ermelino Matarazzo: Rua Eduardo Kiyoshi Shimuta

Ações do documento

Vídeos

SPLICA - Acessibilidade em São Paulo

Ver agenda completa