Notícias

Combate às enchentes: em um ano, Prefeitura investe mais de R$ 650 milhões em obras

Em 2019, foram investidos R$ 681,6 milhões em obras. Atual administração já entregou oito piscinões; até o fim de 2020 serão mais cinco

De Secretaria Especial de Comunicação

Atualizado em 10/01/2020, às 17h

A Prefeitura de São Paulo executou diversos trabalhos e programas no ano passado para reduzir as áreas de alagamento na cidade dotando a capital paulista com a infraestrutura necessária para o combate às enchentes. Em 2019, a Prefeitura investiu R$ 681,6 milhões em ações que englobam serviços como limpeza de córregos, microdrenagem, limpeza e construção de piscinões e conservação de galerias.

Em janeiro de 2017, a cidade contava com 24 piscinões. Até o momento, a atual administração inaugurou oito novos reservatórios. Entre janeiro de 2017 e dezembro de 2018, foram inaugurados três deles: Guamiranga (Zona Leste), Aricanduva R6 (Zona Leste) e Cordeiro R1 (Zona Sul). No ano passado, outros cinco novos piscinões entraram em operação nas regiões Sul, Norte e Oeste, com capacidade para armazenar 234 mil m³ de água, que equivalem a 93,6 piscinas olímpicas.  As obras para conclusão dos piscinões Tremembé R1 e R3 (Zona Norte), do piscinão na Avenida Diógenes Ribeiro de Lima (Zona Oeste), e de dois piscinões no Córrego Ipiranga (Zona Sul), região onde as enchentes são recorrentes, também foram concluídas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB).

Dessa maneira, sobe para 32 o número de reservatórios em operação para minimizar os problemas causados pelas enchentes na capital paulista. Em 2020 serão mais cinco: Aricanduva R7 e R8 (Zona Leste), piscinão do Córrego Paciência (Zona Norte), Piscinão Lagoa Aliperti (Zona Sul) e Tremembé R5 (Zona Norte), totalizando 13 novos piscinões até o final deste ano. 

Para o futuro, a Prefeitura de São Paulo trabalha na elaboração dos projetos executivos de cinco piscinões na bacia do Ribeirão Perus (Zona Norte) e um no Córrego da Mooca (Zona Leste). Em novembro de 2019, foi retomado o contrato para as obras da bacia dos córregos Paraguai e Éguas (Zona Sul). No momento, a Prefeitura elabora o projeto executivo e de obtenção da licença ambiental nos dois locais.

A Prefeitura também está atuando em importantes obras de canalização dos córregos da cidade. Em julho foram retomadas as obras de canalização do Córrego Zavuvus (Zona Sul). No Córrego Mirassol também na Zona Sul, as obras estão 95% concluídas e serão entregues este mês. Na Zona Norte, o Córrego Tremembé também está em obras e dois trechos foram concluídos em 2017 e 2018. Já no Córrego Paciência, também na Zona Norte, um trecho foi concluído em fevereiro de 2019 e os trabalhos nos demais trechos seguem em execução. No Córrego Dois Irmãos, na Zona Leste, as obras entre a Rua Bequimão e a Avenida Assis Ribeiro foram concluídas em outubro de 2019. No mesmo local, o trecho de travessia sob a Avenida Assis Ribeiro está em fase de estudo. Na região central da cidade, tiveram início, no ano passado, as obras no Córrego Anhanguera. Os trabalhos estão previstos para serem concluídos em outubro de 2020.

Programa de Redução de Alagamentos

Pelo Programa de Redução Alagamentos (PRA), que contempla obras pontuais que mitigam os alagamentos dentro dos bairros, a administração municipal concluiu dez obras e, até o final de janeiro, irá entregar o Córrego Afluente J (Zona Leste), que atualmente já traz benefícios para a comunidade do entorno. Também será concluída neste ano a implantação das novas galerias na Rua Nicolino Mastrocola, em Itaquera.

Em 2017 foram concluídas as obras nas ruas Coatimirim (Zona Leste), Joaquim Odorico Teixeira (Zona Sul) e Pinheiro Machado (Zona Oeste). Em 2018 foram finalizadas as intervenções nas ruas Lourenço Prado (Zona Oeste), Formoselha (Zona Leste) e Garapeba (Zona Sul). Em 2019 foram concluídas as obras nas ruas Chacurú (Zona Leste), Poetisa Colombina (ZL), Armando Cardoso Alves (Zona Leste) e Avenida Cipriano Rodrigues (Zona Leste).

A Prefeitura trabalhou em 2019 em importantes obras emergenciais relacionadas ao sistema de drenagem da cidade como a recomposição das galerias do Condomínio Cingapura da Avenida Zaki Narchi (Zona Norte), nas ruas Guarda de Honra (Zona Sul), Luiz Aires (Zona Leste) e na Avenida Engenheiro Heitor Eiras Garcia (Zona Oeste), além da contenção de taludes no Córrego Ipiranga (Zona Sul) e na Rua Maria Antonieta Ladalardo (Zona Sul).

CGE

Para o atual período de chuvas, o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo está trabalhando em parceria com a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) para inclusão dos alertas de enchentes nas rodovias que dão acesso à capital, permitindo que os motoristas busquem caminhos alternativos. Os displays dos relógios de rua também serão utilizados para exibir alertas sobre enchentes.

O CGE criou um novo alerta de iminência de transbordamento para rios e córregos, para permitir que a CET haja com mais antecedência. Já na Avenida Luís Inácio de Anhaia Melo serão instalados sensores para medir o nível da água no interior da galeria do córrego da Mooca, antecipando assim os alertas do CGE para o local.

 

 

 

 

Ações do documento

Vídeos

SPLORA - Faça uma visita virtual em 360° ao Beco do Batman