Notícias

Cate recebe mais de quatro mil currículos para o Hospital Municipal da Brasilândia

Segunda fase do processo seletivo é presencial no Cate Brasilândia, na Zona Norte da capital

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo encerrou nesta terça-feira (12/05), as inscrições para o processo seletivo de 213 vagas para trabalhar no Hospital Municipal da Brasilândia. O Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho recebeu 4.457 currículos, uma média de 21 candidatos por vaga. Os cargos disponibilizados são para seis meses em áreas da saúde, técnica e operacional. Profissionais da região Norte contam com prioridade na análise do currículo.

“Nesta semana o Hospital da Brasilândia começou a operar com 36 leitos exclusivamente dedicados para pacientes do coronavírus. Mas o prefeito Bruno Covas quer que os 305 leitos estejam funcionando o mais rápido possível, por isso estamos realizando o processo seletivo com a equipe técnica do Cate totalmente dedicada para poder finalizar ainda esta semana” explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso. “Esse hospital é um sonho antigo desta comunidade e faremos o melhor para que o início das atividades ocorra o mais breve”, completa.

A primeira fase do processo seletivo ocorreu de forma on-line com análise do perfil profissional dos candidatos. Já a segunda etapa é presencial e será estendida até sexta-feira (15), na unidade Brasilândia do Cate, localizada dentro da Subprefeitura Freguesia do Ó/Brasilândia. No local, os profissionais pré-selecionados passarão por entrevista e prova.

Os cargos na área da enfermagem e de recepcionista foram as que mais atraíram os candidatos, sendo a maioria das inscrições recebidas. O processo seletivo contou com oportunidades para nutricionista, auxiliar de faturamento, técnico de gasometria, auxiliar de protocolos e atendimento, farmacêutico, auxiliar de rouparia, entre outras. As informações sobre salários e benefícios serão repassadas durante o processo seletivo.

O Cate recebeu currículos de profissionais da capital, mas também da região metropolitana, interior de São Paulo e de outros estados como Bahia, Goiás e Amazonas.

Ações do documento