Notícias

Capital registra índice de isolamento social de 47%

Número registrado na última quinta-feira (30) mantém sinal vermelho para a baixa adesão da cidade, podendo impactar ainda mais a economia

De Secretaria Especial de Comunicação

Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o percentual de 47% de isolamento social na última quinta-feira (30). O número mantém o sinal vermelho para a baixa adesão da capital, podendo impactar ainda mais a economia, já que a quarentena poderá continuar enquanto os índices de transmissão do covid-19 (doença provocada pelo novo coronavírus) não diminuírem na cidade. O respeito ao isolamento social é fundamental para conter avanço da doença e preservar toda a rede de saúde (seja ela pública, filantrópica ou particular). 

“Nós temos que acompanhar o que vem acontecendo para saber, fazer uma projeção do que vai acontecer daqui a um tempo, principalmente, para avaliar se as medidas que estamos tomando estão sendo eficientes para fazer a epidemia caber dentro do sistema de saúde”, disse o diretor do Instituto Butantan e coordenador dos testes de coronavírus no Estado de São Paulo, Dimas Covas.

Com o baixo índice de isolamento da capital, todo esforço que a Prefeitura e o Governo do Estado têm feito para a ampliação do número de leitos será em vão e a quarentena deverá continuar. No último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados, até as 15h de quinta-feira (30), 18.438 casos confirmados e 1.514 óbitos pela doença registrados até 29/04. Outros 71.855 casos e 1.824 óbitos estão em investigação. Por isso que as pessoas devem colaborar ficando dentro de casa.

A implantação da quarentena segue orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), Ministério da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus de São Paulo, formado por epidemiologistas, cientistas, pesquisadores, infectologistas e virologistas, sob a coordenação do médico David Uip.

Atualmente, o plano para a retomada gradual do distanciamento social, feito pelo governo estadual, será baseado em critérios como:

  • A estabilidade e o declínio do número de óbitos
  • Variação epidemiológica
  • Capacidade de todo o estado na resposta aos doentes graves e que necessitam de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) 
  • Efetividade do distanciamento social

 

"Nós, do Centro de Contingenciamento e da Secretaria Estadual da Saúde, nos reunimos diariamente, 24 horas por dia, para tratar das metas, dos dados epidemiológicos, dos dados clínicos e de sustentação do sistema para oferecer ao governador e ao governo a melhor referência para a tomada de decisão”, explicou o coordenador do Centro, David Uip.

 

SIMI-SP 
A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras. 

O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

Quarentena
Conforme projeção do Instituto Butantan, centro de pesquisas biomédicas vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, a quarentena pode evitar 166 mil óbitos em todo o Estado de São Paulo, além de 630 mil hospitalizações e 168 mil internações em UTIsClique aqui e saiba mais

 

Leia também:
Coronavírus: Confira as principais notícias publicadas no site da Prefeitura
Nova campanha da Prefeitura mostra importância do isolamento social

Ações do documento