Notícias

Capital já aplicou mais de 9.600 doses da vacina contra o coronavírus em pessoas em situação de rua

Meta é vacinar as 13 mil pessoas cadastradas em equipamentos de saúde e acolhimento social

De Secretaria Especial de Comunicação

A Prefeitura de São Paulo, em ação conjunta das secretarias municipais da Saúde (SMS) e de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), aplicou 9.676 doses da vacina contra o coronavírus em pessoas em situação de rua até 14 de abril. Deste total, 8.384 pessoas receberam a primeira dose e 1.292 a segunda. A meta é vacinar as 13 mil pessoas que estão cadastradas em equipamentos de saúde e acolhimento social.

A vacinação para pessoas em situação de rua com mais de 60 anos iniciou em 12 de fevereiro e para usuários em situação de rua cadastrados nos Centro de Acolhida em 29 de março. Toda a ação é acompanhada pelas equipes do Consultório na Rua e Redenção na Rua e após a imunização de todos com as duas doses, a previsão é de começar a vacinação das pessoas que estão fora desses equipamentos de acolhida, mas que frequentam os espaços de convivência da SMADS.

Os moradores em situação de rua que estão nos centros de acolhida contam com acompanhamento de assistentes sociais, psicólogos, entre outros profissionais. Lá, eles são cadastrados em um banco de dados e seu rastreamento para 1ª e 2ª dose acontece a partir deste cadastro. Além disso, todos os equipamentos possuem comunicação visual com orientações e incentivos à imunização.


Atendimentos de Saúde


As Unidades Básicas de Saúde (UBS) desenvolvem ações de promoção, prevenção, proteção, diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos, cuidados paliativos e vigilância em saúde da população em situação de rua e a Atenção Básica é a principal porta de entrada.

As equipes do Consultório na Rua e Redenção na Rua constituem uma estratégia de ampliação do acesso e cuidado destinado às pessoas em situação de rua, integrando e articulando as ações com os diferentes equipamentos da rede, conforme suas necessidades. A SMS possui 26 equipes do Consultório na Rua e 8 equipes Redenção na rua, distribuídas nas seis Coordenadorias Regionais de Saúde do município. O atendimento consiste em consulta e visita de rua médica e de enfermagem, visita do auxiliar ou técnico de enfermagem e visita de rua do Agente de Saúde.

As equipes de Consultório na Rua trabalham em conjunto com as demais equipes da Atenção Básica, oferecem assistência de acordo com os protocolos da Atenção Básica, COVISA e Ministério da Saúde, reforçando a atenção aos sinais e sintomas relacionados à síndrome gripal.

As ações de enfrentamento ao novo Coronavírus estão articuladas em conjunto com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS). As equipes da saúde realizam orientação sobre o COVID-19 de sinais e sintomas, prevenção, higiene e realizam busca ativa de sintomáticos de síndrome gripal, nos Centros de Acolhida e nas pessoas que estão na rua.

Pessoas em situação de rua suspeitas de síndrome gripal com sintomas leves são encaminhadas para os centros de acolhida de isolamento social e casos com gravidade são direcionados aos serviços de saúde de urgência e emergência.


Novas vagas de acolhimento criadas durante a pandemia


A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) criou durante a pandemia 1.969 novas vagas, sendo 682 em oito equipamentos emergenciais em centros esportivos, 400 em Centros Educacionais Unificados (CEU), 207 em um Centro de Acolhida Especial para Idosos, 260 em um Centro de Acolhida Especial para Famílias e 430 vagas para hospedagem de idosos em situação de rua já acolhidos na rede socioassistencial, em nove hotéis (oito na região central e um na região norte). Das vagas criadas, 1.297 estão em funcionamento. Os equipamentos funcionam 24 horas e são voltados a diversos perfis.

As pessoas com suspeita ou diagnóstico de COVID-19 (sintomas leves) são encaminhadas para o Centro de Acolhida Especial na Vila Clementino, na Zona Sul (com 50 vagas) ou para um Centro de Acolhida na Lapa, Zona Oeste, com 100 vagas.

Os equipamentos têm suas estruturas higienizadas constantemente e são mantidos com as janelas abertas. Nos quartos, as camas foram colocadas em distância segura. Todos os eventos agendados nos serviços foram cancelados e as visitas suspensas. Todas essas medidas contribuem para diminuir o risco de contágio. Ao todo, a pasta dispõe de 99 serviços de acolhimento para pessoas em situação de rua.

Durante período de pandemia, a SMADS também ampliou a oferta de serviços nos quais as pessoas em situação de rua têm acesso a refeições, banheiros, kits de higiene e orientações.

No dia 03/04, começou a funcionar, na região do Cambuci, um Núcleo de Convivência Emergencial, com capacidade de oferecer café da manhã, almoço e café da tarde para 200 pessoas. A rede municipal conta com 10 Núcleos de Convivência, com 3.472 vagas. Para os Núcleos de Convivência da Sé, Prates, Porto Seguro, Luz e Bela Vista foram aditados em caráter emergencial mais 1.760 vagas.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Conselho Municipal de Imigrantes

Ver agenda completa