Notícias

Capital busca parcerias para aquisição de leitos de UTI

Lotação das Unidades de Terapia Intensiva Municipais passa de 80%

De Secretaria Especial de Comunicação

Durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (08) no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul, o prefeito Bruno Covas destacou a importância do isolamento social para a preservação de toda a rede de saúde da capital. Nos últimos meses, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), tem se empenhado para a criação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que eram 507 e serão acrescidas mais 1.550 unidades.

“Os números que a Secretaria Municipal de Saúde e a nossa Vigilância Sanitária nos trazem são cada vez mais preocupantes. A lotação das UTIs municipais passa de 80%, sendo que em metade dos nossos hospitais a gente já chega a quase 100% de ocupação. Os casos vêm crescendo, com mais de 100 mil pessoas, entre casos confirmados e suspeitos, um crescimento diário de quase 5 mil casos”, disse o prefeito Bruno Covas.

Por este motivo, o prefeito agradeceu as parcerias feitas com os hospitais privados Cruz Vermelha, Hospital do Rim, Beneficência Portuguesa, Oswaldo Cruz, Santa Marcelina, Santa Isabel, São Luiz Gonzaga, Leforte, Santa Cruz e Santa Casa de Santo Amaro.

“A Prefeitura segue no caminho do bem e da defesa da vida. Tudo o que puder ser feito será feito e estiver ao nosso alcance será feito. É verdade que podemos errar e acertar. Vamos corrigindo as medidas erradas e tomando as medidas necessárias para poder salvar vidas e garantir o mais importante neste momento, que é o acesso da população mais vulnerável à saúde pública. A doença cresce, em especial, nas nossas periferias e, por isso, estamos quadruplicando os números de leitos de UTI”, afirmou Covas, que também convidou outros hospitais privados a se sensibilizarem com a causa pública para colaborar com a preservação da vida de cada cidadão com o direito de lutar por um atendimento médico digno.

Embora o cenário atual seja muito preocupante, um modelo matemático do Centro de Contingência do Coronavírus, do Governo do Estado aponta que o isolamento social em todo o Estado de São Paulo evitou mais de 40 mil mortes desde o dia 24 de março. Porém, a alta taxa de ocupação de leitos em hospitais por covid-19 é o principal gargalo que exige a manutenção da quarentena.

Leia também:
Coronavírus: Confira as principais notícias publicadas no site da Prefeitura

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Merenda Escolar Sustentável