Notícias

Campanha #SeguimosPerto reforça ações que visam acolhida e cuidados humanizados

Nas redes sociais desde o início do período de quarentena, campanha da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania mostra a importância de cuidados humanizados e de acolhida para as pessoas que mais necessitam

De Secretaria Especial de Comunicação

Nesse momento em que é importante permanecer em casa para controlar o Coronavírus, a campanha #SeguimosPerto da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC)  esclarece à população que os serviços e equipamentos da Pasta permanecem abertos e à disposição - alguns, porém com horário diferenciado para atendimento.

Todos os 12 serviços prestados pela SMDHC estão em funcionamento. O Centro de Cidadania LGBTI Laura Vermont atende das 11h às 20h. O Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes e os quatro Centros de Referência e os cinco Centros de Cidadania da Mulher atendem das 10h às 16h. Já os demais equipamentos seguem com horário normal, como a Casa da Mulher Brasileira, que mantém o funcionamento por 24 horas, inclusive aos fins de semana, além dos Centros de Abrigo e de Acolhimento.

Para a secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto, ao observar a evolução da propagação do coronavírus, a SMDHC adotou algumas medidas. "Desde o começo da pandemia, a Prefeitura de São Paulo vem pensando ações para a garantia de direitos dos cidadãos. Tendo como referência históricos recentes de outros países, como China, Itália e França onde, por exemplo, a violência contra a mulher aumentou, aqui já antecipamos campanhas de prevenção de direitos e mantivemos desde o começo da crise todos os equipamentos de Direitos Humanos abertos e em atendimento. Ainda, reforçamos a importância de as pessoas procurarem nossos serviços. Podemos estar em casa, mas seguimos com a nossa voz", afirmou.

A prioridade é atender aqueles que apresentam maior vulnerabilidade social, como a população em situação de rua e nos bairros mais afastados do centro. Assim outras ações estão sendo desenvolvidas.

A Coordenação de Políticas para a Pop Rua publicou um edital de credenciamento de restaurantes para realizar entregas de marmitas diariamente. É o Rede Cozinha Cidadã, onde os estabelecimentos inscritos e situados na cidade de São Paulo podem se credenciar para prestar serviço de fornecimento de refeições à população em situação de rua, com distribuição em pontos indicados pela pasta. Empresas privadas também participam com a doação de alimentos e materiais de higiene.

Organizações da sociedade civil e organismos como a Cruz Vermelha de São Paulo são parceiras da Prefeitura e da SMDHC na organização de participação de voluntários e produção de kits que são distribuídos à população.

SMDHC e outras secretarias estão engajadas na campanha #SPcidadesolidaria que recebeu a adesão de artistas brasileiros para estimular doações em dinheiro e materiais da cesta básica de alimentos distribuídas em diversos pontos da cidade no sistema drive trhu.

Para as pessoas idosas, considerado o grupo de risco na transmissão do novo coronavírus, foi criado o grupo virtual WhatsApp Solidário, que promove o envelhecimento ativo por meio de uma série de atividades sugeridas diariamente e à distância. Em todas as manhãs são encaminhadas orientações sobre prevenção, dicas de bem-estar e qualidade de vida. O projeto reúne cerca de 200 usuários do Polo Cultural da Terceira Idade, do programa “Espaço Longevidade” e do Grande Conselho Municipal do Idoso.

Ações do documento