Notícias

Audiência Pública confirma processo democrático do Plano Diretor do Ibirapuera

Quem participou da reunião pôde sanar dúvidas sobre a elaboração do documento; outros encontros completam a agenda de agosto.

De Secretaria Especial de Comunicação

Mais de cem pessoas foram à primeira audiência pública realizada na sede da Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz (UMAPAZ) nesta nesta quarta-feira (14 ). O objetivo foi dialogar sobre a minuta do Plano Diretor do Parque Ibirapuera. Frequentadores e integrantes do Conselho Gestor elaboraram suas dúvidas e propuseram sugestões. O maior beneficiado de mais este debate foi o próprio processo democrático.

A principal meta da audiência pública é ampliar, ainda mais, a discussão em torno do Plano Diretor do Parque Ibirapuera, para que a comunidade – de usuários e frequentadores a conselheiros gestores – contribua nesse processo de elaboração. As minutas de todos os Planos Diretores dos parques integrantes do primeiro lote – Ibirapuera, Jacintho Alberto, Eucaliptos, Jardim Felicidade, Tenente Brigadeiro Faria Lima e Lajeado – também estão disponíveis para Consulta Pública, por meio da plataforma digital Participe da Gestão Urbana.

Debates
Temas mais polêmicos versaram sobre as restrições propostas pelo Plano Diretor. A coordenadora de Gestão dos Parques e Biodiversidade (CGPABI), Tamires Carla de Oliveira, procurou dar a devolutiva, lembrando o rápido crescimento das assessorias esportivas nos parques e também a introdução de novos modais, como os patins, a conflitarem com os pedestres e ciclistas. “É claro que cabe uma revisão nas restrições consideradas mais severas, inclusive quanto ao uso noturno. O que precisamos é encontrar a maneira adequa de fazer os ajustes contemplando todas as opções. O objetivo é ordenar o uso para todos”, reiterou.

Diretor técnico do Ibirapuera, o engenheiro agrônomo Heraldo Guiaro destacou que ao longo dos últimos 25 anos foi possível resolver conflitos através do diálogo, principalmente nas questões que envolviam o uso por grupos organizados. “O espaço do parque precisa ser respeitado para o coletivo, sem delimitações que favoreçam um grupo menor de frequentadores”, exemplificou. Em alguns aspectos, a arquiteta lembrou que o Ibirapuera já tem questões consolidadas.

Ao dar as devolutivas das contribuições recebidas, Tamires destacou os temas de limpeza e de como seria a conservação geral do parque pela empresa vencedora da concessão. “A ideia da concessão é otimizar tudo isso. A empresa tem a responsabilidade de reformar, claro, mas principalmente preservar e manter o parque pelo período previsto. A manutenção civil é uma obrigação, neste plano. Nosso papel, a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente não vai deixar de existir, assim como todos os processos internos de nosso setor, e da mesma forma os tombamentos. As mudanças realizadas ao longo do tempo foram necessárias para acompanhar o dinamismo do parque, e isso não será diferente”, afirmou Tamires.

AGENDA
Fórum 2 - Serviços ecossistêmicos
Data: 16/08/2019 - sexta-feira
Horário: das 18h30 às 21h30

Fórum 3 - A questão da água no Parque Ibirapuera
Data: 22/08/2019 - quinta-feira
Horário: das 18h30 às 21h30

Audiência Pública nº 2
Data: 24/08/2019 - sábado
Horário: das 10h às 13h
Local: UMAPAZ – Avenida Quarto Centenário, 1268 – portão 7-A – Parque Ibirapuera

Pesquisa do Parque Ibirapuera
Prazo: até o dia 25 de agosto
Acesso digitalpesquisa do Ibirapuera

Pesquisa Digital dos Jacintho Alberto, Eucaliptos, Jardim Felicidade Tenente Brigadeiro Faria Lima e Lajeado
Data: até 25 de agosto
Acesso digital: por meio do formulário eletrônico

CONSULTAS PÚBLICAS:
Prazo: até 25/08 (Ibirapuera) e 26/08 (demais parques)
Acesso: acesse em Participe da Gestão Urbana

Ações do documento

Vídeos

SPLICA - Acessibilidade em São Paulo

Ver agenda completa