Serviços para Cidadão

Hospital Domiciliar

O Programa Hospital Domiciliar de Atendimento e Internação Domiciliar (PROHDOM) é uma iniciativa da Secretaria Municipal da Saúde, que visa o atendimento de pacientes de todas as idades, moradores na cidade de São Paulo, cujo benefício se traduzirá na redução dos riscos decorrentes das internações de longa permanência, no tratamento dos pacientes com dificuldade de locomoção e nos cuidados de prevenção de doenças.

Uma vez que 70% das doenças são passíveis de tratamento em domicílio, propiciará a redução da média de permanência e agilização da alta hospitalar, proporcionando, assim, o aumento na oferta de leitos.

O PROHDOM atua em duas modalidades de atendimento:

·         Atendimento Domiciliar: É uma modalidade de cuidado à saúde, como alternativa ao tratamento ambulatorial realizada no domicílio do paciente, por um ou vários profissionais habilitados, que visa o restabelecimento e a manutenção da saúde, bem como sua autonomia, independência e participação no seu contexto social por meio do desenvolvimento e adaptação de funções, elevando sua qualidade de vida.  
 

·         Internação Domiciliar: Pode ser definida como uma atividade de cuidados à saúde realizada no domicílio, como alternativa à hospitalização para paciente com quadro clínico estável e que dependa continuamente de cuidados especializados de uma equipe multiprofissional, coordenada e supervisionada por um médico. Envolve transferência de aparato tecnológico específico para o domicílio, disponibilidade de serviços de transporte externo para emergências, exames especializados, fornecimento de medicamentos e monitoramento constante do paciente e da família. 

 Base Legal

·         Lei Municipal nº 15.447 de 26 de setembro de 2011, que institui o Programa Hospital Domiciliar PROHDOM como lei no município de São Paulo.

·         Portaria municipal nº 1.170, de 13 de junho de 2008, que dispõe sobre a criação do Programa Hospitalar Domiciliar de Atendimento e Internação Domiciliar (PROHDOM).

·         Portaria do Ministério da Saúde nº 2529, de 19 de outubro de 2006, que institui a internação domiciliar no âmbito do SUS;

·         Resolução da ANVISA nº 11, de 26 de janeiro de 2006, que dispõe sobre o regulamento técnico de funcionamento de serviços que prestam atenção domiciliar;

·         Lei nº 10.424, de 15 de abril de 2002, que dispõe sobre a regulamentação da assistência domiciliar no âmbito do SUS;

·         Portaria municipal nº 1034, de 29 de abril de 1993, que instituiu o Programa de Assistência Domiciliar;

 Metas

Proporcionar vagas aos munícipes nas modalidades de Internação Domiciliar (UID) e Atendimento Domiciliar, resultando maior oferta de leitos e procedimentos nas enfermarias e ambulatórios.

Nas duas modalidades, as equipes multidisciplinares são compostas por médico, enfermeira, técnico/ auxiliar de enfermagem, fisioterapeuta, nutricionista, assistente social e assistente administrativo. Outros profissionais poderão ser agregados de acordo com as necessidades e o perfil epidemiológico das regiões atendidas.

Ações

·         Sanção da Lei PROHDOM nº 15.447 de 26/09/2011, que institui o Programa Hospital Domiciliar- PROHDOM como Lei no município de São Paulo.

·         Promoção de eventos para capacitação dos profissionais que atuam na área de Atenção Domiciliar do Município de São Paulo com os temas: Úlcera por Pressão; Oxigenoterapia Domiciliar; Vias Alternativas de Aporte Nutricional; Antibioticoterapia e Curso para cuidadores.

·         Manual com diretrizes e Protocolo técnico- PROHDOM.

 ·         Incorporação de 9 ambulâncias do SAMU, reformadas e doadas para uso das equipes hospitalares do PROHDOM:

o    Hospital Dr.Carmino Caricchio

o    Hospital Vereador José Storopolli

o    Hospital Prof. Dr. Alipio Correa Neto

o    Hospital Tide Setúbal

o    Hospital Dr.Fernando Mauro Pires Rocha

o    Hospital Ignácio Proença de Gouvea 

o    Hospital Dr. Moysés Deutsch

 ·         Participação em eventos científicos

Poster PROHDOM (3) - M´Boi Mirim

 ·         Atualmente o Programa conta com 08(oito) equipes sediadas nos hospitais municipais.

 ·         Na Atenção Básica há 37 equipes sediadas nas UBS’s.

 

ATENDIMENTO DOMICILIAR DE SAÚDE MENTAL
Projeto Piloto 
(Hospital Municipal Vereador José Storopolli-Vila Maria)

Face ao crescente momento de crise psiquiátrica/demencial em todo mundo, tem tido destaque no planejamento das políticas públicas, uma intervenção interdisciplinar que atende demandas psiquiátricas e clínicas no próprio ambiente que vive. Evidências científicas se acumulam, que esse novo paradigma de atendimento- na comunidade, compartilhando com a família e o paciente responsabilidades, é um importante instrumento de empoderamento e fortalecimento do protagonismo da família e paciente no processo de superação de um transtorno mental. Isso gera uma diminuição de reinternações, diminuição do tempo de internação e diminuição de morbi-mortalidade dos pacientes com síndrome demencial. Aliado a isso, notou-se maior satisfação dos pacientes, melhora na qualidade de vida e custos menores que outros modelos de atendimento.

Diante do exposto, a Secretaria Municipal de Saúde, através do PROHDOM, instituiu como projeto piloto no Hospital Vila Maria, o Atendimento Domiciliar de Saúde Mental – modelo inovador na assistência à saúde mental brasileira.

Tal projeto, propõe-se a atender uma parcela de pacientes portadores de transtorno mental moderado a grave que, pela sua gravidade e maior dificuldade para procurar um serviço, ficavam à mercê da assistência tradicional, gerando em longo prazo, alta morbi- mortalidade e altas taxas de internações psiquiátricas e clínicas.

  Clique aqui e conheça a situação atual do PROHDOM

 

Mais informações:

 Ouvidoria Central da Saúde 

 Rua General Jardim, 36 – 4° andar – Vila Buarque – São Paulo/SP

 Acesso online, clique aqui

 Horário de atendimento: 09:00 às 17:00